fbpx

No artigo inicial sobre aprendizagem acelerada, Aprender a Aprender, ressaltamos que é na fase inicial da vida é que o cérebro faz o maior número de conexões neurais em razão da incrível capacidade de aprender.   A curiosidade, a ausência de críticas e a descontração são condições favoráveis para aprender de forma rápida informações de alta complexidade como o equilíbrio do corpo e o idioma.

Tim Gallewey buscou em livros, artigos, publicações e cursos qual é o conhecimento atual disponível na área, e  juntou com sua  vasta experiência prática de autodidata para criar o método Aprendizado Acelerado. O método vem propor um novo jeito de estudar, livre de mitos e mal entendidos e bem fundamentado cientificamente.   Em poucas palavras, Tim Gallewey descobriu uma forma de aprender mais rápido e melhor.

O fato da maioria dos princípios do aprendizado serem universais traz duas grandes vantagens. Primeiro, qualquer pessoa pode dominar as técnicas para aprender com maior velocidade e qualidade. Segundo, o conhecimento do Aprendizado Acelerado é válido para aprender qualquer coisa. Seja acelerar os estudos para concurso público, obter melhor desempenho na faculdade, praticar esporte ou aprender idiomas.

 

Filme - Eu, Eu mesmo e Irene

Filme – Eu, Eu mesmo e Irene

Segundo Tim, existem dentro de nós duas vozes denominadas de: Eu 1 e Eu 2.

– Eu 1 é o Eu construído pela sociedade que “sabe tudo”, tem opiniões sobre tudo e desconfiado.  É crítico, julgador, cobrador, ardiloso e mostra uma falsa proteção gerando medo. Supõe ameaças, desfoca do que é importante, adota comportamentos e crenças que são limitantes.

– Eu 2 é o Eu original, o real com as qualidade da criança. Tem medos reais positivos e importantes, porém não cria medos.  O Eu 2 é o próprio ser humano. Ele encarna todo o potencial que possuímos desde nosso nascimento, incluindo todas as capacidades já adquiridas e aquelas que ainda estão por vir.  Ele também inclui a nossa capacidade inata de aprender e desenvolver outras novas capacidades.   É o Eu que todos nós tínhamos quando éramos crianças.

O Eu 1 além de desconfiar, tenta controlar o comportamento do Eu 2.  Essa desconfiança e o constante julgamento, resultam em dúvidas e baixo autocontrole que interferem no processo de aprendizagem natural. O Eu 1 que é  construído depois que nascemos, capta do seu ambiente ou cultura, diversas crenças, pensamentos, valores e padrões comportamentais que na realidade não são propriamente a nossa essência, representada pelo Eu 2.        O Eu 1 e o Eu 2 estão sempre de braços dados.

O Eu 1 busca enquadrar o Eu 2 nas conformidades das normas. A conformidade com essas normas culturais sem conscientemente escolhê-las, limita tremendamente nossa mobilidade; ou seja a habilidade de mover ou ser movido em direção ao resultado almejado por nós.  Sem condições de fazer escolhas conscientes para “onde” quer ir e “como” chegar, o Eu 2 perde as chances de alcançar aprendizado.

combates interno e externo

combates interno e externo

Em cada atividade humana há duas arenas de combate: interna e externa.

 – O jogo exterior é jogado em uma arena externa para superar obstáculos e  alcançar objetivos externos.

– O jogo interior ocorre dentro da mente do jogador e é jogado contra obstáculos como: medo, insegurança, lapsos de foco, e conceitos de limitação e suposições negativas.   O jogo interior é jogado para superar os obstáculos auto-impostos, isto é que impedem um indivíduo ou equipe de acessar todo o seu potencial.

A questão mais importante é que para vencer o jogo externo, primeiro é preciso vencer o jogo interno.  Para isto é preciso saber distinguir as duas vozes e diminuir as interferências do Eu 1, isto é a crítica, as crenças de impossibilidade e os medos.

A fórmula de Tim Gallewey para desenvolver um aprendizado acelerado é:

                     P ( Performance) = p (potencial) – i (interferência)

Alta Performance

  • ( Esta é a condição ideal)Alto potencial
  • Baixa interferência

Baixa Performance

  • Alto Potencial
  • Alta Interferência
  • Solução: Focar nas interferências

 Baixa Performance

  • Baixo Potencial
  • Baixa Interferência
  • Oportunidade  desenvolvimento

          Caos

  • Baixo Potencial
  • Alta Interferência
  • Solução: Diminuir a interferência e depois aumentar o potencial

Os tópicos acima mostram que a alta performance é o resultado do alto potencial  do Eu 2 e da baixa interferência do Eu 1.

 

Uma das grandes descobertas para aumentar a performance é distrair a mente para não prestar atenção as vozes do Eu 1, treinando a mente para focar na respiração do corpo.  Dessa forma o potencial do Eu 2 pode se manifestar pela diminuição da interferência do Eu 1.

 

O exercício de se concentrar na respiração pode ser usado para: a pessoa se sentir melhor, pensar claramente e mover-se para um objetivo específico.

 

Podemos também quebrar o ciclo de interferências indo na raiz do problemas, ou seja na distorção da percepção do jogador. Se o jogador de tênis percebe a bola como uma ameaça, tal percepção irá diminuir o potencial e causar uma baixa performance.

 

O método de aprendizagem ineficiente foca no comportamento errado. Enquanto a proposta de Tim é focar no potencial de aprendizagem sem se deixar contaminar pelas interferências das críticas, dos medos, da necessidade de aceitação, obrigação em acertar e pressão em corresponder às expectativas.

 

O que aconteceria na performance do jogador se a bola deixasse de ser uma ameaça?  O que aconteceria se o auto julgamento do jogador fosse substituído por uma observação consciente do que quer aprender?

 

A prática da observação gera uma concentração relaxada criando mais chances de melhorar a performance, pois desligou o botão do  “tem que” acertar.

 

Tim Gallewey tem um conselho emblemático, fora do comum: Aprenda a praticar desfocar do foco. Isto é aprenda a ter um foco e a desfocar do foco. Às vezes, o que chamamos de “déficit de atenção” da criança é quando ela desfoca do foco, e está aumentando a sua capacidade de aprender.

 

Foco é um estado de espírito necessário para a excelência em qualquer atividade humana. É preciso escolher em que focar. A atenção na crítica e na obrigação é preciso ser dispersada. Tirar o foco da crítica é o grande desafio.

COMO FUNCIONA O CICLO DA AUTO-INTERFERÊNCIA

  1. Percepção distorcida com base em dados selecionados de incapacidade:

– Eu não sou boa para falar em público

 

  1. Interpretação distorcida a partir de uma declaração depreciativa:

– Isto é verdade e você vai se dar mal nesta apresentação.

 

  1. Comportamento alinhado a intepretação distorcida:

– Mãos tremendo, boca seca, coração palpitante.

 

  1. Distorção da imagem através de uma crença de identidade depreciativa:

– Sou uma péssima comunicadora

 

Para ter alta performance o apresentador  deve fazer o seguinte:

 

  1. Inicialmente deve observar para modelar os palestrantes eficientes, ver como eles se comportam e ensaiar para repetir os comportamentos;

 

  1. Durante a palestra deverá focar na própria respiração para distrair a mente das interferências do julgamento;

 

  1. Desviar o foco de si e olhar para as pessoas na plateia sem julgamento;

 

  1. Focar no conteúdo, na mensagem a ser transmitida, nas  perguntas que podem ser feitas, no tom de voz, na postura das pessoas para tirar o foco da autocrítica sufocante.

 

Fazendo uma analogia com o jogo de tênis, se o jogador ao receber a bola estiver pensando na trajetória da bola, irá conseguir pegá-la, mas se estiver pensando na possibilidade “de conseguir pegar ou não” e, em caso de não conseguir, “o que as pessoas vão dizer”, as possibilidades de acerto serão mínimas.

 

Conclusão é que a alta performance vai depender da capacidade de distrair o diálogo interno de crítica e focar no potencial de aprendizado.

Etapas e Aprendizado

Etapas e Aprendizado

Segundo Tim Gallewey o Aprendizado Acelerado acontece em 6 etapas:

 

  1. Escolha do que quer aprender;

 

  1. Consciência da importância do que quer aprender;

 

  1. Confiança na capacidade em aprender;

 

  1. Performance sem a interferência do julgamento;

 

  1. Diversão para entrar no fluxo da satisfação fora do tempo e espaço;

 

  1. Aprendizado propriamente tido.

 

FERRAMENTAS PARA MELHORAR O APRENDIZADO

  1. Dê um passo para traz para criar uma distância entre você e a situação de aprendizado desejável;

 

  1. Pense sobre o que está tentando atingir e se está realmente comprometido e se este aprendizado é prioritário;

 

  1. Observe as interferências e organize as mudanças de padrão de pensamentos, emoções e ações em um plano, passo a passo;

 

  1. Retorne a situação de aprendizado com os novos padrões e perceba o estado de fluição e leveza concentrando na capacidade de observação e captação de informações.

 

O objetivo das técnicas é resgatar a capacidade natural de aprender com facilidade e rapidez.

 

Vamos, liberte-se, a criança que você era ainda está em você, pronta para agir, a energia ilimitada, a curiosidade, a sede pela descoberta e transformações, a capacidade de se levantar logo depois da queda, tudo isso ainda é possível! Depende simplesmente de você, pense um pouco, existem qualidades que você possuía quando criança e que gostaria de recuperar?

 

Pratique e Boa Sorte!

Você conhece o Curso de Formação em Ciências Comportamentais, com base na Neurolinguística (autoconhecimento) e Coaching (autodesenvolvimento)?