fbpx

Jornada do Herói com a PNL

9º Estação: Retorno

Em 2020 entrei para o caminho de volta à normalidade, família bem estruturada, casa, comida e roupa lavada, finanças estabilizadas. Bebo do elixir onde toda a jornada faz sentido. É o que pode ser chamado de ressureição. Até os meus passeios de bicicleta eu recuperei, não mais no frio da chácara Flora em São Paulo, mas no sentido o sol e do vento da Praia do Futuro na linda cidade de Fortaleza, faço as pazes com a liberdade.  

Este desejo de estar com o Pai, na imensidão do silêncio infinito, em perfeita paz, sentado no nada e sentir “é aqui meu lugar”.

É assim que me sinto nas meditações, sem querer voltar ao cotidiano, tem  dias  que preferia o beijo doce da morte para me livrar do corpo e  poder finalmente libertar a alma do peso da matéria. Ainda bem que sei que algumas vezes, consigo praticar o “estar no mundo sem ser do mundo”. 

É uma delícia essa experiência, como se eu pudesse assistir um filme de guerra na plateia sem ter medo de se baleada.  Nesse mundo onde Nosso Senhor tem cada morador que dá até arrepio, estas técnicas mentais de pensar algo libertador e em consequência se sentir livre, é um refrigério em um mundo de provas. 

A vontade de ir para outro plano, passa rapidinho quando penso na missão.  A missão me chama e decido me retirar do meu céu particular e retornar ao mundo e continuar a exercer minha tarefa, por pura obediência e amor ao Pai que me deu muitos irmãos.

Ao ter caminhado um tanto, passado por poucas e boas, comido com os porcos e depois ter conseguido um certo grau de paz interior, retornar ao ponto de partida, está sendo tão difícil quanto foi sair dele.

O retorno é doloroso porque o cenário desestimulante, sendo o homem o lobo do homem, convida a uma profunda angústia existencial, uma vida restrita a sobrevivência e falta de valores. 

O preço do sucesso

Rejeito retornar a um mundo dominado por um individualismo doentio. Pessoas se enclausurando em seus egos, e quando a união existe, é somente entre interesses pessoais semelhantes, cada um buscando um benefício, mas nunca se abandona o egoísmo; é uma sociedade individualista no pior sentido da palavra.

Lembro-me das vezes em que a li nos anúncios DESTAQUE-SE,  dando a entender que os demais têm de fracassar. CHEGUE NA FRENTE, dando a entender que todos vão ter que se atrasar. 

Até que ponto vale a pena aceitar os estímulos de construir um SUCESSO às custas do fracasso de muita gente?

Na caminhada aprendi que competição, do ponto de vista da evolução humana, depõe contra a maior virtude humana que é a fraternidade.

Vaidade

É inviável uma vida social em que todo mundo quer que o mundo gire em torno deles. São mais de sete bilhões de pessoas e não dá para criar sete bilhões mundos.

E não sendo possível alcançar o tão sonhado DESTAQUE-SE, CHEGUE NA FRENTE, TENHA SUCESSO, entra-se em angústia existencial. E quando se alcança todo o SUCESSO material que se podia alcançar, vem a angustia existencial, considera-se o universo é injusto e a realização pessoal é um privilégio do outro, e o próximo passo é o abismo. 

O que se pode esperar mais de uma vida onde a fera que pode prejudicar e destruir uma pessoa, não é um leão um sim um ser humano. Isso é sui generis porque não é possível encontrar um leão com medo de outro leão, mas encontra-se com facilidade um homem com medo de outro homem.

Tenho recordações de vários momentos em que me senti cortada ao meio, como se minha cabeça, ou meu lado material, não se comunicasse com meu coração, minha porção espiritual.

Perdi muito tempo tendo saudades do conforto e segurança que eu gozava no passado, e no presente querendo as coisas somente para mim, sem me sem me importar com os outros. Estava doente do espírito.

A PNL e a Autopercepção

Na PNL, no módulo de metáforas, tive um momento de autopercepção quando li um texto sobre uma célula no corpo humano, que se comporta pensando somente nela, crescendo mais que as outras células e sem pensar no corpo como um todo e por esta razão é uma célula cancerígena. Ela cresce em desarmonia e se deforma até um tamanho tal que mata o indivíduo. Este é o resultado de separar o corpo da alma, de ser individualista e querer tudo para si sem se importar com o prejuízo dos outros, valorizando mais a aparência do que a essência. Algo defeituoso cresce e vira um câncer.

Esta metáfora me ajudou refletir sobre a importância da fraternidade e me foi útil para dar um freio na competitividade. 

A doença se espalha porque são muitos que estão aprisionados em uma prisão sem grades, a prisão de uma mente presa ao mundo concreto, em que a vida consiste em comer, beber, dormir bem, ter conforto, namorar, ter dinheiro para se divertir em um grande parque de diversões, com muitos aparelhos de alta tecnologia, usurpando a natureza sem pensar nas consequências.  A má notícia é que através no mundo concreto, regido pela mente concreta é impossível tocar a realidade pois somos prisioneiros dos cinco sentidos, e vamos somente até onde a nossa percepção de realidade.

A Cura

O limite da mente concreta é a própria percepção, e nossa percepção não é a realidade, é apenas uma percepção.

A cura se inicia a partir de uma percepção refinada, que busca o crescimento pessoal em cada experiência vivida, traições amorosas, filhos rebeldes, chefes autoritários, conflitos entre irmãos, injustiças, traumas e depressões são oportunidades de aprendizado.

Meus pacientes, quando se comportam como seres desligados da verdadeira vida, ocupam o tempo com tarefas, e vivem concentrados em usufruir tudo que a vida pode oferecer e minha função leva-los a buscarem sua origem, o centro, e assim venha a almejar contribuir com o Todo, mesmo que seja algo que não conhecem, mas desconfiam que existe.  

Os que estão procurando a cura olham para o mundo como filósofos, amantes da verdade. Como filhos em busca de se fundir com o Pai. 

Terapia Holística

Minha função como terapeuta holística é levar pessoas a fazerem uma síntese dos dois mundos regidos por mentes específicas: mente concreta e mente intuitiva.

A mente concreta é um instrumento que estuda e analisa os fenômenos do universo como a lei da gravidade, a constituição dos átomos, a diversidade, os elementos da tabela periódica, a fotossíntese, o processo de gestação, os astros, a anatomia humana e todos os estudos de classificação do universo observável, iniciados por Aristóteles.  

Enquanto a  mente concreta analisa os efeitos dos fenômenos, a mente intuitiva está nas causas.  Por exemplo, os cientistas estudam a fotossíntese que através da luz do sol realiza dentro da planta a troca de gás carbônico por oxigênio. Este fenômeno é somente uma manifestação de forças primordiais subjacentes que comandam os processos da organização dos astros no céu, dos batimentos cardíacos, do movimento dos elétrons em torno dos prótons. 

➡️ Quem está no comando?

➡️ De onde vem esta força que rege toda essa teia interligada com infinita precisão?

➡️ A água é a molécula da junção de dois átomos de hidrogênio mais um de oxigênio, e de onde veio o hidrogênio, o oxigênio e todos os elementos químicos do planeta? 

Quem se governa somente pela mente concreta, tem tendência a ter pensamentos distorcidos como se fossem verdades absolutas, e acreditam na ilusão do que vê, perdem-se nas atrações falsas de uma pseudo felicidade, sem conhecer verdadeiramente a vida que pulsa em seu coração junto com o universo.   

A conclusão é:
A mente concreta é limitada e não responde as perguntas da criação.  Do ponto de vista da mente concreta, as mensagens da vida espiritual são ilógicas, irracionais mas, através da mente intuitiva podemos entender e penetrar nos mistérios profundos da natureza. 

A solução é:
entender a mente concreta para usá-la nas funções básicas de sobrevivência, e desenvolver a mente intuitiva capaz de nos dar as respostas que queremos e nos levar além.    

Como querer retornar para um mundo, onde aquilo que mata mais um ser humano é o seu próprio egoísmo? O egoísmo é sempre uma fera a espreita, constantemente rondando, pronto para atacar e dar o próximo golpe. E agora na beira de retornar ao mundo comum, penso no esforço par  manter na memória a presença do divino. Minhas dúvidas se aguentaria retornar eram tantas, que cheguei a pensar que minha jornada tinha sido inútil.

O Medo de Morrer

Nessa jornada, no momento do retorno, reconheço que a maior da mudança foi ter perdido o medo de morrer.

Aliás é bom frisar que eu penso que perdi o medo da morte, mas a gente somente se conhece perfeitamente quando acontece. Talvez na hora da passagem eu entre em desespero, mas teoricamente eu entendo que tudo pulsa no universo na força da contração e de expansão, ou seja tudo dentro do cosmo, se manifesta e se expande, e depois se recolhe levando as experiências individuais agradáveis e desagradáveis, todas pedagógicas ficam registradas na memória macro, a grande mente cósmica.

O medo da Morte

O macro também reside no micro enquanto semente, razão pela qual temos momentos que vivenciamos reminiscências da alma trazendo uma vaga lembrança de que existe algo além do instintos.

Para entender mais sobre este recolhimento a que chamamos de morte, li no livro egípcio dos mortos sobre as etapas e as tarefas do morto, e o mais interessante, nesta compilação de um conjunto papiros, um verdadeiro manual de instrução pós morte, explica o livro é que a experiência após a morte corresponde aos valores e princípios praticados em vida.  

A qualidade da morte depende da qualidade da vida, e isto é tão claro no livro, que até parece que os escritores morreram e voltaram para contar. 

O que mais me conforta é ideia de que ao me recolher, mesmo após a morte, irei  conservar minha memória individual do que foi vivido.

Eu já estou conformada em deixar na terra o corpo e a personalidade, mas quero levar a única coisa importante que conquistei: minha consciência.

Conforta-me saber que a grande mente cósmica guarda todas as memórias das jornadas individuais, e que ao me despir das vestes materiais, a minha experiência será recolhida e ficará guardada em algum HD externo numa dessas estrelas brilhantes do céu. Aquilo que a consciência conquistou nada e nem ninguém tira, nem a morte

Na morte não se perde a Consciência

A morte tira os veículos mais densos, mas a consciência não está entre os veículos mais densos. Segundo as tradições, não se deixa de ser quem é, mesmo porque a consciência não se perde nos ciclos da vida e da morte. Eu quero acreditar nisso. 

Percebi também nessa jornada que a vida de cada ser humano por mais simples que seja tem requintes de uma aventura mítica, cheia de detalhes, simbólica e com aprendizado. 

Lamento dos momentos em que a vida me mandou mensagens, oportunidades de crescimento, e eu estava surda e cega. 

Uma das minhas maiores angústias, por quase trinta anos, foi viver como se fosse um besouro contra a vidraça, quase perdendo as forças tentando ultrapassar o vidro, e a vida querendo me mostrar onde eu poderia achar a passagem e eu insistia em permanecer lutando contra a barreira. 

lutando contra a barreira

Foram muitas cabeçadas em paredes duras para entender que pelo viés do coração é mais fácil entender os chamados. Como sair da mente e chegar ao coração? Uma mente repleta de julgamentos e expectativas, estagna as energias e impede o fluxo. 

O primeiro passo é limpar a mente.

Na PNL tem um exercício de auto observação no qual imaginamos uma super consciência, um estado além da consciência, através do qual podemos olhar a mente e percebe-la repleta de julgamentos e expectativas a respeito de si, dos outros e dos fatos.  

A observação do que se passa na mente é um ato que mostra que os pensamentos são adereços que podem ser criados, trocados, modificados e eliminados. A consciência da existência dos pensamentos é suficiente para descolar os pensamentos da identidade. Os pensamentos não constituem uma identidade fixa, são apenas acessórios que da mesma forma que foram criados podem ser dissolvidos. E ao serem dissolvidos sobra espaço para a celebração, a plenitude e possibilita o contato direto com o potencial. 

Supra Consciência

O fato de observar os pensamentos mostra que existe algo acima do pensamento que é a supra consciência a qual analisa o pensamento e tem o poder de fazer uma limpeza e manter a mente sob o seu domínio, tornando-a um instrumento divino.  

Uma mente limpa e silenciosa pode dialogar com coração e compreender as “razões que a própria razão desconhece”.

Hoje percebo a grande diferença entre tomar uma decisão usando a mente, e tomar uma decisão usando o coração. O coração é parente do coração do cosmos, é da mesma linhagem, e por esta razão toma decisões mais sábias, de acordo com as leis universais. 

Coração Humano

Segundo a tradição egípcia o coração do homem é o maior mistério do universo. Quando o egoísmo quer exagerar e tomar conta, a solução é  banhar o pensamento em águas do coração e consigo amenizar emoções perturbadoras.

Fazendo o caminho de volta, com a mente educada foi possível refletir sobre o verdadeiro herói, esse que está no íntimo, que reside no coração de todas as coisas e que é a essência.

Segundo a tradição hindu, o fio da essência passa por todos os seres, ou seja a essência é uma só em todos os seres. O Deus que passa em mim, passa por todos os cosmos.

A essência é única, momentaneamente projetada em um corpo particular. Durante o retorno tive pequenos insights de sentir-me unida a toda a humanidade.

Confesso que inicialmente tive uma rejeição em pensar que aquela pessoa que “puxou meu tapete” me difamando e outras criaturas igualmente perigosas, eram agraciadas pelo mesmo fio da essência divina. Conheço pessoas que só em pensar nelas, já sinto um embrulho no estômago, e somente consegui acreditar que são seres divinos unidos ao TODO, quando tirei a ideia da mente e levei para o coração. 

Na história de Aladdin, o gênio tem a única função, atender os desejos de Aladdin, até que uma hora Aladdin abre mão dos seus desejos e liberta o gênio e ele habita passa a estar em todas as partes do mundo, em todos os lugares do universo. 

Acreditando nisso, é possível ver a Deus em todas as coisas. Então o homem teria que abrir mãos do seu egoísmo para passar por esse umbral de libertar o gênio. 

Apesar de existirem pessoas que ainda estão presas a mente concreta das aparências e das formas, isto é no plano da matéria, elas também se converterão. 

O que procuramos nos procura

Temos a ideia de que caçamos o herói interno, mas é ele quem nos caça, aproveitando alguma abertura para se manifestar. Para receber a inspiração heroica é preciso um mínimo de preparação e abertura: o herói interno latente pode usar o livre arbítrio para abrir-se para o essencial ou fechar-se para o superficial ou o contrário.

É uma questão de escolha seguida de atitude: o sol está lá fora, e para que ele entre, precisa abrir a janela. Simples assim!

Ou seja, o herói deve encontrar dentro de si, o fio da essência individual que é da mesma essência do universo e que liga todo o universo, a fim de sintonizar sua vida no mundo material com as leis universais.  Que a lei universal seja praticada no cotidiano. 

E este processo evolutivo é individual e ao mesmo tempo coletivo, pois todos estamos todos ligados pelo fio da essência que passa por todos os homens, ou seja a essência imperecível, perpassa  todos e tudo, e é uma só fio.  

O Deus que passa em nós, passa por todos os cosmos. Todos somos divinos.  A nossa essência é única, momentaneamente projetada por um corpo particular.  O herói retorna com o conhecimento elevado e com a vontade de dissimilar a ideia da união onde não mais existirão o Pai e o Filho e sim o UNO.   

Fazer com que cada um descubra a verdade, é uma missão que irá aniquilar a ideia da separatividade,  do individualismo, e egoísmo. O herói retorna para combater a ignorância que faz o homem ser o lobo do homem.   

Homem lobo do homem

Diante  dos ciclos de abertura e fechamento, como fazer a síntese da vida? 

Cada um tem a liberdade de usar o livre arbítrio para deduzir o que for possível deduzir, dependendo do nível de consciência em que se encontra. 

No meu mapa de mundo, penso que o retorno é o começo de um novo fim, um ciclo abrindo outro, infinitamente iniciando e aperfeiçoando a criação, eternamente iniciando e concluindo processos de crescimento, sempre em um novo patamar de compreensão com a consciência mais expandida. 

É o universo todo, no micro e no macro, brincando de crescer. 

Vencer as etapas  aprendendo a viver, morrer e renascer das próprias cinzas prepara o herói para o retorno. Se durante a jornada tiver criado  mérito e lucidez em vida,  conquisto o mérito de morrer em serenidade. 

Aprendi isto, lendo a história dos cátaros, povo do sul da França que condenados a morte como hereges, pela Santa Inquisição, jogavam-se na fogueira dançando e cantando.

Haviam vivido uma vida em total fraternidade, gozando de um alto grau de espiritualidade, e por não terem sido entendidos, na época, foram exterminados. Mas apesar dos corpos queimados, a memória guarda até hoje, a nobreza de dignidade dos atos heroicos até diante da morte. 

A fusão com o Divino

Dependendo do nível de entrega durante a vida, a morte é o nível máximo é a fusão com o divino.  Segundo os egípcios, aquele que não complementou sua trajetória tem de voltar para o mundo para completar o que ficou faltando na experiência humana. Esta é a ideia da reencarnação. 

No Egito conta-se a história de Osiris que  foi esquartejado por seu irmão Set, movido por inveja, espalhou seu corpo em mil pedaços e sua esposa Isis e seu filho Hórus,  viajaram o mundo inteiro para juntar as partes e alcançar a UNIDADE.  

Mitos e verdades

 Este é um excelente mito para entender que a inveja nos despedaça, mas o amor unifica.

Existe uma técnica da PNL, chamada “tecnologia dos seis passos” que faz a união da parte que quer ficar na ignorância, sem compromisso, gozando os prazeres da luxúria e gula, e que adora um Deus excludente que separa, divide em nome das diversas religiões. E também, da parte que busca a sabedoria que se compromete com a verdade, cujo Deus é Uno que inclui tudo que existe em sua onipresença, onisciência e onipotência.

Sabendo fazer essa união das partes dentro de mim, sinto-me mais segura para retorna à minha vida comum e simples, ensinar técnicas da PNL para que as pessoas também possam se unificar.

A união entre os homens, será possível, a partir de homens inteiros, íntegros e integrados com o plano divino

É perder tempo esperar que caia do céu. Passei trinta anos de minha vida com a ideia de que a sociedade ia dar um jeito de resolver meus problemas e salvar a minha pele. Hoje estou convicta de que se eu virar as costa para a sociedade, as coisas vão para o buraco. É exercitando a responsabilidade social que será possível reestabelecer o equilíbrio individual.

O retorno do herói para ajudar os outros é um ato de amor. 

A função do Herói é ser pontífice. Vencer o comodismo, a inércia, o individualismo e outros vícios para que os atributos do plano celestial como: a justiça, fraternidade, beleza e bondade possam se manifestar no plano terrestre. 

Para trazer este recado ao mundo, o herói é alguém que busca ter estatura moral, psicológica, espiritual, para manter a cabeça no céu e os pés na terra. Confesso que é fácil de idealizar, mas desafiador realizar. Existem provas que não conseguiria, sem ajuda. Tenho certeza que seria impossível conseguir sozinha. 

Ajuda

O interessante é que as ajudas vêm e são muitas, e de todas as partes, mas é preciso avançar para lutar pelo belo, justo e bom, apesar do medo. Os bons propósitos são bênçãos. 

O mito do herói nos ensina a entender o sentido simbólico , ou seja o que o símbolo  trouxe de eterno ao mundo temporal. Uma coisa que não tem sentido simbólico é estéril, não existe, não é dotada de nenhum valor. Os atos reais são simbólicos, ou seja fazem ponte entre o mundo das ideais e o mundo concreto, e por isso se validam.

O que muito me ajudou na jornada foi aplicar uma técnica da PNL chamada Ponte para o Futuro. Nas piores situações eu imaginava como se já tivesse conseguido sair dela. E ao imaginar, todo o meu corpo sente um estado do benefício já concretizado. Tem uma frase em que Nitzche fala do futuro, no livro  Genealogia da Moral, onde o homem nobre que encara o ideal de nobreza, diz que está distante, mas que vive como seu dia, tivesse chegado.

Se a prática dos valores entre os homens estiver presente na mente, significa que algum dia, tem chance de se concretizar no futuro.  

O herói é aquele que vai na frente e mostra que a visão do bem comum é possível. O herói é uma testemunha viva da aplicação dos valores, um exemplo que inspira.

Segundo Platão, tudo nasce no plano das ideias para depois concretizar.

Aquilo que somos hoje foi ideia no passado. E por isso concretizou. Nada cai aqui diretamente de paraquedas.  Tem que primeiro passar para o plano mental e depois se realiza. 

O Tempo

Mas ainda que isso vai ser um futuro coletivo da humanidade, se você o vive agora, é presente para você. Você antecipa no presente e aquilo que será futuro da humanidade, abre as portas para ser possível a qualquer momento.

VIVA COMO SE O DIA TIVESSE CHEGADO, COMO SE O DIA CHEGADO FOSSE HOJE.

Aprenda a escutar. A vida fala através dos símbolos. Escute o que ela quer lhe dizer.  Viva cada obstáculos como algo a ser superado que irá lhe  levar a luz e a luz que receber, traga-a ao mundo para que outros possam acreditar que é possível. 

Para a humanidade inteira, pelos quatro cantos do mundo do tempo e do espaço, a mesma mensagem ecoa SEJA HUMANO.  Isso é necessário. Entendam o recado da natureza. SEJA HUMANO. Aprenda a ouvir e compartilhe a mensagem.

E todas as ferramentas da PNL que contribuíram na jornada, podem também ter utilidade para mais pessoas que estão com as mentes e os corações abertos para aprender o essencial e praticar na existência. 

Contribuição da PNL para tornar mais eficaz a jornada do Heroi

  • A mente precisa ser disciplinada pois se funciona sozinha, sem um comando, pode ser mais um instrumento maléfico do que benéfico.  A palavra mentira é derivada do radical “mente”, que ela cria história, imagina, e faz suposições que podem levar para a infelicidade ou felicidade. 

    Aprender como funciona a mente é de grande valia, para que possamos nos livrar dela.

    É meio que esdrúxulo disser isso, mas é isso mesmo. A mente é enganosa, e usa dos ignorantes para criar ilusões de que o visto, ouvido e sentido são verdade absolutas, quando são apenas criações visuais, auditivas e cinestésica. Deixar a mente à deriva é o caminho para se distanciar da verdade.

    Precisamos conhecer a mente para domina-la e dar espaço para a intuição, com a qual vamos poder entender os mistérios. O segredo é esse: Compreender todos os mecanismos mentais para impor-se a eles. 
  • Segundo o pressuposto da PNL, Mapa não é o território, quer dizer que temos um mapa de mundo constituído de cenas, sons e sensações que elaboramos para através dos cinco sentidos trazer o mundo de fora para dentro. No entanto este mundo de dentro não é a realidade, mas uma representação visual, auditiva e sensitiva. 

    Durante nossos anos de existência vivemos no mundo relativo e outro, absoluto, cada um com leis totalmente diferentes. 

    O mundo relativo, onde as coisas tem início, meio e fim,  é entendido pela mente concreta, analítica e dual que se conhece pelos contrastes do tipo: é possível distinguir o preto por existe o branco, feio e bonito, duro e macio, quente e frio, perto e distante, grande e pequeno,  etc. 

    O mundo absoluto, está mergulhado na eternidade, do abstrato, onde as polaridades se unem, e as ambiguidades se tocam, cujas leis são compreendidas pela mente intuitiva. 

    O herói é pontífice que faz a ponte entre o mundo relativo e o absoluto. E isto não é uma tarefa fácil, pois requer liberdade de reflexão, imparcialidade, não julgamento, abertura, desapego e capacidade para abstrair. 

Metáfora A parábola do filho Pródigo é a que mais descreve o retorno do Heroi. O filho deixa o conforto da casa do pai e vai vivenciar as experiências do mundo, dorme com as prostitutas, joga com os profanos e come com os porcos.  Em determinando momento, lembra da casa do Pai e resolve voltar e o Pai recebe com festa e alegria.

O Mito da caverna de Platão também fala do retorno a caverna. 

Mito a Caverna do Platão

A pessoa consegue sair da caverna, conhece a realidade e retorna para avisar aos outros as maravilhas da natureza. O herói retorna por pura amor.

 Quando precisar de mim, eu volto.

Epitáfio do túmulo do Rei Artur

Aprendizados

A essência é heroica no esforço de se impor sobre as aparências da matéria.

Todo o ato precisa ser dotado de sentido, profundo, que faça a diferença para si mesmo e para pessoas a sua volta. Que seus atos sejam dotados de sentido. 

Agora para sair da ignorância e chegar a sabedoria tem uma série de degraus para poder subir e vencer as inércias, enfrentar dificuldades, romper etapas e elementos a vencer.

Imagine vocês que no plano das ideias existe uma receita perfeita para vencer todos os estágios.

Diante da morte somente conta aquilo que se fez em prol do outro. Esta é a única riqueza positiva que ninguém pode tirar, e é possível levar para eternidade.

Nem sempre a crise é porque você está sendo punida; a crise é porque CHEGOU A HORA NO DESPERTADOR DA VIDA DE encerrar uma etapa e passar para outra.  A crise é um sintoma muito positivo, momento de crescer. 

Certifica-te que és um fator de soma na vida das pessoas (Frase de Cícero). Você vai conseguir ser um pouquinho melhor se as pessoas que conviveram com você também consigam ser um pouquinho melhor.

UMA CRISE é algo que morre e outra coisa que nasce. Cuidado para agir de forma a recusar aquilo que quer morrer. 

Esta vontade de se autoconhecer ainda vai lhe levar além

Se não tem uma consciência desperta, o homem vai se apegando ao que é passageiro nele. 

Sobre transitoriedade

  • É preciso aprender com as várias mortes diárias, não dá para deixar para morrer no final. O homem tem medo da morte porque não morre mil vezes ao longo da vida.  Se morresse mil vezes diante da vida, aprenderia a morrer e a renascer, e não teria tanto medo porque a vida está cheia de mortes.  Agora se você vai enfrentar somente uma morte lá no final, a morte fica um processo duro. O ÚNICO QUE VENCE A MORTE É O RENASCIMENTO. 
  • Seja indiferente ao transitório e não se deixe destruir por ele. O TRANSITÓRIO FAZ PARTE DO JOGO DE APARÊNCIAS. Quanto mais o homem evolui, mas fraterno se torna, mais ainda a essência de todos os seres está com ele e por tanto não é a morte física que vai tirar um ser do outro.  Não é a morte física que vai afastar você cuja essência aproximou do seu coração. 
  • A transitoriedade, eu acho que todos já tenham sofrido com isso.  No curso natural da vida, você vai passar por várias perdas e algumas bem dolorosas. E ficamos naquela perplexidade de não saber o porque do transitório. Com certeza a vida está querendo dizer alguma coisa com isso.  A vida não quer somente brincar de esconde-esconde, da gente pensar que tem as coisas e de repente não tem mais. 
  • Joseph Campbell responde a transitoriedade de uma forma muito interessante, ele propõe a gente dialogar com a vida, de ter uma compreensão do que ela está querendo dizer com isso, de tal maneira que a consciência sai do transitório e entre no permanente. Que encontre algo que é permanente em todos os estágios da vida. O que é real não se perde.
  • Trabalhe no sentido de encontrar o que é realmente seu.  Onde está este ponto, este centro de estabilidade que lhe permite estar sereno diante das aparentes perdas da vida. 
  • As alterações chegaram na vida e também vão passar, mas não podem roubar de você aquilo que você é. As alterações vieram e não é em vão. É para que você dê uma demonstração de quem você é, para que você dê o seu melhor, mas você sabe que o destino dela é virem e passarem, mas não vão levar a sua essência, porque aquilo que você é não pode ser tirado. 
  • Tem uma parte nossa que quer morrer e outra que está ai, gestando, querendo nascer. E isso é sadio, conviver todo dia com a morte e, ela não te assusta mais, porque você sabe como é.

Sobre crescimento

  • Crescer é preparar-se para ver o que é. Crescer é preparar-se para ver a realidade do universo. Nesta realidade EXISTE ALGO PERMANENTE, e quando nós temos os pés pousados no que é permanente, o TERRENO NÃO TREME, FICAMOS ESTÁVEIS, NÃO HÁ MAIS TRAJÉDIA PARA aquele que tem solo firme onde pousar os pés. Solo firme onde pousamos os pés é sabedoria da essência da vida. 
  • Existem crises de paralisia e crises de crescimento.  Nos momentos do amanhecer, a luz está tensionando para gerar a aurora. A aurora humana não é uma questão de relógio. A aurora humana é uma questão de consciência. O homem gera a sua aurora, senão fica mergulhado na noite a vida inteira. A maturidade humana é uma questão de consciência e não tempo. 
  • A maturidade humana é uma questão de conquista, de vontade humana. Chegou a hora e você quis. Se não quiser, você prolonga a noite indefinidamente.

Sobre a importância do sofrimento

  • Imagine a história da escada, chegou o fim daquele degrau, é hora de crescer. A vida coloca uma parede na sua frente, isso é a noite. Se você não olhar para cima e resolver crescer, vai ficar batendo contra a parede indefinidamente, ai vem a dor, a escuridão, o medo, vem as crises de paralisia. Se optar por crescer, vem novamente o dia, outro degrau. E vai permanecer nele até novamente dar de cara com a parede novamente, então é hora de crescer. 
  • As vezes em que o mundo desmorona teve o objetivo de impedir que ficasse vivendo no pequeno mundo, obriga a olhar para fora.   
  •   Este processo de negar a dor e valorizar o prazer é ruim, porque a necessidade faz o sapo pular, se a gente não sofre não cresce.  Se não deixar a vida espremer um pouco, o cidadão não sobe. 
  • Quando a pessoa sofre, aos invés de dizer: coitadinho, diga que você confia na capacidade de se reinventar, e que você não sabe de quantas maneiras vai usar para encontrar a saída, mas tem a certeza na capacidade.  Assim a bondade se associa a inteligência, senão gera dependência ao invés de crescimento. Até para ser bondoso preciso ser pedagógico. Vontade, amor e inteligência caminham juntos. Senão geramos uma bondade de dependência e não crescimento, Sinal de que não estamos utilizando bem a bondade 
  • E o que  foi é meramente uma ilusão, então a atitude é dialogar, ou seja parar de brigar com a vida e passar de um sofrimento destrutivo para um sofrimento construtivo que se resolve em um estado de serenidade e maturidade. 
  • Quero olhar para traz e ver quais os sofrimentos que lhe fizeram crescer e dizer: – Foi bem pago. Se não fosse isso eu não estaria aqui agora, nesse estágio de evolução”, ótimo.  No entanto, se olhar para traz e pensar que foi um trauma, é porque não foi resolvido, então somente gera dor e não consciência.  Vai ter que sofrer de novo, feito um repetente até extrair o aprendizado. 

Reflexões Adicionais

  • Mito é um conjunto de informações do passado e um pouco do mistério da Natureza. Há que transcender para entender o simbolismo, há que intuir o que estar por traz. Quem entende o simbolismo, torna-se mais intuitivo e entende a si próprio e entende a própria vida. Caso contrário flutuamos pela vida, banalizamos.  
  • O mito em que o herói morre, ele não morre fisicamente. Morre um grau de consciência porque ele renasce em outro. A morte é simbólica e ele renasce a serviço do universal. Ele morre para o egoísmo e renasce como um veículo.  
  • Os mitos são os modelos de todas as coisas manifestadas que existem antes que as coisas manifestadas teriam nascido. Antes do ser humano ter sido criado existe um modelo de como ele dever ser. E o homem deve sair correndo atrás de corresponder ao modelo, isto é chamado de evolução. ARQUÉTIPO quer dizer MODELO.  Cada vez que evolui fica mais parecido com o modelo.
  • Toda cultura da sociedade foi um aflorar de mitos que até então não tinham aflorados. Os mitos ao nascerem no mundo, elaboram a cultura humana. A verdadeira cultura que é aquela que nos incentiva a crescer. O que não nos incentiva a crescer, não merece o nome de cultura. 
  • Herói é a antítese do tirano, é aquele que resolve conscientemente se submeter as leis universais ou seja fazer aquilo que é justo, nobre e bom. O que é justo, nobre e bom, vem ao mundo através dele porque as causas dele não são mais pessoais. As causas agora são universais.  O herói é o tirano transfigurado, renascido. Trabalha POR UMA TRANSFORMAÇÃO REAL NO MUNDO E EM SI MESMO. O RESTO É SOMBRA
  • Homens que saíram do labirinto é uma herança preciosa para a humanidade.  O herói é vital para a sociedade porque recupera a crença do homem em si próprio. 
  • Evoluir é corresponder ao modelo no plano das ideias.  Na mente de Deus já existe um modelo perfeito e quando o homem cai aqui na terra, torna-se imperfeito por causa da resistência da matéria. Mas a boa notícia é que vamos evoluindo para coincidir com a ideia de Deus.  A grandeza do plano é que a perfeição não seja dada e sim CONQUISTADA.
  • Todos evoluem, até as pedras, são composição molecular vai ficando cada vez mais complexa. O universo é pleno de seres em evolução.  Até chegar a UNIDADE. Saiu da unidade e vai voltar para unidade. Os seres humanos sairão da ignorância absoluta e atingiram a sabedoria absoluta, enquanto ser humano, seja o máximo que pode ser.
  • Evoluir significa vencer os obstáculos. Se a pessoa lança mão da receita que existe no mito, ela pode vencer a dificuldade com muito mais facilidade. Aprende a subir escadas do jeito mais perfeito e transmite este conhecimento para a humanidade. 
  • Vitória sobre o pessoal e conquista do humano, ou seja o homem temporal, passa a ser um homem eterno e universal. Não trabalha mais apenas para suas intenções egoístas e sim para algo real no mundo e em si mesmo.
  • Parece que desde o momento que viraram a nossa ampulheta, a gente só foi perdendo. A areia somente vai caindo, a areia não sobe. Se a gente não aprende nada com a vida ela é um compasso de espera para cada vez perder mais

Deixa o vento entrar
Não importa o que ele traga
E em que direção venha
Receba o que o vento traz
Aceita  o que receber
A dor pode se instalar

O vento irá entrar
Mesmo que você não permita
Para que você possa viver
A única coisa a fazer
É pedir bons ventos 
serenos ou tempestuosos

E abrir as janelas
E respirar profundamente
Para tirar do ar as músicas
E quando você estiver gostando dos sons
Desapegue-se deles,
E expire suavemente
Devolvendo-os ao universo novamente
As coisas existem no movimento
Libere, desapegue
Deixe o vento entrar

– Magui Guimarães

Saiba como conseguir conciliar e coexistir pacificamente com suas partes e continuar a jornada. O Curso PNL da Escola de Ciências Comportamentais está com as inscrições abertas com início das aulas presenciais em Agosto, a sua jornada quem faz é você!

Curso PNL 2020