Mês: fevereiro 2020

Como funciona a mente: Entenda essa poderosa ferramenta que nos leva a lugares inimagináveis

Como funciona a mente?

Entenda essa poderosa ferramenta que nos leva a lugares inimagináveis

A palavra “mentira” é derivada do radical da palavra “mente”.  Para entender melhor, usaremos teremos tecnológicos: a mente é o software instalado no hardware do cérebro que comanda as funções do organismo humano.  

Esta é a fundamentação da frase: Mente sã, corpo são.  

Através da combinação de sons, cujo construto é a palavra, o ser humano utiliza a linguagem para ler o mundo e se relacionar com ele.  

A questão delicada é que está leitura é baseada em uma percepção única de cada indivíduo. Cada pessoa é original em suas percepções de mundo, a partir de um programa mental.  O programa que cada um tem instalado foi criado de acordo com as vivências sociais e culturais na família, escola e sociedade.  

Além dos fatores externos

Além desses fatores externos existe também um percentual de programas que já vem instalados na concepção, antes do nascimento no indivíduo, isto é o sistema operacional tais como: 

  • instinto de sobrevivência
  • os medos primários
  • sede
  • fome
  • sono
  • sexo.

Tudo o mais deve ser aprendido a partir da relação com o mundo exterior. 

Desta forma, através dos programas mentais, a humanidade conecta o mundo interno com o mundo externo. A qualidade dessa conexão determina a qualidade de vida de uma pessoa.  O desafio é que nada está parado, a mente está em constante movimento utilizando a percepção de imagens e sons para combinar pensamentos que formatam os programas em constante mutação na relação indivíduo e mundo.   

Assim, o ser humano nunca é o mesmo e a prova disso é que não conseguimos ler um livro da mesma maneira, a cada leitura a compreensão será diferente porque o ser humano não se repete.  A complexidade da subjetividade humana é de uma incrível grandeza de tal forma que, a cada instante, está criando novas possibilidades quer boas, quer ruins, verdades ou mentiras.

Os dois lados

A condição de co-criador da realidade tem dois lados:

Um deles é  ser artista da própria vida, e interpretar os fenômenos da natureza de forma única e expressá-la com originalidade, harmonia e beleza.  

Por outro lado, se a mente está solta, fora da consciência, pode se constituir um problema na medida que elabora pensamentos condicionados, repetitivos e perde o domínio tornando-se o objeto ao invés de sujeito.  Repetição, mesmice e estagnação é a morte. Vida é movimento.

O grande desafio humano é manter a mente dinâmica, porém dentro de uma organização maior composta de leis que regem a natureza, inclusive a raça humana que nela está inserida.   

Deixar-se levar pela mente sem os princípios universais,  é um perigo já anunciado no portal de na cidade de Delfos na Grécia, há cerca de 2500 anos Decifra-me ou devoro-te.  A mente pode criar realidades desde que obedeça a princípios que podem ser descobertos através de uma percepção aguçada dos fenômenos naturais. Nossa tarefa é educar a mente para perceber o máximo de sinais simbólicos a fim de colocar em prática as mensagens captadas.   

Onde está localizada a mente?

Toda a saga humana vai depender da tradução desses sinais e esta é a tarefa determinante para a vida humana, a qual está sob a responsabilidade da mente.

Antigamente se acreditava que a mente estava localizada dentro do cérebro, mas Humberto Maturana e Francisco Varela, biólogos e filósofos, em 1970 conceberam de que a mente existe no espaço vazio, na relação com o outro.  Interessante entender que a mente é criada a partir de uma relação.   

Autopoiese

O que merece também atenção, é o conceito de autopoiese que fala sobre a capacidade dos seres vivos de produzirem a si próprios. Através das relações, os sistemas unicelulares, desde as amebas até o ser humano, dentro de condições sistêmicas, estão se adaptando ao meio, se reinventando, se reproduzindo, de forma autônoma, se autorregulando utilizando o livre arbítrio para realizar alterações dentro das próprias estruturas.

A questão delicada é que o livre arbítrio deve ser usado com responsabilidade. Para isso, é necessário desenvolver um observador interno, uma supra consciência que irá colocar ordem na mente para que as mudanças operadas no universo micro sejam ecológicas e estejam em harmonia perfeita com o universo macro: o cosmos.  Caso contrário, a humanidade se desvia do caminho, perde o prumo, e o resultado são pensamentos distorcidos da psique humana gerando doenças, caos e destruição. 

A PNL colocando ordem na mente

A Programação Neurolinguística – PNL é uma abordagem que se propõe a colocar ordem na mente sem contudo interferir em seu poder criativo. A PNL tem ferramentas para instalar um mestre interior capaz de cuidar para que as forças sejam direcionadas para o bom e o belo.  Assim, fazendo um bom uso do poder mental, a humanidade possa criar belas obras e estabelecer a união entre as coisas da terra e as coisas do céu.    

PNL é a maior tecnologia de comunicação humana, assim como o funcionamento de um computador é derivado.

Gostou deste artigo? Continue acompanhando os nossos conteúdos aqui e nas redes sociais!

Habilidades da Alta Gestão: Conheça quais são as Soft e Hard Skills que podem transformar o seu futuro profissional

Habilidades da Alta Gestão: Conheça quais são as Soft e Hard Skills que podem transformar o seu futuro profissional

Para falar de competências comportamentais e habilidades técnicas, ou mais conhecidas como Soft Skills e Hard Skills, precisamos entender o papel da tecnologia, a mudança de comportamento e as novas exigências do mercado.

Tecnologia x Humano

A ideia de que a máquina está tomando o lugar do homem, é uma inversão dos fatos. A realidade é que a tecnologia tomou proporções gigantes e o homem está se colocando em um papel diferente, incorporando características das máquinas e abandonando aos poucos os atributos humanos. O resultado? inicia-se uma competição unilateral e que o afasta de uma gestão efetiva, pois  o caráter repetitivo, padronizado e mecânico não são suficientes para alta gestão.

Com o avanço da tecnologia, é urgente deixar com as máquinas a função de máquinas e ao homem, cabe reaprender a ser humano. O Banco do Brasil lançou um programa chamado “Humanologia”.   A ordem agora é retomar, resgatar aquilo que é próprio do humano e que a máquina é incapaz de realizar.

É necessário entender que existem habilidades técnicas (ou hard skills) que são imprescindíveis e competências comportamentais que estão presentes no nosso jeito de ser, lidar com os outros e pertencer ao mundo  (Soft Skills) que podem e devem ser trabalhadas e desenvolvidas, transformando assim a dinâmica em diversas áreas.

O profissional do futuro

A Singulary University fez projeções das profissões futuras e concluiu que serão as de caráter relacionais que terão mais valor e ascensão, ou seja aquelas que cuidam da relação, que irão servir de elo entre as pessoas, e também entre a pessoa e ela mesma.  

Muitos dos entraves tem raízes nas relações orquestradas pelo medo. O medo está presente na maioria dos bloqueios de falar em público, de criar ideias novas, de entregar-se a um relacionamento, de fazer diferente, de se expor. O medo da crítica é tão forte que a pessoa prefere ser  medíocre para o resto da vida, do que apresentar uma ideia nova.   

O medo já vem sendo instaurado nas escolas, que usam a repressão para induzir o aluno a um padrão de comportamento. Crianças nos colégios com o mesmo uniforme, obedientes, quietos, mas não criativos.  

Paulo Freire, educador premiado, diz: “Eu sobrevivi apesar das escolas que tive”.   Afinal “todos nascemos gênios” até que a sociedade nos enquadra e nos transforma em burros obedientes.  Agora estamos vivendo uma era em que as empresas precisam ser centros de aprendizagem, em ambientes propícios para a criatividade.

A PNL aplicada aos novos profissionais

Alguns poucos conseguem ir contra o sistema e fazer diferente. A Programação Neurolinguística – PNL fez pesquisas para descobrir quais estratégias mentais foram usadas pelo  Walt Disney que favorecem a criatividade e a conclusão foi que, o processo criativo é exitoso, quando se consegue separar o sonhador do crítico, caso contrário o último boicota o primeiro. 

Primeiro o sonhador precisa dar asas a imaginação. No segundo momento, entra a figura do crítico com a função de cortar os excessos e deixar o sonho mais viável para que o realizador possa concluir a ideia.  

Desta forma, o crítico entra no meio do processo como um parceiro que vem contribuir para enxugar e não podar o sonho. O realizador somente deve ser chamado no final para trabalhar na parte prática do sonho. Este é o padrão que a PNL conseguiu levantar, o qual é utilizado por pessoas criativas.

E afinal, quais são as habilidades da alta gestão?

Além dos perfis abordados no tópico anterior, manifestar o lógico-concreto no estado da arte.  Cada vez mais é preciso desenvolver uma gestão acima da visão utilitária. A arte precisa fazer parte das relações humanas para que o belo traga mais leveza aos ambientes.

Outra habilidade de extrema importância é a de se sentir o que o outro sente, entender o que o outro pensa, e elaborar soluções em conjunto a partir do respeito e compreensão da perspectiva do outro.

A vantagem competitiva estará nas mãos daqueles que conseguirem resgatar os atributos inerentes a humanidade tais como: criatividade, empatia, expressão artística, lidar com o estresse, comunicação linguística, ética, abstração, imaginação, fé, alegria, consciência, compaixão, amor.  

Alta gestão é a gestão humanizada e a Programação Neurolinguística – PNL  tem técnicas eficazes para criar uma mente sadia e forte para reaprender a ser gente,  ser simples, a trabalhar com satisfação, a resgatar dentro de si estados de celebração à vida e a tudo que se tem direito e, finalmente alcançar o auge da competência que é unir coração e mente para que o humano possa se fazer presente!

Gostou do artigo? Continue nos acompanhando aqui no Blog e pelas redes sociais. Entender a importância das competências comportamentais (Soft Skills) é transformador. 

Como ter saúde no caos? Veja práticas que ajudam a cuidar da saúde mental

Como ter saúde no caos? Veja práticas que ajudam a cuidar da saúde mental

Falar de como ter saúde mental precisa ser prioridade o ano inteiro e em janeiro essa campanha ganha ainda mais força com o conhecido janeiro branco. Nesse artigo vou explicar do que se trata essa campanha, como a PNL é uma aliada nessa busca constante por equilíbrio e práticas que podemos fazer para cuidar da nossa saúde mental

O que é o Janeiro Branco? 

É uma campanha iniciada em Minas Gerais conduzida por profissionais psicólogos e ligados a área da saúde mas que tem como objetivo principal disseminar a preocupação e cuidados com a saúde mental, tema por vezes ignorado e que gera tanta angústia e reflete em comportamentos, relacionamentos e condição de vida de cada um.

O foco da campanha é promover a discussão e práticas de combate ao adoecimento emocional dos indivíduos mas não apenas deles, como de instituições. Ela estimula artigos como esse que aproximam as pessoas do tema e trazem a pauta para reflexão e debate.

Saindo dos Eixos

Quando tudo que acontece fora nos tira do eixo, algo está em desarmonia e precisa de atenção.  Se os acontecimentos tem o poder de dirigir a mente e definir o estado de a paz interna ou de caos, é sinal de uma leitura inadequada dos fatos, de falta de prumo, qual o barco sem leme em uma tempestade em alto mar.   

É absolutamente torturante quando, na convivência, são os outros que determinam o nosso humor, e ficamos dependentes de como os outros irão nos tratar.  Somos marionetes nas mãos do acaso, entregues, presas dóceis e maleáveis sem escolha própria. Para conquistar a autonomia é recomendável ter uma linguagem assertiva na qual somos o sujeito da ação por exemplo: 

“Eu fiquei doente” 

Essa é uma frase que gera autorresponsabilidade. 

Enquanto a frase: 

“O clima me adoeceu” 

É uma linguagem de dependência. Muitas pessoas podem estar em climas frios e não adoecem. O frio não é o determinante, o fator externo quando encontra um sistema imunológico capaz de reagir, cria uma barreira. 

Quando usamos uma linguagem inadequada: “Eu não mereço…”, “Eu não sou capaz…” ou “Eu não consigo…” como a linguagem está diretamente ligada com o sistema imunológico, a imunidade diminui, e sem defesas as doenças encontram mais facilidade de proliferarem.  Esta é uma das razões que explica a diferença de susceptibilidade para adoecer.

A Importância do Autoconhecimento

A  paz interna que depende das condições externas de temperatura e pressão, e somente é alcançada à custa de remédios cada vez mais fortes, atrofiando a inteligência da mente e do corpo de reagir e encontrar as alternativas saudáveis para aquietar a mente e fazer o corpo  dormir de noite, independente das atribulações do dia. 

Para piorar a situação, os relacionamentos são sofríveis a partir da nossa relação íntima com a pessoa que somos ou que imaginamos ser.   A falta de autoconhecimento a respeito de nossa constituição e de como manejar as forças internas, é que nos faz escravo de nossa própria ignorância

Natureza do Homem, Treino Mental e o Caminho de Abundância

As soluções estão ao nosso alcance, mas exigem  treino mental para manejar as energias internas a nosso favor.     Segundo a sabedoria grega, o homem é formado por várias naturezas de moléculas compostas de quatro elementos: água, ar, terra e fogo, e dependendo da combinação, existem quatro tipos de pessoas.

O primeiro, é  o fleumático, geralmente é calmo, frio, equilibrado e por isso a vida para ele é feliz e descompromissada; raramente explode em risos ou em raiva, conseguem fazer os outros rirem, mas ele mesmo não solta um sorriso sequer. É habilidoso para promover paz e conciliação, sonhador, pacífico e dócil, preso aos hábitos e distante das paixões.

Em segundo, o colério, ardente, vivaz, ativo, prático e voluntarioso. Por ser decidido e teimoso, torna-se auto-suficiente e muito independente. Por ser ativo, estimula os que estão ao seu redor, não cede sobre pressões. Possui uma firmeza no que faz, o que o faz frequentemente obter sucesso. Ambicioso e dominador, tem propensão a reações abruptas e explosivas.

O terceiro é o sanguíneo, eufórico, vigoroso, vive o presente, esquece facilmente o passado e não pensa muito no futuro. Traz em si otimismo e acredita nas coisas, mesmo em meio às adversidades. Expansivo, otimista, mas irritável e impulsivo. 

E o quarto é o melancólico: sensível, introvertido, nervoso e excitável, tendendo ao pessimismo, ao rancor, tristeza e à solidão.

O lado negro desse estudo é que, na maioria das vezes, as pessoas tentam se enquadrar nos temperamentos, e ao fazê-lo, cristalizam e passam a se comportar de acordo com classificação, e o pior, eliminando as outras possibilidades de comportamento.

Você acredita em signos? 

O efeito horóscopo, quem nasce no signo leão só pensa em ser majestade. A ideia da realeza do signo leonino,  é apenas uma possibilidade, uma tendência, porém para adquirir experiência de vida, a pessoa deve se entregar a viver as características de todo o zodíaco. Ampliar a vivência humana é ter todas as experiências dos elementos e da fisiologia e aprender a fazer a combinação perfeita. 

O enquadramento em um aspecto, já pode ser considerado uma patologia no sentido de que quando existe uma dominância de um elemento, é porque não há equilíbrio, ou seja há uma anormalidade, uma doença.  Na perspectiva de Rudolf Steiner, filósofo austríaco, criador da antroposofia a arte de viver consiste em atingir todos os quatro temperamentos de maneira igual. A preferência de algum temperamento gera problemas de saúde psicológica. 

A PNL e a saúde mental

Nas pesquisas em pessoas que apresentavam um bom processo de adequação à vida,  Richard Bandler sistematizador da Programação Neurolinguística – PNL, percebeu que existe um padrão de comportamento em que as pessoas se permitem ter todas as características ao seu dispor para usá-las de acordo com a situação, ambiente e pessoas.  Assim nada do que temos deve ser excluído e sim sacralizado.

Existem situações nas quais nossos valores serão atacados e vamos precisar de agressividade para defender. Ao invés de excluir a agressividade, vamos guardá-las para usar no momento certo. Bandler chamou esta técnica de “recontextualização” como por exemplo, durante anos da minha vida fui censurada porque gostava de falar, mas quando adulta, ao me tornar uma palestra, esta característica tornou-se aceitável e até necessária.

No trabalho recebi várias críticas por rir demais, mas quando me tornei professora, meus alunos elogiam a maneira de falar sorrindo e se sentem relaxados quando ouvem minha risada. Agora, tenho consciência de quais os contextos onde o “falar demais” e as “risadas altas” são bem vindas e evito tais comportamentos em outros ambientes.

A doença passa pelo exagero. Ser simpática é bom, porém demais, é cansativo. Ser carinhoso é bom desde que não se torno pegajoso. Assim como a água é boa, mas demais, afoga, os defeitos são  características em exagero. Além da escolha da característica é preciso saber dosar a quantidade da intensidade.

Sal é bom, mas precisa ser dosado. Bom é o uso, condenável é o abuso ou o desuso.  O uso correto dentro de um equilíbrio, é saúde. A doença é quando um elemento está mais presente do que o outro. O ideal é quando os quatro elementos de nossa constituição estão em equilíbrio de tal forma que vamos poder tirar proveito de todas as características para enriquecer a experiência de vida.

Saúde Relacional

Saúde relacional é ter um tesouro rico de possibilidades de comportamentos: melancólico, colérico, fleumático e sanguíneo e ter a liberdade de escolher se comportar da forma mais adequada, usando a sabedoria interna para manifestar na medida certa e na hora certa.      

Esta é a razão pela qual, os conselhos de como devemos ser, são invasivos e ineficientes porque cada pessoa deverá estudar de si, e descobrir sua própria receita de saúde mental, física e relacional para cada situação.  

A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – PNL é uma excelente ferramenta de autoconhecimento que ajuda no processo de desenvolvimento, culminando no processo de autorrealização humana. 

A vontade de se auto descobrir, pode lhe levar além!

Temos também um texto muito importante sobre Inteligência Emocional, leia aqui.

Nos acompanhe nas redes sociais, assine a nossa newsletter para receber por e-mail textos exclusivos e entenda mais o universo da PNL e autoconhecimento

Mitos e Verdades sobre a PNL

Mitos e Verdades sobre a PNL

Existem vários questionamentos acerca da PNL e indagações de curiosos e interessados, que, em busca de transformação, acabam sendo levados por caminhos de inverdades e mitos. 

Com a PNL os problemas desaparecem? A PNL é apanágio para todos os males? Aprendendo as ferramentas da PNL serei mais feliz? 

Nesse artigo trouxemos alguns desses mitos que existem e iludem muitas pessoas, desmistificando os temas e revelando o que de fato pode-se esperar da Programação Neurolinguística.

A PNL soluciona todos os problemas? [MITO]

Inicialmente a PNL  não é para resolver problemas e sim para ressignificá-los: 

Problema é  forma de treinar os recursos pessoais.  As grandes invenções são frutos do uso da criatividade para resolvê-los. Uma pessoa sem problema tem uma vida enfadonha além de atrofiar o potencial por falta de exercício.

Não quer ter problemas? é simples, não tenha projetos. Qualquer coisa que você queira fazer, por mais simples que seja, um curso de inglês por exemplo, gera uma série de pequenos problemas como: qual curso escolher, como se locomover, qual o tempo disponível, quanto  dinheiro, local para treinar etc.   

Problemas também são estímulos, desafios que trazem uma satisfação do tamanho da dificuldade.  A sensação de vitória é na proporção da energia investida para ultrapassar os obstáculos. Quanto maior a tempestade, mais corajoso é o capitão do navio.  

As histórias de superação são escritas por pessoas que acreditam serem maiores do que as adversidades. Uma vida sem desafios a enfrentar, sem problemas para resolver, é tediosa. Mihaly Csikszentmihalyi pesquisador sobre felicidade, escritor, cientista húngaro, afirma que experiências de aventura, cheias de imprevisibilidade, mantém as pessoas em estado de flow, de fluição, prazer e felicidade. Necessitamos de problemas para testar a nossa competência.

A PNL prepara a mente para lidar com o problema? [VERDADE]

A função da PNL é preparar a mente para receber o problema como uma forma de presente, uma oportunidade de crescimento e gerador de satisfação.  É lógico que o problema sem a competência, gera angústia, e as ferramentas da PNL ajudam a criar um estado mental propício focado na solução. Cresce o que se foca: o problema ou a solução. A segunda opção  é mais eficiente. Existem várias estratégias mentais na PNL, não para eliminar o problema mas como como estímulo da criatividade.

A PNL descarta outras abordagens? [MITO]

Os problemas de ordem genética ou orgânica, por exemplo, devem ser acompanhados por um médico psiquiatra. Existem casos que necessitam da química.

A PNL utiliza linguagens e estímulos para alcançar um objetivo? [VERDADE]

A PNL se utiliza da linguagem para fazer uma leitura mais inteligente dos fatos e assim tirar o excesso de drama. Como seres linguísticos que somos a linguagem tem impacto no sistema nervoso e a PNL é para quem almeja usar a força sonora da forma  inteligente, servindo de gatilho para disparar estados fortalecedores diante de momentos desafiadores. 

Existem efeitos diferentes para diferentes usos da palavra, por exemplo: há uma diferença incontestável entre as frases: “Isto é muito difícil para mim”, e “Isto é desafiador”, “Eu não consigo” e “Eu ainda não consegui”, “Eu tenho medo” e “Ainda me falta coragem”.  Repita para si mesmo estas frases e percebam que elas disparam sensações diferentes: de dúvida ou de poder. 

A PNL pesquisou pessoas que apesar das dificuldades conseguiram ser exitosas e o diferencial foi o uso da linguagem para acessar estados de poder.   Quem procura a PNL são pessoas que querem potencializar os recursos para gerar mudanças ecológicas com efeitos positivos na saúde, educação e negócios.

A PNL cura doenças? [MITO]

A PNL não trata de pessoas doentes, é inclusive irresponsável prometer e fazer essa afirmação. Em todo caso de pessoas acometidas com alguma doença, é natural a vulnerabilidade e crença em promessas que ao momento, parecem milagrosas.

A Programação Neurolinguística não atua diretamente na cura mas tem ferramentas para organizar a mente, gerar um subproduto curativo, assim como uma mente estratégica pode facilitar a elaboração de planos de enriquecimento pessoal.  E finalmente uma mente harmônica tem mais possibilidade de criar vínculos afetivos, impactando positivamente na qualidade dos relacionamentos. Usando a PNL com ética podemos conseguir grandes avanços em todos os campos, até na dimensão da espiritualidade.

A PNL exerce sim um papel fundamental e que auxilia a lidar com essas questões mas o médico é autoridade inquestionável em qualquer tratamento.

A PNL facilita e ajuda no processo de cura? [VERDADE]

Como subproduto, ao falar de forma inteligente, ela facilita o processo da cura. Para comprovar cientificamente, é importante citar o efeito placebo. Se um paciente acredita que o remédio irá curar, esta crença favorece a disposição  do organismo para a cura.  No entanto casos crônicos como depressão, doenças hereditárias, genéticas e outras gravidades é recomendado encaminhar para o profissional da área, e fazer uma operação conjunta. 

Quanto a questão da cura de doenças mais sérias, o médico indiano Deepad Chopra no livro a Super Mente, fala que antigamente se acreditava que o cérebro era o hardware, rígido e fixo que alojava o software, o programa mental composto de crenças.  

Atualmente tem se observado que os pensamentos estão mudando a anatomia do cérebro. Desta forma, é bem provável que acreditar na possibilidade da cura do câncer pode ajudar no efeito da quimioterapia.  

É bem popular o conceito placebo, na qual o efeito do remédio vai depender do que o paciente acredita que é possível, assim como acontece do paciente sentir todos os efeitos colaterais dos remédios, ao ler a bula.  Apesar de todas estas evidências, não se promete milagres e sim, um tratamento paralelo acompanhado pelo médico. Uma abordagem pode ajudar a outra e potencializar o efeito curativo.

A PNL acaba com as dívidas e resolve meus problemas financeiros? [MITO]

Uma vez, perguntei a uma cliente o motivo da visita ao consultório, pelo que ela respondeu: dinheiro. Dei a ela o cartão do gerente de banco como referência. 

O Problema sempre é achar que algum estudo, método, ensino, prática… resolve o problema e entrega o resultado, ele é a ferramenta que conduz você a realizar mudanças.

A PNL ajuda na compulsão e gestão financeira? [VERDADE]

A PNL não é para resolver problemas financeiros e sim treinar a mente para eliminar a compulsão de comprar.  Ela ensina como fazer para adiar o prazer em comprar, e como efeito secundário, a pessoa deixa de ser um escravo de bens de consumo e passa a utilizar o dinheiro para empreendimentos ao invés de gastá-lo.  A PNL ensina uma forma sadia de ser dono do dinheiro ao invés de ser possuído pelo dinheiro, o que faz toda uma diferença na qualidade de vida.

Lidando com a Felicidade

Primeiro vamos entender que felicidade pode ser tudo o que uma pessoa considerar que seja. Para o faminto, felicidade é um prato de comida e para rico, pode ser um gesto de carinho. Depende muito da necessidade da pessoa. 

Esta concepção de felicidade passa desde o campo material até o desejo de prazer ou ainda, no plano espiritual, de ter pensamentos elevados,  nobreza de caráter e capacidade de servir ao próximo. No entanto isto não exclui a dor e o sofrimento. O santo pode estar sofrendo e se sentindo feliz por estar progredindo em termos de aprendizado e capacidade de servir ao outro.  Uma pessoa pode estar feliz por ser capaz de vencer a dor, de sofrer com dignidade.

A PNL trabalha o enfrentar situações,a visão ampla e conceito de felicidade desenvolvido através de conquistas, sejam elas lidar com o problema, superá-lo ou a consciência no processo.

Entre mitos e verdades

A PNL tem ferramentas para esvaziar a mente de pensamentos irracionais e deixar um livre fluxo de energia para o serviço, com efeitos positivos para a elevação da autoestima e saúde psicossomática. 

A Programação Neurolinguística é o estudo da estrutura da subjetividade humana, e como todo estudo sério, este conhecimento é útil para resolver questões ligadas à personalidade por exemplo. A PNL ajuda a passar pelo problema e dificuldade, tirando o aprendizado da situação e assim, subir mais um degrau do processo evolutivo.  Resolvendo algo de personalidade é como se pudesse preparar o terreno para plantar boas sementes no campo de espiritualidade.  

Toda a prática da PNL e resultado depende da disciplina e forma como o indivíduo absorve o que é passado, assim, tratativas e imediatismos são promessas vazias, o correto é guiar e atribuir responsabilidades.