fbpx

Autor: maguiguimaraes

Prazer X Satisfação

Prazer X Satisfação

Prazer e Satisfação são sinônimos iguais, diferentes ou tanto faz?

Muitas vezes, por não saber o conceito de cada emoção, nos confundimos e deixamos de aprender com o que sentimos a cada momento. 

Mihaly Csikszentimihalyi, psicólogo húngaro, PhD, que pesquisou durante duas décadas os estados de “Optimal Experience” isto é, de experiência máxima do ser humano, faz a seguinte distinção entre Prazer e Satisfação.

Sentimos prazer quando nos contentamos com as funções biológicas de dormir quando sentimos sono, comer para saciar a fome, dormir para se restaurar de um dia exaustivo, descansar para relaxar o corpo e sexo para sentirmos prazer. 

O prazer ajuda a manter a homeostase física, o que gera uma sensação de saciedade. 

Logo depois de beber água, sentimos que o corpo está saciado, no entanto, o prazer não gera crescimento, não acrescenta complexidades ao self, e apenas o prazer do corpo não é suficiente para expandir a nossa consciência.

O prazer é fugidio porque o self não cresce com atividades prazerosas.

Porém, a Satisfação é o que sentimos quando realizamos algo além do simples desejo.

A satisfação é quando alcançamos algo inesperado ou além do que conseguia antes como: aprender coisas novas, jogar uma partida esportiva que utilize a nova técnica, fechar um acordo de negócios que requer alta performance.

É provável que a experiência não tenha sido agradável no momento, mas depois de concluída, sentimos satisfação.

Nosso self expandiu e se tornou mais complexo.    

O que é mais fácil: Satisfação ou prazer?

É lógico que é o prazer.

Prazer você ir ao shopping e fazer compras, mas satisfação tem que batalhar para conseguir, se esforçar durante anos para viver a satisfação de passar em um concurso, resolver uma equação, perder peso, falar fluentemente um idioma, tocar com maestria um instrumento. Satisfação demora, enquanto para sentir prazer é o bastante, comer uma boa lasanha. Quanto menos satisfação psicológica, o ser humano tem, maior é a necessidade de ter prazer biológico.  

Para ilustrar os conceitos de Mihaly sobre a diferença entre prazer e satisfação, lembro-me quanto trabalhei para passar férias em Fernando de Noronha e conhecer os golfinhos de perto. Foram meses fazendo hora extra e muito esforço para cumprir as metas. 

Finalmente, estava eu sentada em uma cadeira olhando o horizonte, sentindo uma calma profunda, olhando a dança dos golfinhos, que pulavam para fora da água, se encontrando no espaço e caindo novamente no mar e saindo dele, incansavelmente. Foram horas de observação no primeiro e segundo dia, mas no terceiro eu já apresentava sinais de monotonia, e no quarto dia estava totalmente entediada, pois nada acontecia de novo, os golfinhos continuavam lá incansáveis com seus saltos iguais e ininterruptos.  

Com o passar dos dias comecei a sentir saudades das imprevisibilidades, novidades e do esforço mental em dar respostas inteligentes aos desafios. 

Então, para diminuir o tédio, os dias seguintes foram de completo prazer, comendo peixes com temperos variados, massagens com cremes perfumados, e em virtude da falta de atividades que exigissem mais complexidade, estava atrofiando a energia mental, e ao final do dia nada havia acrescentado de novo, nenhum aprendizado e muito menos a satisfação de ter vencido algum desafio.

Entrei em um ciclo vicioso: por falta de atividades de superação, buscava recompensa intensificando os prazeres da comida e da bebida e do descanso. Assim, o corpo adquiriu peso e a mente entrou num processo de entropia psíquica. Comecei a atender porque a ociosidade é tão danosa a mente humana.

Sem desafios a vencer, há ausência de crescimento e estagnação que era facilmente preenchida de imediato com um pedaço de pizza que por sua vez gerava prazer e nada de satisfação.

Assim acontece com o executivo insatisfeito com seu trabalho, entediado com suas tarefas, fica pensando que se comprar um barco maior, ou aparelho de som mais potente, será mais feliz, no entanto o prazer da compra é momentâneo  porque com uma semana bota o barco de lado e precisa de um avião. 

A vida se torna um problema quando a busca de qualidade de vida está em torno do prazer. 

Este hábito de buscar prazer biológico, acaba se tornando um vício, causando dependência e compulsão na ilusão de que ter muito prazer traz qualidade de vida. Na verdade, o ser humano tem uma  necessidade real de satisfação com a superação de desafios. Não haverá qualidade de vida autêntica a não ser que se aprenda a construir satisfação. Aquele que tem muitas tarefas a executar pode ter estresse mas satisfação é alcançada quando o desafio é um estímulo para resgatar o potencial de crescimento e aprendizado. 

É urgente entender a diferenciação entre prazer e satisfação e concluir que o que realmente preenche o ser humano é a satisfação da recompensa de ganhar a medalha, depois do esforço de treinar exaustivamente durante quatro anos para subir no pódio. Lógico que não se pode ser contra o prazer pois é uma experiência sensacional. O problema é quando ele se torna o substituto da satisfação, quando começa a usar o prazer como forma de compensação por falta satisfação.

Quanto mais satisfeita psicologicamente a pessoa está, menos prazer biológico a pessoa necessita.

A PNL

A Programação Neurolinguística – PNL ensina a disciplinar e educar a mente a ficar cada vez mais esperta e disposta a realizar metas e especificar objetivos.  

A PNL ensina a ressignificar o desafio como uma oportunidade de gerar expansão mental, tem ferramentas para resgatar o potencial adormecido e obter a realização para viver uma vida com prazer e satisfação.    

A Páscoa é um convite…

A Páscoa é um convite…

Quando meus filhos eram crianças, eu escondia os ovos de páscoa em diferentes espaços da casa e era uma alegria quando um encontrava e os outros se apressavam em bisbilhotar as estantes, as gavetas, em cima da geladeira, em baixo da cama…até no meio das flores do jardim.

Às vezes eu dava dicas: “passarinho no ninho” era o mote de que o ovo estava escondido na parte de cima, e “cobra no buraco”, na parte de baixo.

Entre as recordações de crianças ávidas em dar uma mordida no chocolate, lembro do forte símbolo do ovo como semente da vida que desperta de dentro para fora, e do coelho trazendo a ideia do quanto somos férteis para gerar infinitas possibilidades de aperfeiçoamento.

Já assisti inúmeras vezes o filme de Moises levando os hebreus do Egito para a Terra Prometida e até hoje, fico angustiada pensando que não vai dar tempo para passar todo mundo.

Mesmo tendo visto a cena por muitas vezes, fico pedindo para eles andem mais depressa, senão as águas do mar se fecham, e a coisa fica “preta”.

Entendo teoricamente a Páscoa como uma passagem de uma condição de escravos dos instintos para a libertação da alma, um ideal perfeito, mas na prática não é tão fácil a passagem das trevas para a luz. Isto requer vencer os vícios do ego e querer o bem do outro mesmo que este outro não queira o meu bem. No entanto, me percebo não honrando a luz que minha mãe me mostrou no meu primeiro nascimento.

Esta reflexão veio à tona, porque com a pandemia fui tirada da arena, e colocada na arquibancada assistindo de longe a falta de sentido em levar uma vida caótica, repleta de compromissos com foco em interesses individuais, sem sobrar um tempinho para a construção de vida interior.

Toda primavera vem a Páscoa e eu almejo que algo melhor floresça para coroar o meu segundo nascimento para uma vida mais espiritualizada, porém uma outra parte de mim somente pensa na mera sobrevivência.

Teoricamente entendo a necessidade de florescer no jardim do divino, mas o avanço é muito pequeno diante de minha sede de alma.

Há uma distância muito grande entre a centelha que quero ser e a pequenez em que me encontro, e estou cansada de banalizar minha vida quando devia sacraliza-la.

A cada ano, em cada primavera, almejo mais afinidade com a luz que deveria se impor acima de qualquer outro interesse pessoal, mas ainda assim me vejo querendo brigar por uma vaga no estacionamento.

Decepciono-me comigo mesma, respiro fundo, e resolvo começar de novo… O bom soldado treina um pouquinho todo dia. Um dia farei o parto da própria alma, e criarei habilidades para ajudar em outros..

Com setenta anos ja não tenho muito tempo e querendo apressar posso quebrar o ovo de fora para dentro, e dessa forma o pintinho vai morrer. Para que o pintinho viva, o movimento é de dentro para fora, e no tempo dele. Então para não matar o bichinho, o jeito é esperar o momento que a vida sutil desperte de dentro para fora.

A Páscoa em plena pandemia é uma oportunidade de uma páscoa legítima de poder entrar para dentro e desenvolver um movimento interno.

Podemos apressar o nosso despertar espiritual vivendo de forma coerente com as leis do poder superior e através da prática das virtudes plantar algumas sementes, e dessa forma, a cada Páscoa, conseguir um pequeno avanço, sem ser necessário um passo além do que as pernas possam alcançar.

A Páscoa é um momento onde o cenário está montado para convidar o homem a despertar, renascer após conseguir a vitória sobre si mesmo.

Todos os anos é uma chance de fazer o parto da essência divina.

Os ciclos se renovam e ano que vem tem Páscoa de novo, e quem sabe eu consiga algum despertar. Resta-me aceitar que neste ano, por pequeno que seja meu despertar, possa ser pleno, verdadeiro e acima de tudo consciente.

Luzes para todos nós!

PNL e o Poder da Imaginação

PNL e o Poder da Imaginação 

Assim como o Cosmo com todas as galáxias, planetas e estrelas, foi pensando pelo Criador Universal, tudo que existe no mundo foi planejado, do tipo: A lâmpada, o carro, o liquidificador, a cadeira, a planta da casa e tudo que vemos nos campos fórmicos, veio da cabeça de alguém.

Nesse artigo, vou falar sobre a PNL e o poder da nossa imaginação, como ela é muito mais poderosa do que muitos imaginam e consegue nos levar longe e quebrar limitações.

A Imaginação Move Montanhas

A imaginação, este atributo humano fantástico, que pelo que sabemos até agora, nenhum outro ser vivente tem, é uma maneira de nos transformar em criadores. Segundo os sábios da antiguidade, a imaginação move montanhas.  No entanto, é preciso criar uma visão, uma imagem dentro da mente, o importante é que esta imagem retrate os valores humanos: ética, bondade, sabedoria, virtudes.

A Imaginação é como o sol do homem!

Paracelso

A imaginação é como o Sol do homem.

Nossa imaginação é pródiga e às vezes é usada sem nenhuma finalidade ou benefício. É como se jogássemos pérolas aos porcos. Com tanta coisa que podemos sonhar para ajudar a humanidade, tem pessoas que gastam este poder com coisas fúteis.

A PNL, a Imaginação e a sua vida 

E a sua vida? Qual a visão que você tem?  Quem você quer se tornar? Sócrates dizia que sua identidade está no horizonte, como uma forma poética de dizer da necessidade de desenhar nossa vida no futuro, na sua frente, e caminhar na sua direção.  

Quando falo desenhar o que quer ser, digo, qual o comportamento,  pensamento e sentimento?  

Cada ação precisa retratar um valor sublime que esteja no âmago do seu ser e possa ser escrito no céu.

Trata-se mais de ser do que parecer ser, revelar em cada simples ação do dia-a-dia, a pureza oculta do coração. Walt Disney dizia que se é possível sonhar e imaginar com clareza, é possível realizar. 

Como você se vê no futuro? Não vamos entregar nossa vida ao acaso, como fala a música, “Deixa a vida me levar, leva eu…”  É possível usar a força da imaginação para fazer da existência, a manifestação de nossa essência que é o que temos de melhor, aplicando na rotina, algo simples que pode começar pela forma de respirar, de olhar a natureza, de sentir o vento.      

Se você sonhar com uma humanidade mais fraterna, você estará contribuindo para que ela seja assim, afinal, os sonhos do passado, se realizam no futuro.

Vamos primeiro criar a ideia. Você pode fazer como os cantores antes do show, fazer um ensaio de como quer atuar no palco da vida, e apresentar no futuro o espetáculo para o qual nascemos. No ensaio, escolha as ações que levam ao caminho da qualidade de vida interior, esta riqueza de valores, virtudes e sabedoria que irá construir um final FELIZ.     

O fim do espetáculo é o que dá sentido para cada respiração, para cada palavra, para cada gesto de fraternidade por menor que seja.    

Imaginar uma vida que se justifica é usar a mente no presente, dar sentido elevado a cada momento. 

Imaginação é criar histórias. Já assistiu a minha reflexão sobre o tema? Clique aqui!

E  com a Programação Neurolinguística – PNL é possível aprender a usar a mente para escrever histórias memoráveis, de bons combates, revelando o herói dentro de todos nós!

Quer aprender técnicas e ferramentas da PNL para superar medos, quebrar crenças limitantes e conquistar objetivos? Assine o canal com vídeos exclusivos sobre a PNL, toda semana novos vídeos.

Descubra como acessar técnicas da PNL para ter inteligência Emocional

Descubra como acessar técnicas da PNL para ter inteligência Emocional

As emoções são muito importantes, no entanto podem nos atrapalhar se não sabemos usá-las com inteligência. O descontrole emocional faz com que se perca a razão e com isso o respeito próprio, além de denegrir nosso conceito perante outras pessoas. 

Inteligencia Emocional

O ideal é ter o domínio emocional para prevenir ações impulsivas. 

A primeira maneira de evitar ações impulsivas é utilizar o recurso da Programação Neurolinguística – PNL, em que usa a respiração de tal forma que possibilita a pessoa a parar, refletir e escolher a melhor ação, isto é a resposta mais adequada para a situação.

Quando a pessoa respira proporciona um espaço de tempo para que a informação chegue no Neo Córtex que é uma região localizada no cérebro, cuja função é pensar nos prós e contra de cada ação, ou seja fazer um balanço dos benefícios e malefícios de cada resposta comportamental, gerando em decorrência de uma análise, ou seja a escolha de um comportamento mais adequado para reagir. 

Treinando constantemente, esta técnica vira um hábito e se integra à identidade da pessoa.

Pessoas Proativas

Estas pessoas são consideradas proativas, pois decidem antes qual o melhor comportamento, ao contrário das pessoas reativas que simplesmente agem no impulso e se arrependem depois.

Pessoas proativas que usam o P.R.E, param, refletem e escolhem qual o melhor comportamento, em situações objetivas como: reunião de negócios, decisões complexas, resolução de conflitos, negociações. 

Nestes casos, o lado racional é mais útil pois trará melhores condições para decidir sobre aspectos objetivos da vida.

Os proativos podem inclusive, se darem ao luxo de serem emocionais em situações subjetivas, como: namorar, dar carinho para o filho, ver uma obra de arte, em reuniões e festas em família, escrever uma poesia, de tal forma que a emoção vai estar presente em momentos específicos em que são bem vindos e necessários. 

Feliz

Inteligência emocional não é excluir emoções e sim saber usá- las em contextos adequados. Descubra assim a delícia de ser emocional!

O ser altruísta, como ele pode ir além?

O ser altruísta, como ele pode ir além?

Augusto Comte, um filósofo francês que formulou a ideia do positivismo, fala sobre a palavra “altruísmo”, como uma virtude social, imprescindível para vivermos em sociedade. 

Nesse artigo eu vou falar sobre o que é o altruísmo, como a psicologia o traduz e os impactos de ser um ser altruísta.



Origem e contexto

A palavra vem de “alter” (que quer dizer o outro) que mostra a importância de se ocupar com o outro, de considerar o outro e assim viver uma vida em sociedade.

Darwin propôs que o ápice da evolução humana é quando o indivíduo consegue ter empatia, simpatia por outros seres humanos.

Na biologia há uma alteração benéfica no organismo quando se pratica o altruísmo. Aumenta serotonina do bem estar e também fortalece a humanidade.

Na psicologia o altruísmo elabora emoções mais sutis que impactam positivamente no bem estar psicológico. No entanto, se o contexto for competitivo, a tendência da personalidade é para o individualismo, já que a lei é se eu não cuidar do meu, os outros vão se apoderar dos meus pertences.

Quando o contexto é cooperativo, há mais disposição interna da nossa personalidade querer pensar no outro.

Na visão da filosofia, o homem nasce generoso, o homem é fraterno na sua origem, mas à medida que vai convivendo irá perdendo o contato com a origem e acontecem deformações, as quais necessitam de leis para se estabelecer limites de comportamento. 

Neste caso a regra de ouro é não faça para os outros o que você não quer para você. Kant diz que aja como se o seu ato possa ser uma lei universal, e assim a ação deve beneficiar o universo inteiro, e o homem mostra a capacidade de olhar para além do que lhe interessa, agir em benefício de outro independente se vai nos beneficiar ou não. 

Evolução Espiritual

O homem tem a possibilidade de realização e sentimento de felicidade quando se faz algo que beneficia o outro. Espiritualmente, no livro a Voz do Silêncio fala da ilusão da separatividade, e consegue conquistar o conhecimento que estamos unidos por algo maior.

Evoluir espiritualmente é olhar o outro, e a natureza para além dos interesses da nossa personalidade, como uma unidade da qual tudo e todos fazemos parte. Imagine que cada ser humano é uma pérola, mas no centro dessa pérola tem um espaço onde passa um fio que une todas as pérolas e forma um grande colar.

É bom lembrar que o altruísmo inteligente vai além de ser “bonzinho”, e sim, dar ao outro o que ele precisa para evoluir. É escutar para entender e ajudar no que é primordial para a alma.



Ponte para o futuro

Ao fazer uma Ponte para o futuro, praticando as duas possibilidades: com o egoísmo e o altruísmo, podemos ver o quanto o egoísmo trará problemas para a nossa vida, e o quanto o altruísmo nos trará a verdadeira felicidade.

Tem-se a ilusão de que ser altruísta é fazer um bem a outrem. No entanto, quando se faz um bem a alguém, o primeiro a sentir-se bem, somos nós mesmos. O bem faz bem a quem oferece e a quem recebe.

É gostoso estar na convivência com o outro, não pelo resultado mas pela qualidade da experiência. O bem traz saúde física e psicológica e até espiritual.

É provado que quando fazemos o bem, fabricamos enzimas que aumentam a imunidade e nos trazem uma sensação de valor somente pelo fato de respirar.


A PNL – Programação Neurolinguística ensina a criar estados de poder, segurança, confiança, criatividade e capacidade através da escolha consciente da linguagem correta e o resultado é orgânico.

Como acontece o processo de ancoragem de estados internos de recursos

Como acontece o processo de ancoragem de estados internos de recursos

Todos sofrem com situações limites e ao fugir delas, perdem a capacidade de enfrentá-las, o que será um desastre, um desperdício de uma vida.

Para dar um sentido a toda adversidade, faz-se necessário adquirir alta performance, porém trata-se de um processo construindo dentro de cada pessoa, utilizando a memória que irá servir de anzol para resgatar os melhores estados internos.

A maneira mais simples de evocar um estado emocional é se lembrar de uma experiência passada em que vivenciou o estado com muita intensidade e clareza. Para facilitar, deve-se trazer para o presente a cena do momento com todos os elementos visuais, auditivos, inclusive as sensações.

Na PNL este processo é chamado de ancoragem e é uma das técnicas mais efetivas para canalizar construtivamente nossas poderosas reações inconscientes, de forma a estarem sempre ao nosso dispor.

A ancoragem é um mecanismo consciente que fará com que crie o estado que deseja em qualquer situação. Quando a pessoa ancora alguma coisa, com

bastante eficácia, o recurso estará lá, sempre que precisar. 

Ancoragem é a técnica mais efetiva para acessar reações inconscientes de forma a estarem sempre ao nosso dispor. 

Podemos sempre ter acesso aos melhores recursos.

A imaginação nos prepara para vivenciar a realidade. A imaginação bem dirigida cria potencial para a mudança.

Você pode acessar o processo antes de falar em público para trazer segurança e leveza para sua apresentação e perceberá como ensaiar a mente, faz uma grande diferença.

Experimente e verá. Como proceder para ancorar recursos:

  1. Identifique um padrão de excelência que quer multiplicar.
    Ex.:aprendizado positivo. Identificando a experiência.
  1. Desenhe a linha do tempo (presente, passado e futuro);
  1. Lembre de um momento em que você teve um aprendizado positivo;
  1. Associe-se à experiência como se ela estivesse acontecendo agora (vendo, ouvindo e sentindo);
  1. Dê um sinal quando estiver no auge da experiência;
  1. Ancorado no auge da experiência, entre no presente da linha do tempo, de tal forma que esteja de costas para o passado e de frente para o futuro;
  1. Tendo como GUIA esta sensação de capacidade de aprendizado positivo, pesquise três experiências que podem ser, a mais RECENTE, a mais INTENSA e a mais ANTIGA;
  1. Caminhe na linha do tempo até encontrar as três experiências;
  1. Agora faça uma ponte para o Futuro e decida ONDE e QUANDO vai utilizar este potencial.
Agora, como está a sensação na sua capacidade de aprender?

A pesquisa de recursos através da memória nos auxilia a resgatar no arquivo do cérebro, os recursos que estão no inconsciente e queremos trazer para o consciente. 

Quando uma pessoa através da fala, mandar o comando: 

“Quero todas as sensações de segurança vividas”

.. o computador do cérebro vai buscar no arquivo das sensações de segurança que estão no banco da memória.

O cérebro é dadivoso para entregar as informações catalogadas e organizadas, precisando apenas que o usuário declare verbalmente o que quer resgatar. Nosso cérebro sabe como fazer: mas nós não sabemos o que o cérebro sabe. É preciso aprender como acessar a fonte de sabedoria infindável do ser humano usando recursos simples como a memória.

Quando uma pessoa resolve trazer para o presente todos os momentos felizes do passado, no mínimo, irá viver melhor.

Gostou desse artigo? Continue acompanhando outros conteúdos pelas redes sociais e o canal no youtube

Quer saber como se preparar espiritualmente para a vida? Curso PNL aplicada à inteligência Espiritual On-line. 

Como preparar a minha mente para um novo ano!

Como preparar a minha mente para um novo ano!

De repente o tempo passou e você viveu 365 dias entregue às distrações, demandas profissionais, pessoais, familiares, levou o carro para consertar, pagou contas, foi ao dentista, ao shopping mas não viveu intensamente cada minuto.

Chega janeiro e é hora, de fazer um balanço. Passa-se o ano inteiro, e afinal para que serviu o ano que se passou em nossas vidas? O que aconteceu de realmente evolutivo?

É comum fazer uma promessa em dezembro, que tudo vai ser diferente e, esquecer em janeiro, e vem o carnaval e tudo acaba em samba, suor e cerveja, mesmo em pandemia, aliás, até pela pandemia, muitas coisas são deixadas pelo caminho.

Até quando vamos repetir esta receita de fazer projetos em dezembro que serão esquecidos em janeiro? Quando temos responsabilidade em usar o tempo de forma produtiva. Um dia vai chegar e vamos ter de prestar contas.

Que tal estabelecer metas mais internas de você para com você mesmo?

Pergunte-se quais os meus reais impedimentos para ser mais fraterno, generoso, humildade, tolerância, paciência. O que me faz permanecer no degrau de baixo, e o que me fará subir para o próximo degrau.

Que tal pedir que no ano que vem haja mais oportunidades de ser mais amoroso e menos orgulhoso, ser mais altruísta e menos egoísta, ser mais fraternal e menos individualista.

Que tal ser um meio para realizar os fins da natureza?

Que tal cuidar das Sementes e das Raízes? Sonhamos com flores e frutos, mas não cuidamos das sementes e das raízes. Busque agora, porque os frutos do presente, tem suas raízes no passado; e os frutos do futuro encontram suas raízes e suas sementes no agora.

Se no ano que vem quer receber as flores e os frutos da sabedoria, que tal plantar uma decisão no plano mental e ter mais perseverança no plano material?

Renovar não é apenas uma proposta de início de ano e sim para o resto da vida. 

Plante agora o que quer colher no ano que vem! Se quer colher amor, amizade e felicidade, em todos os próximos anos de sua vida, aprenda a levá-los consigo em seu coração.

Círculo da Excelência – Aprenda essa técnica da PNL

Círculo da Excelência – Aprenda essa técnica da PNL

Somos seres de experiência e a vida nos presenteia todos os dias com situações diversas com a finalidade de adquirirmos maturidade. 

Assim, vivenciamos situações de estresse, medo, tristeza, dúvida, ansiedade e vamos aprendendo também como sair delas mais fortes e engrandecidos.

Esse artigo é justamente para encontrarmos soluções que estão dentro de nós e não acessamos por falta de conhecimento.  

Os desafios

Algumas situações são mais fáceis de encontrar a saída do labirinto, outras são mais desafiadoras, em todas elas, quanto mais estivermos tranquilos, melhor será nossa performance.

O que é mais importante do que estar em um bom estado interno para tomar boas decisões, fazer negociações, resolver conflitos, meditar, educar os filhos. 

Mas como fazer isso?  

Quando estamos estressado, com medo, triste, ansioso estamos na pior performance.

Para namorar, dar palestras, estudar, aprender e tudo mais é mais fácil de fazer quando estamos em um estado de recursos. Todos nós nascemos com todos esses recursos necessários para vencer os desafios, no entanto, é preciso aprender a resgatá-los dentro de nós.  

O Círculo da Excelência – Ferramenta da PNL

A Programação Neurolinguística – PNL tem uma ferramenta chamada círculo de excelência que usa a imaginação para poder acessar  melhores recursos nas piores situações.  Vamos ensinar os passos:

Passo 1
Esteja em pé e Inicialmente relaxe. 
Quanto mais relaxado você estiver, melhor será o resultado. 
Solte braços, mãos, e se possível o maxilar, deixe sua língua relaxada.  Imagine se você estivesse duas vezes mais relaxado do que está agora…

Como seria? Se você estivesse duas vezes mais relaxado do que está agora, como respiraria? Se você estivesse duas vezes mais relaxado do que está agora, como estariam os seus braços, pernas,  abdômen e tórax?

Passo 2
Imagine agora que existe na sua frente um tubo de luz que vem do alto e você dará a ele a cor que quiser.

Passo 3
Use sua memória para pensar em um recurso para se sentir melhor, como por exemplo: paciência, segurança, tolerância, amor próprio, confiança, tranquilidade
> Escolha o sentimento que mais lhe aprouver. 

Passo 4
Imagine que dentro desse tubo você queira torna-lo repleto de paz. 
Após imaginar o tubo vibrando o sentimento da paz, você irá perceber que uma forte energia o chama para dentro deste tubo.  

Passo 5
Antes de entrar no tubo, deixe tudo que lhe incomoda aqui fora.

Passo 6
Quando estiver vazio de todo pensamento limitante, dê um passo a frente e entre no tubo, onde o sentimento de paz está vibrando em alta intensidade

Passo 7
Ao entrar o tubo de luz sinta a energia.
Você está mergulhado neste sentimento de paz profunda. 
Você está sendo banhado por este sentimento de paz. 
Cada célula do seu ser, está recebendo agora este sentimento.  

Passo 8
Este tubo de luz cristalina com as cores e os brilhos desejados por você está trazendo tudo o que você precisa receber nesse momento. 

Passo 9
Respire profundamente, e ao inspirar pelo nariz imagine que está entrando em seu organismo, a sensação de paz que invade todo o seu ser.

Passo 10
Deixe que o ar saia pela boca, o mais lento que puder.
Ao deixar o ar sair, imagine está saindo do seu corpo tudo aquilo que não quer mais… impaciência, por exemplo. 
E continue, através da expiração, colocando para  fora, todos os estados e sensações que você não quer mais sentir. Por exemplo: ao inspirar a paz, expire a impaciência.
> Faça a respiração da forma mais lenta possível.

Passo 11
Deixe a paz entrar e sinta a sensação de tranquilidade em todas as partes do corpo, da cabeça aos pés, intensifique.
Se você estivesse duas vezes mais em paz, como seria? 
Como estariam seus músculos do rosto, do tórax, abdomem, braços e pernas.
>> Se você estivesse duas vezes mais em paz,  quais imagens surgiriam em sua mente?
>> O que você diria para você mesmo?
>> Qual seria a sua  fisiologia? 
>> Se você estivesse duas vezes mais em paz, como se sentiria? 

Passo 12
Faça a mesma coisa com as sensações de segurança, felicidade… formando um círculo de Excelência.

Passo 13
Agora que está repleto de sensações fortalecedoras, intensifique…
>> se você estivesse duas vezes mais confiante do que está agora, como seria?
Você pode esboçar um leve sorriso nos lábios. 

Passo 14 – FINAL
Dê um passo para traz, saindo do círculo mas trazendo consigo toda a experiência. 

Repita  este exercício várias vezes, e irá perceber que os momentos de desafio podem se transformar em  oportunidades crescimento.. 

Veja no meu canal no YouTube como fazer o passo a passo do círculo da excelência, clique aqui ou na imagem abaixo:

Gostou do artigo? Continue nos acompanhando aqui no Blog e pelas redes sociais. Sempre com conteúdos sobre a Programação Neurolinguística e a jornada em busca do autoconhecimento. 

Assine o canal de vídeos exclusivos, por lá, conteúdos toda semana com técnicas, ferramentas e exercícios da Programação Neurolinguística.