fbpx

Categoria: PNL

O medo de perder o amor

O medo de perder o amor

A palavra “amor” é muito cantada porque é pouco vivida. E cada pessoa vive o amor do jeito que imagina que ele seja. Em minha vida, à medida que foi amadurecendo, o amor foi se configurando de vários aspectos.  

Quando jovem imatura, alimentei um amor obsessivo, dependente e ciumento. Queria que o ser amado tivesse olhos somente para mim, o que gerou um desequilíbrio na minha relação com o parceiro, e aos poucos, compreendi a tremenda degradação do amor, beirando o patológico com possibilidades de chegar ao trágico.  

Depois resolvi viver o amor na brincadeira, no flerte, e usava da juventude para me fazer atraente e querida, mas um “amor” sem compromisso, sem profundidade, até perdeu a grança. Muita superficialidade e pouca sensação de completude.   

Outras Formas de Amor e Amar

Passei então a amar as experiências intensas, passionais com todo o romantismo das novelas mexicanas, mas o ciclo se esgotou. Foi como comer chocolate, gostoso e passageiro.  Cansei de amar feito fogos de artifício. 

Passei então a amar viajar e conhecer muitos lugares interessantes, culturas diferentes, museus, aventuras, mas com o tempo percebi que o melhor da viagem era voltar para casa. 

Passei a amar as origens. Lembro-me da satisfação que eu sentia quando o avião pousava em território brasileiro. E com isso, desenvolvi uma mania de sair de casa pensando na delícia do retorno ao lar, ao cantinho onde estava acostumada e me reconhecer como dona do espaço. 

Mas, com o passar do tempo, comecei a ansiar por descobrir o lar de origem, para o qual um dia todos retornaremos. 

Quando as crianças nasceram conheci o amor maternal, sentia-me realizada alimentando os pequenos, cuidando deles ainda indefesos.  Considero o mais puro dos sentimentos, porque deseja o bem do outro, sem esperar contrapartida.          

Outro sentimento belo é amizade verdadeira, com vínculos profundos, um amor virtuoso, desapaixonado, um companheirismo, sem ligação íntima ou carnal. São amigas e amigos com os quais aprendi a satisfação em ajudar e tenho a certeza de que com eles posso contar.

A idade mais avançada me trouxe o amor pelas realizações, que tiveram um efeito terapêutico.  Desenvolvia projetos, executava muitas ações como um antídoto para aliviar o vazio, eliminar os pensamentos destrutivos e construir um estado de serenidade. A atividade me faz sentir viva e querer conhecer mais.

O hábito da leitura foi importante para desenvolver o amor pelas ideias, busquei conhecer pensadores, filósofos, gurus, líderes espirituais, conselheiros, mestres que estimulavam em mim a ânsia pelo conhecimento, o que me fez viajar para Índia e sentir a gratificação de ter experiências mútuas.  

Viagem interior

Agora, procuro viajar para dentro de mim mesma, em busca do meu mestre interior. Passei então, a amar minha companhia, estar sozinha comigo mesma, a ser a minha melhor amiga, aquela pessoa que se curte e se aceita, e assim desenvolvi um amor próprio, um senso de valor e dignidade, um cuidado com o corpo e com a mente, veículos que recebi para atuar no mundo.  

Nesta viagem interior, senti a necessidade de organizar a mente, estudei   Programação Neurolinguística – PNL e aprendi a importância do uso  correto das palavras. 

Passei então a usar o verbo amar de forma adequada. 

Antigamente eu dizia “Eu amo calça jeans”, ou “Eu amo chocolate”, “Eu amo viajar”, “Eu amo praia”, mas agora, digo: “Gosto de calça jeans”, “Amo meus pais” e “Adoro a Deus”.  Afinal, existe um verbo apropriado para cada experiência. A palavra tem uma força vibracional de tal forma que é preciso falar um verbo que define corretamente cada emoção, cada sentimento, pois quanto mais o ser humano é capaz de nominar os seus sentimentos mais consegue discernir a experiência emocional trazendo assim mais equilíbrio.

O ideal é ter uma riqueza de vocabulário para usar a palavra correta que nos estabiliza e enobrece e possibilita criar um estado de grandeza e normalidade.

Com a mente organizada e as palavras adequadas, criei espaços para apreciar o amor a Deus. Embora não saiba explicar, eu sinto que existe um mistério em tudo e acredito em uma força superior, em leis que regem o universo e que tudo tem um sentido, uma lógica, uma ordem sublime.

Até quando nada acontece, há um milagre que não conseguimos ver 

Guimarães Rosa. 

Conclui então que a melhor maneira de amar a Deus, é dedicar-se a coletividade e tive momentos de querer fazer caridade e ter compaixão pelos necessitados. Embora admire os altruístas, aqueles que fizeram sacrifícios para o bem de outras pessoas, ainda me encontro recebendo muito mais do que tenho capacidade de doar. 

Sofro pelos que morrem sem ter completado o ciclo de vida, mas ainda assim, não morreria por eles. No fundo tenho inveja de quem é bom e serve ao outro, simplesmente por  amor ao serviço acima dos seus próprios interesses e de forma despretensiosa. 

Resta-me reconhecer minhas limitações, e confiar que a misericórdia divina criará condições para que minha evolução se concretize, e perceba a necessita de ter amor aos fatos, de tal forma que   todos os acontecimentos, quer agradáveis ou desagradáveis, sejam aceitos como um chamado para evolução. 

Crescimento

Tudo o que me acontece é para regar as sementes que me levam a aprender e crescer. Cada fato é o medicamento certo, prescrito milimétricamente para mim. A vida é justa, e a dor é necessária para que meu ego pare, reflita e escolha o melhor para o meu crescimento. 

Tudo que acontece é para o meu bem. Meu passado não é mais um peso e sim uma escola de vida para o meu aperfeiçoamento, para chegar onde cheguei. Integro o meu passado e amo o meu destino que não sei exatamente como será. Mas me entrego e aconteça o que acontecer, irei extrair um aprendizado. Estou aberta para o que der e vier.

É melhor confiar naquilo que vem pois, a natureza sabe do que eu preciso e traz todos os ingredientes para o crescimento humano.  

Hoje tenho a consciência da necessidade de amar o amor, de retribuir este amor misericordioso do Pai que tem me dado mais do que mereço. O “amor” que está fora, ou seja, nos objetos, nas situações e pessoas, é circunstancial e pode ser perdido a qualquer momento.  Talvez a palavra apego seja mais assertiva para denominar o amor que precisa de uma razão forte para existir. 

O amor não quer nada para si, a não ser a capacidade de amar e se alegrar com o bem do outro, independente do que o outro faça ou seja. Acredito que quem tem medo de perder o amor é porque não o tem dentro de si.   

Tenho esperança de um dia poder sentir o verdadeiro amor que não precisa de nada para se manifestar posto que o amor se realiza em si mesmo e se plenifica no coração de quem o sente. 

A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – PNL irá lhe ajudar a vivenciar de forma saudável todas as emoções internas e externas e agir na inteligência psíquica e emocional. 

Já conhece o nosso canal de assinatura? Ele é um passo importante na jornada em busca do autoconhecimento e competências comportamentais! Toda semana novos vídeos, clique aqui!

Como preparar a mente para a pós pandemia?

Como preparar a mente para a pós pandemia?

Desde o final de 2019, o Coronavírus está presente em nossa rotina, no início de 2020 essa doença ganhou status de pandemia e desde então trouxe meses de isolamento social, mortes, mudança de comportamento, novas rotinas e uma pergunta: Como podemos preparar a nossa mente para a pós pandemia?

Mente sã

A curva parece estar em declínio e francamente, este assunto de pandemia precisa ser reinventado. Apoio a insistência em trazer as notícias das mortes como uma alerta para se ter mais cuidado, no entanto, de forma responsável. 

O desafio

Parece que alguns não querem entender, outros entendem, mas preferem morrer. Talvez uma diminuta parte da população queira aprender a mensagem do vírus.

Através desse micro organismo a natureza está querendo evitar uma catástrofe maior quando avisa que a falta de cuidado com o planeta gera reações letais.  

Obama em seu discurso para uma turma de formandos diz que esta pandemia juntamente com outros problemas de desigualdade econômica, diferenças raciais, falta de acesso a saúde e a educação, veio mostrar que quem está no comando não sabe o que está fazendo e é de responsabilidade dos jovens de hoje cuidarem das gerações de amanhã. 

É fato que as velhas formas de se fazer as coisas simplesmente não funcionam.     

Porém, há que enfrentar com a confiança de que novas soluções surgirão a partir do aprendizado com os erros do passado. 

O mais importante é fazer o que é certo, baseado em valores elevados como: honestidade, trabalho duro, responsabilidade, justiça, generosidade, respeito e ética ao    invés de escolher o fácil ou gostoso, ou o que traz lucro, ou popularidade.  E ainda, carece de construir uma comunidade.

Ninguém faz grandes coisas por si só. Até para você ser ninguém, precisa de alguém.  O outro é parte da rede que sustenta todos, segundo Fritjof Capra no livro A Teia da Vida. 

Um sistema sustentável cuida do mais frágil, pois a corrente quebra no elo mais fraco.

É preciso ir além do entendimento da mensagem que a natureza está nos enviando  e partir para a ação: evitar poluir as águas rios, consumir menos, cuidar do ar, diminuir a exploração dos recursos naturais porque se não for por amor a natureza, é porque é um caso de vida ou morte. 

O planeta não resiste as agressões humanas.  

Amazonia

Talvez fosse bom conter a ambição desmedida, mas como? Porque mesmo sabendo que a amazônica é o pulmão do mundo, a floresta está sendo devastada? as pessoas continuam passivas? 

Acredito que seja a ausência da noção de longo prazo. A humanidade é imediatista. Vou contar como me eduquei para usar o cinto de segurança empregando as técnicas da Programação Neurolinguística – PNL

A experiência própria com a Programação Neurolinguística (PNL)

Teve uma época da minha vida que eu não dava importância ao cinto de segurança e paguei um bom dinheiro com multas, mas, continuava deseducada.

Sinto de Segurança

Na minha cabeça, o sinto era um empecilho, ele amassava minha roupa, comprimia o meu peito e eu queria me sentir livre e não amarrada. 

Soube então de uma pessoa que havia morrido porque estava sem cinto.  A partir de então, resolvi trabalhar minha mente usando uma técnica chamada Ponte para o Futuro

Técnica da PNL: Ponto para o Futuro

Fiz o seguinte: consultei na internet vídeos que mostravam a consequência desastrosa do desuso do cinto, e imaginei um desastre no qual eu ficava muito mal e passava muitos meses me recuperando com dores e incômodos. Ouvia as pessoas me recriminando e sentindo culpa por estar naquele estado deplorável.  

Depois criei uma segunda cena em que eu usava o cinto de segurança e conseguia minimizar as sequelas físicas, pagando apenas pelo conserto do carro. Avancei ainda mais quando dei um tratamento especial a qualidade da imagem da segunda cena. Como se eu fosse um editor de vídeo, para que a cena permanecesse vívida na memória, utilizei a imaginação para colorir a cena em que eu estava bem, e realcei ainda mais aumentando a luminosidade, o brilho, o tamanho, a tonalidade das cores.

Agora que aquela cena estava digna de um museu de arte, concentrei-me em melhorar a qualidade do som da voz das pessoas me parabenizando pela “sorte” de estar apenas com ferimentos leves. Eram vozes melodiosas e assim, a sensação de alívio permaneceu, fazendo com que eu sentisse satisfação em colocar o cinto.

Se por acaso eu me esquecesse, imediatamente vinha na mente as consequências desastrosas que me impulsionavam a colocar o cinto.     

Maturidade é exatamente a capacidade que de avaliar as consequências dos atos a longo prazo. Caso se deixe levar pelos instintos, ingere açúcar para satisfazer um desejo imediato sem pensar na diabete futura.  

Se a partir de agora instalarmos um hábito de visualizar os seres humanos sem ter como plantar alimentos em uma terra devastada, com dificuldades respiratórias em razão dos poluentes, com sérios problemas de saúde em função da contaminação química das águas e todos os demais malefícios da exploração exagerada dos recursos naturais, sentiríamos temor em prosseguir com a destruição do planeta.  

No entanto, criar cenas futuras dos malefícios e dos benefícios nos faz optar pela preservação da natureza.

➡️ Pensar a longo prazo e agir a curto prazo é uma forma de educar a mente a fazer escolhas sustentáveis. 

Mentes egoístas querem usufruir de tudo que tem direito, aqui e agora, doa a quem doer, aconteça o que tiver de acontecer.  São crianças querendo mimos.  Porém o ser verdadeiramente ecológico tem uma mente voltada para o coletivo, é ético evitando ações que causem danos aos outros, e age buscando proteger as próximas gerações porque quando viaja no futuro percebe os malefícios e os benefícios de suas ações no presente.  

Uma mente aberta entende as mensagens subliminares da natureza e é generosa com tudo que tem vida dentro e fora do homem.   

Vamos aquietar a nossa mente diminuindo os desejos de posse das riquezas naturais, como diz a música:

“mente quieta, espinha ereta e coração tranquilo”.

🎶🎶🎶🎶🎶🎶🎶🎶

A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – PNL irá lhe ajudar a vivenciar de forma saudável todas as emoções internas e externas e agir na inteligência psíquica e emocional. 

Já conhece o nosso novo curso online? Ele é um passo importante na jornada em busca do autoconhecimento e competências comportamentais, clique no banner abaixo!

Soft Skills, o diferencial competitivo

Soft Skills, o diferencial competitivo

Soft Skills, elas são seu diferencial competitivo!! Independente do setor, área de atuação, segmento… as Competências Comportamentais são fundamentais e precisam ser trabalhadas para se tornarem ainda mais poderosas. 

Nesse artigo, vou te contar a minha própria experiência e como você pode conhecer e trabalhar essas competências comportamentais.  

Mas o que São as Soft Skills? 

Soft skills é um termo em inglês para as competências comportamentais, aqueles atributos pessoais que você tem e precisa ter para ser bem-sucedido não só no local de trabalho mas na vida.

As soft skills estão relacionadas à sua capacidade de interagir com outras pessoas, como voce lida com situações e comportamento. Elas também incluem a capacidade que você tem de trabalhar sob pressão e se adaptar a novas (e complexas) situações. 

Exemplos de Soft Skills

  • Conseguir trabalhar em equipe;
  • Comunicação em público;
  • Empatia;
  • Inteligência Emocional;
  • Possuir uma boa comunicação verbal, com assertividade, persuasão, objetividade, carisma e liderança;
  • Saber lidar com conflitos;
  • Criatividade e atitude positiva;
  • Flexibilidade

Experiência Pessoal 

Por muito tempo em minha vida ministrei no Banco do Nordeste do Brasil, enquanto funcionária, cursos de qualidade no atendimento para os funcionários de agência a fim de fidelizar o cliente. Mas não se tratava de um curso técnico no qual se falava de regras de atendimento constantes em um manual que logo, logo seriam esquecidas.   

Regras de sorrir para o cliente, aquele sorriso falso de manual que não parte das vísceras e sim como uma obrigação, não toca o coração.  Eu por exemplo, não sinto nada quando a aeromoça do avião me cumprimenta com aquela “gentileza” envernizada e aquele sorriso artificial. Embora eu veja seus lindos dentes, aquele gesto não vem da alma e sim do manual. 

Foi refletindo sobre os gestos mecânicos das aeromoças que compreendi o que são as habilidades leves “soft Skills” aplicadas na  profissão. 

Para fidelizar o cliente uma empresa precisa de duas coisas: atendimento padronizado (regras e políticas da empresa) e tratamento personalizado (cada pessoa é tratada de um jeito especial e único). O atendimento diz respeito ao produto, praça e preço e o tratamento diz respeito ao “como” acontece na relação entre cliente e atendente. 

Soft Skills nas Empresas

Muitas empresas têm bom produto, boa localização e valor agregado, mas carece do humano na forma de tratar, ou seja tem atendimento mas falha no tratamento. No dia que tiver uma concorrência à altura, o cliente migra e não retorna mais pois não foi encantando pelo tratamento.

O tratamento personalizado diz respeito a capacidade empática de sentir a necessidade do outro e de estar alinhado com o estado emocional e acompanhar os humores, para gerar um clima de “somos Iguais” e “estamos juntos”.   O bom tratamento requer flexibilidade para entender as necessidades e valores do outro e fazer ajustes na negociação, usando de criatividade.  

O cliente se encanta quando recebe um bom atendimento aliado ao bom tratamento. Quando o cliente recebe um bom tratamento, ele pode desculpar as falhas do atendimento. No entanto, para dar este atendimento é preciso ser expert em competências comportamentais que também são chamadas de socioemocionais, ou um nome sofisticado Soft Skills, que na tradução quer dizer habilidades leves, eu prefiro nominar de Habilidades Sensíveis. 

Realmente são sensíveis, em virtude de estarem ligadas a uma energia de abertura ao outro, impalpáveis e abstratas, somente sendo percebidas porque criam um clima de aproximação da pessoa com ela mesma, e da pessoa com os outros. 

São elas divididas em três áreas:

NEGOCIOS

  • Liderança Relacional: Senso de Conjunto/ Senso de Equipe
  • Inteligência Linguística: Comunicação
  • Inteligência Relacional: Flexibilidade e Empatia
  • Inteligência Imaginativa: Criatividade e Resiliência

SAÚDE

  • Inteligência emocional: Equilíbrio
  • Inteligência Corporal: Consciência e inteireza e foco

EDUCACÃO

  • Inteligência Mental: Aprendizagem Acelerada
  • Inteligência sensitiva: Percepção refinada – Escuta Ativa
  • Inteligência Espacial: Visão Sistêmica
  • Inteligência Espiritual: Ética/Família/Valores/Sensação de valor próprio 

Somente através das competências sensíveis será possível vencer a concorrência quando o produto é o mesmo e o diferencial é o tratamento dado ao cliente. As empresas que se diferenciam no mercado treinam seus funcionários com as soft Skills para oferecer um tratamento que deixe uma lembrança, uma relação emocional, e não apenas um atendimento frio mostrando as qualidades do produto.

Quando o tratamento é bom, o cliente lembra até o nome da pessoa, e quando é ruim, toda a imagem da Instituição fica comprometida. 

Os bancos, os postos de gasolina, e as padarias possuem entre si os mesmos produtos, a diferença é no tratamento. Tem posto de gasolina anunciando tratamento diferenciado. O serviço do posto é apenas, colocar gasolina, mas tem posto que lhe dá algo mais – este é o tratamento. Este ALGO mais é da própria pessoa que está no interface com o cliente. 

Numa promoção o cliente pode até mudar de posto, mas depois volta para aquele que lhe dá um tratamento melhor, tão logo acabe o desconto no preço. A indiferença não somente é sentida pelo cliente quando ele é destratado, mas pode acontecer também por não ter nada que o cative.  

Diferenciais Competitivos

Oferecer o tratamento personalizado utilizando as habilidades sensíveis, é desafiador pois não existem regras. Cada pessoa terá uma percepção diferente da outra pessoa e dela própria, pois somos diferentes do outro e de nós mesmos a cada momento. 

Então, é preciso ter uma percepção aguçada e refinada para entender como aquela pessoa quer ser tratada naquele momento específico. Tem gente que prefere um sorriso, outros apenas um olhar atento. Eu quero pressa no atendimento e meu marido gosta de atenção demorada.

Para oferecer o tratamento personalizado  é preciso abrir os canais perceptivos através da escuta ativa a fim de descobrir como cada um quer ser tratado e criar um clima receptivo ao invés de um clima defensivo. Vamos estudar com mais profundidade. 

1. AVALIAÇÃO – Para criar um clima defensivo, a pessoa julga, avalia, ou seja tem a si como centro do mundo.   O ideal é apenas descrever a situação. Não se sabe o que levou o contribuinte a agir daquela maneira. Fale do que você está vendo e ouvindo e não do que está supondo. 

Errado: O senhor está errado porque não trouxe toda a documentação necessário. Sua letra é feia.
✔️Certo: O senhor precisa da próxima vez trazer a seguinte documentação. preencha com letra de forma por favor

Conclusão: O clima defensivo é criado quando a pessoa julga e o clima receptivo, quando a pessoa descreve a situação.

2. CONTROLE – O clima defensivo, a pessoa é controladora, e no clima receptivo, é uma orientadora. Ao invés de tentar estabelecer regras para o cliente, oriente-o sobre como deve ser.

Errado: Pague o seu carnê somente no sexto dia útil. 
✔️ Certo: Aconselho-o a anotar o vencimento no calendário de mesa.

Conclusão: O clima defensivo é criado quando a pessoa ordena e o receptivo, quando aconselha.

3. ESTRATÉGIA – No clima defensivo, a pessoa é estratégica e no receptivo, é espontânea.  Não tente usar de subterfúgio. Quando o cliente percebe perde a credibilidade e a desconfiança gera distorções no relacionamento. Assuma o erro invés de dar desculpas. A verdade é a melhor estratégia. 

❌ Errado: O computador que errou. 
✔️ Certo: Eu infelizmente não comandei.

4. SUPERIORIDADE – No clima defensivo, a pessoa é superior, e no clima receptivo, é igual. Não use o poder e o status. Pratique a igualdade sem intimidades excessivas. Até na forma de olhar você pode ser superior.  

Errado: O senhor sabe com quem está falando?  
✔️ Certo: Eu sou fulano e estou a seu dispor, em que posso servi-lo

5. CERTEZA – No clima defensivo, a pessoa é rígida, dona da verdade e no receptivo, é flexível. Assim como a água que contorna os obstáculos para chegar no mar, seja flexível. A certeza é sempre relativa. Não dê a certeza fechando assim as portas para o outro.

Errado: Eu tenho a certeza que..
✔️ Certo: Irei lhe mostrar vários caminhos para você escolher.

6. NEUTRALIDADE – O clima defensivo, a pessoa é neutra, dona da verdade e no receptivo, é EMPÁTICA. A indiferença acontece quando o atendente somente prática o envolvimento técnico com o problema.

Quando oferece algo mais e se sintoniza com o outro, envolvendo-se com o seu problema, acontece a EMPATIA que é a chave para a aproximação nas relações, pois é sair de si para encontrar o outro no mundo dele.   

Para criar um clima de abertura é preciso praticar as soft skills sendo descritivo, orientador, igual, espontâneo, flexível e empático. 

Somente através das competências sensíveis será possível vencer a concorrência quando o produto é o mesmo e o diferencial é o tratamento dado ao cliente. Enfim, as hard skills são competências que vem de fora para dentro, ou seja os conhecimentos técnicos do tema. 

As soft skills  são as competências de dentro para fora.

As metáforas da vida

Tem uma metáfora que demonstra bem, o que estamos falando. Era uma vez um jovem que estava ávido por conhecer novas pessoas, novos lugares, e pediu ao velho do rio que o transportasse para a outra margem do rio, pelo que o velho lhe perguntam:

– Como são as pessoas que você conhece?

O velho do rio perguntou

– São dadivosas, interessantes, de bom coração, tem um brilho no olhar e riem com facilidade

Respondeu o rapaz

Ao ouvir o rapaz, o velho disse, então entre na barca que eu vou lhe levar para o outro lado do rio, e conhecerá como são as pessoas desse lado do rio.  

Quando o velho retorna, encontra outro rapaz ansioso por conhecer novas pessoas do outro lado do rio, e o velho faz a mesma pergunta:

– Como são as pessoas que você conhece?

O velho do rio perguntou novamente para outro rapaz

– São fechadas, egoístas e mal humoradas

Respondeu o rapaz

Ao ouvir o rapaz, o velho lhe disse, então eu não vou lhe levar porque do outro lado do rio as pessoas também são fechadas, egoístas e mal humoradas. 

Moral da História: Se quiser amor, sorrisos e bondade em todos os lugares que for, leve-os consigo em seu coração. 

Gostou do artigo? Continue nos acompanhando aqui no Blog e pelas redes sociais. Entender a importância das competências comportamentais (Soft Skills) é transformador.

Por que Gritamos? Uma Reflexão com a Programação Neurolinguística (PNL)

Por que Gritamos? Uma Reflexão com a Programação Neurolinguística (PNL)

O ato de gritar é confundido com autoridade, para muitos pode expressar poder enquanto por outro lado, é um desalinhamento da sensatez. Nesse artigo vamos refletir o por que gritamos e como controlar esse comportamento. 

Os dois Mundos

Vivemos paralelamente em dois mundos: um externo visível e outro interno e íntimo e, na maioria das vezes, inconsciente. Quer tenha consciência ou não, existe uma voz interna influenciando sua mente de uma forma mais profunda do que possa imaginar. 

Estas vozes são denominadas diálogos internos, no entanto se a pessoa não tem consciência deles, termina sendo um monólogo interno que de maneira ditatorial comanda o comportamento da pessoa. 

Sendo assim, o mundo interno carece de reflexões profundas, já que não existe dois (diálogo) para fazer o contraponto e sim a hegemonia de uma voz no comando, o que pode causar perturbações psicológicas, ideias fixas e cansaço mental infrutífero que leva a lugar nenhum.

Monólogo Interno

Uma maneira de descobrir este monólogo interno é a meditação, ou seja sentar-se em um local silencioso para treinar a auto percepção,  através da superconsciência observando o movimento dos pensamentos na mente. 

Mas, para silenciar a mente, é preciso que a observação seja imparcial, sem julgamento, porque se houver censura dos pensamentos, um lado da pessoa entra na defensiva e atrapalha o processo de autoconhecimento e crescimento.

A pessoa se paralisa na crítica ou na culpa e estaciona. A mente fica tão lotada do alarido de vozes que rouba as forças e energias que poderiam ser aplicadas para aprender e evoluir.

Minha mãe sofria de insônia e dormia no sofá ouvindo televisão com um som muito alto, e toda vez que chegava da faculdade, apagava o televisor e imediatamente, ela acordava.

Porque quem sofre de insônia dorme com o som alto? 

Uma das causas da insônia é em razão de uma mente que não para de falar, e o pior é que são falas simultâneas, impossibilitando ouvir o que é dito. E as vozes internas ficam martelando na mente, impossibilitando o sono.  Mas o som externo é alto, no caso o som do televisor consegue abafar o som interno e a pessoa entra em sono profundo. 

A maioria das pessoas nem sequer consegue escutar com clareza a si mesma, como há um grande barulho na cabeça de várias vozes, e é preciso gritar para poder se ouvir. Isto ocorre com mais frequência, nas discussões acaloradas quando o outro apresenta argumentos que ferem os valores, então a voz interna se rebela e, para a pessoa ter a certeza que será ouvida, altera o volume da voz. Na verdade, a pessoa grita para se ouvir e ser ouvida.  

Mentes intranquilas adquirem o hábito de falar alto para se ouvir. As pessoas com mentes silenciosas, falam baixo. 

A Necessidade do Grito

O grito é uma necessidade de quem precisa primeiro se convencer do que está dizendo para, depois convencer o outro.  Resumindo, o grito é para se ouvir e se sentir seguro em defender seus valores em uma discussão.  O grito é um pedido de socorro, é uma distorção causada pela insegurança em razão da impressão de estar longe de si mesma.  

A confusão mental geralmente alimentada pelas suposições de perseguição, de criticas imaginadas, dificulta a paz interna.  

O melhor exercício é a escuta ativa, ou seja escutar de forma limpa sem suposição, apenas descrevendo o fato. Uma vez uma colega me disse que passou a noite toda acordada e sentiu até vontade de gritar, pois estava magoada com a indiferença de uma pessoa de quem gostava muito. Perguntei se a pessoa tinha falado alguma coisa, uma briga talvez, pelo que ela me respondeu que prometera ligar e não cumpriu. Perguntei se alguma vez ela havia se esquecido de ligar para alguém querido, lembrou-se que sim. 

A maioria do sofrimento é mais um drama de estar supondo algo ruim, e a vontade de gritar tem o objetivo inconsciente de calar a dor interna. 

Quando se tem o hábito da escuta ativa, escuta tomando como base os fatos sensoriais e não suposições, a mente é tranquila, a respiração é lenta e a voz é baixa.  Mentes que alucinam, são intranquilas, respiração apressada e voz alta, em casos mais graves, a pessoa fala gritando. 

O Poder da Meditação

A melhor ferramenta para conseguir distinguir as vozes internas, é a meditação. Mas há que ter cuidado para ser uma meditação imparcial na qual a pessoa reconhece dos pensamentos caóticos sem críticas. A simples constatação dos pensamentos é suficiente para aquietar.

Reconhecer a perturbação e apenas colocar o foco na respiração,  é o primeiro passo para acalmar a mente. 

As vozes internas baixam o tom e isto é muito bom, pois a verdadeira transmutação passa pelo silêncio verdadeiro. Muitos pensam que silenciar é deixar de falar, no entanto é conseguir silenciar as vozes internas. Pessoas com mentes calmas, sabem escutar, falam baixo e manso e são excelentes no convívio com outras pessoas. 

Saber escutar é uma arte para poucos e traz benefícios para muitos.  

A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – PNL irá lhe ajudar a vivenciar de forma saudável todas as emoções internas e externas e agir na inteligência psíquica e emocional.

Já conhece o nosso novo curso online? Ele é um passo importante na jornada em busca do autoconhecimento e competências comportamentais!

Acompanhe as nossas redes sociais, pelo Instagram e Linkedin. Por lá, conteúdos exclusivos sobre Programação Neurolinguística.

 

Jornada do Herói com a PNL 8º Estação: Aprovação Suprema

Jornada do Herói com a PNL

8º Estação: Aprovação Suprema

Esta é a estação na qual, adquiro a certeza de que valeu a pena e começaria tudo outra vez se preciso fosse. As perdas, o trabalho duro, as provas foram pequenas diante da experiência adquirida e a conquista de alguns degraus da escada evolutiva. Sendo idosa de carteirinha, trago um brilho no olho daqueles que mesmo conhecendo somente um pouco do caminho, querem continuar a jornada…e ir além!

Quando eu nasci recebi um corpo, nome, pai e mãe, tornei-me menina e ganhei bonecas, amigos no colégio, bicicleta, livros. Quando cheguei na adolescência, recebi hormônios, amiguinhos de colégio, professores, irmãos e um namorado. Na fase adulta conquistei um emprego, colegas de trabalho, marido, filhos e netos.

O Tempo

Tem o tempo de receber e o tempo de devolver. Nesse tempo há que se desapegar dos brinquedos, do viço da juventude, dos pais, dos colegas de trabalho, dos filhos que foram embora, dos cabelos em processo avançado de queda, e daqui uns anos, a terra levará o corpo. 

Odisseia

Algo similar aconteceu na Odisseia quando Ulisses vai sendo despido, por Poseidon para chegar em Itaca, onde vive a sua alma Penélope. Ulisses perde seus barcos, perde seus homens, perde tudo o que não é ele mesmo.  O Mito quer nos mostrar que nada do que é realmente nosso pode nos ser tirado. A consciência, o brilho do olho, a missão, os valores são qualidades que o ladrões não roubam e a vida não nos tira. 

Levo na minha memória a experiência de na minha jornada conhecer três mulheres fantásticas: Constância, Vitória e Glória.

A Constância me ensinou a persistir nos meus objetivos, a Vitória celebrou junto comigo as etapas vencidas e a Glória é a recompensa de setenta anos de aprendizado. 

Em todos os momentos da vida, paguei o preço para aprender a como ser e como não ser, sempre acreditei que não existe jantar de graça. Todos aqueles que jantaram pagaram pelo jantar. 

Iung diz que todas as vezes que você se aproxima do portal surge um dragão guardião daquele portal, se não sabe brigar com o dragão, vai perder. Ou seja, a caminhada tem o seu ônus, provas que dão méritos, sem nenhum ônus não teria mérito. Se tudo realmente fosse fácil, chegaríamos do outro lado do mesmo tamanho espiritual.

Nova Etapa

O que estamos formando na caminhada, na conquista de nós mesmos, é musculatura interna, musculatura moral, musculatura psicológica, espiritual e isso também se treina, é uma briga dura, mas a gente chega do outro lado muito maior. E de qualquer maneira é isso que a natureza espera de nós. Podemos adiar mas não evitar. 

Quem vai conseguir fugir do destino de se tornar um ser humano?  

Eu vim aqui para construir a mim mesma e não adiei a construção, ao contrário, aproveito todas as oportunidades. Esforço-me para passar de primeira porque sei que a prova do repetente é mais difícil. 

Frase do Corão      
Ou pensais que entraríades no Jardim da
Bem Aventurança
sem passar pelas provações por quais
passaram aqueles que vieramantes de vós

Na ânsia de aprender, pedi ao mentor que me falasse alguma coisa sobre a nova etapa, pelo que ele me perguntou:

– Do que você aprendeu, o que aplicou?

O degrau de cima, requer a aplicação do aprendizado no degrau abaixo. A vida não permite pular etapas. Aquietei a ânsia do saber e me esmerei na prática. 

Para ilustrar a alquimia medieval fala das três etapas da obra alquímica: 

  1. A obra em negro que é o mergulho no inconsciente para conhecer tudo aquilo que vive dentro e você e não conhece, seu zoológico particular ou seja aquelas forças que vivem dentro de você e que lhe dominam; 
  2. A obra em branco que é o domínio de todas estas forças – a purificação – é o domínio sobre as forças, e não o extermínio dos instintos e das debilidades.  Nada é mal em si. Mau é o uso que faz das coisas. 
  3. A obra em vermelho que é a ascensão da consciência em direção a sabedoria –

Exemplo prático da necessidade de ao invés de eliminar, transmutar: uma pessoa que é muito teimosa, ela mergulha e confronta essa teimosia sem eliminar a força somente torcendo um pouquinho e transformando a teimosia em determinação, é só tirar dela a obstinação, a vaidade e o egoísmo.  

Outro exemplo prático: uma pessoa muito passional pode se tornar uma pessoa muito entusiasmada não mais arrastada por instintos e sim arrastadas por sonhos. 

Enfim, determinados elementos bastam dar uma ligeira convertida e, a outra polaridade se apresenta. E na medida que vamos fazendo as transmutações, cortamos as amarras que nos prende e começamos a subir e ganhar altitude.

No início da Jornada, o lado sombrio nos apavora. Gastei muita energia tentando me esconder de mim mesma e passei algum tempo para concluir que ou domino o lado sombra, ou sou dominada por ele. Somente depois e mergulhar nos subterrâneos, nos porões escuros, fui me despindo, desnudando do egoísmo, alienações, fantasias. É lógico que o processo é lento e o trabalho é diário e contínuo. 

Embora não seja fácil livrar-se do egoísmo, quando se concebe que é apenas um adereço e não faz parte da identidade, a descolagem é menos dolorida. 

Quando vamos fazendo este trabalho interno de transmutar comportamentos irracionais em atitudes inteligentes vamos aos poucos aprender a enxergar a realidade como ela é. Por sinal, está é a grande recompensa, ter olhos limpos para ver a verdade. E a verdade, liberta.

Toda evolução é uma preparação para ver. 

Muitos se encontram adormecidos para a realidade, iludidos com o que agrada o ego. 

O Feitiço

O conto da Branca de Neve conta a história de uma menina que se deixou seduzir por uma bruxa e mordeu a apetitosa maçã e a partir daí entrou em sono profundo. 

Branca de Neve

A maçã é o símbolo dos produtos da tecnologia que nos encanta e não conseguimos mais abrir mão. 

Toda a publicidade tem o sentido de fazer com que a gente morda, deguste, prove um pouquinho e então a gente compra.

Um exemplo contemporâneo são os produtos da Apple, maçã traduzido para o português. Depois que comprei um MacBook Air não consigo usar outro marca de computador e de celular.  

Nós nos deixamos enfeitiçar, e ficamos que adormecidos, presos, fieis ao produto pelo encantamento de soluções tecnológicas que nos oferece. 

O Despertar

No conto de fadas, aparece um príncipe (representação da dimensão de alma) que usa o beijo (sopro divino introduzindo a inspiração) que faz com que a princesa acorde para a realidade. Afinal ela foi enganada pela bruxa.  

Enfim, este conto mostra o quanto nos deixamos enfeitiçar e a necessidade de ter abertura para receber mensagens de alto que vão ajudar neste despertamento para o que realmente importa. 

O Despertar

No meu caso particular passei quatro décadas para acordar em alguns pontos e tenho consciência que estou dormindo em outros tantos pontos, precisando de mentores que me ajudem a acordar para ver a realidade como ela é.  

Tudo vale a pena para ver o despertar para as sementes de virtudes. É uma delícia poder acessar o que temos de melhor, é uma experiência que nos expande por dentro e nos faz querer ajudar o outro a se expandir também. Querer se conhecer e ajudar os outros a se autoconhecerem, é contagioso. 

No passado tive muita raiva do meu pai quando nos expulsou de casa, mas agora vejo como foi importante ter sido colocada nas ruas para entender como é viver sem expectativa de ter o café da manhã, sem teto e repleta de necessidades primárias. 

Meu pai fez comigo o que a mãe natureza faz com as aves. A mãe pássaro chega no ninho e descobre que seus filhotes tem penas nas asas e então pega-os pelo bico e os arremessa ribanceira abaixo, e eles ficam batendo as asinhas meio que sem saber o que está acontecendo, até que antes de se espatifarem no chão, conseguem aprender a voar. E assim, eu aprendi a me garantir desde muito cedo.

O voo

Maturidade não é uma questão cronológica e sim, de consciência da minha capacidade de adequação e resiliência. Aprendi a viver, vivendo e no final aprenderei a morrer, morrendo.

Aprendizado:

1. Fracasso é uma limitação da consciência.

2. O homem é do tamanho de suas provas. Saber lidar com as circunstâncias como prova é um dos fatores que se mede o nível de consciência do homem.

3. Provas são degraus para encontrar o tesouro da autorrealização humana

4. Bem e mal só existe quando estamos no mesmo patamar deles. Quem olha de cima, ambos são necessários, porque ambos levam o homem na direção DELE.  

5. Todas as dificuldades da vida são para o crescimento. Portanto não dramatizo, não acho que são injustiças, não fica revoltado e vislumbro um grau mais elevado. 

6. De cima todas as dificuldades são oportunidades

7. Poder benigno acompanha os que tem bom caráter 

8. Confio na vida, todos estamos predestinados a evoluir

Abra a Casa

Deixem que entrem para a festa
Toda celebração é divina
Quando o ritual acabar
Você está mais preparado 
Para a próxima festa
Quem sabe serão os mesmos convidados
As mesmas músicas
Ou outros desconhecidos com diferentes sons

Então arrume e abra a casa
Portas e janelas se escancarem
Para receber o que há de vir

E se não atenderem o convite
Vá busca-los onde estiver
E depois de ser fartarem
De fazerem amor em sua cama
De deixarem restos espalhados
Doces grudados
Discos arranhados
Banheiro usado
Sofás sujos
Tapetes em desalinho

Fica a sensação da alegria da dança
Do som dos risos
Do cheiro das comidas
Da vida presente em sua casa
Deixem que entrem e façam a festa.

– Magui Guimarães

O Curso PNL da Escola de Ciências Comportamentais está com as inscrições abertas com início das aulas presenciais em Agosto, a sua jornada quem faz é você!

Nova Etapa

Jornada do Herói com a PNL 7º Estação: Missão, Nova Consciência e Paz Interior

Jornada do Herói com a PNL

7º Estação: Missão, Nova Consciência e Paz Interior

O desafio maior é a coerência com tudo o que aprendi até agora, de nada vale se ficar somente na teoria, o desafiador é trazer para a vida do dia a dia, incorporar todo o aprendizado que acumulei até agora,  é apavorante se desnudar em público, se mostrar sem maquiagem, virar do avesso. As vezes a gente pede para crescer, evoluir, servir, mas não tem ideia do quanto uma missão exige entregas, desapegos e sacrifícios. Sei que não é fácil  mas se cair, vou cair de pé para continuar a marcha.

Agora com mais idade cronológica e mais maturidade psicológica, encaro esta próxima etapa com o coração apertado, mas na esperança que, nos piores momentos, eu mereça receber ajuda dos doadores. Quando vivia na total ignorância, era mais fácil brincar de ser gente, depois de concluir a formação em Programação Neurolinguística, tomei consciência do uso da mente para seguir os propósitos elevados. 

Além de saber, chegou a hora de ser, pois fala mais alto a pessoa que sou do que o que falo.

➡️ Como ser integralmente aquilo que ensino? 
➡️ E se eu não conseguir ser coerente?
➡️ Como lidar com a cobrança externa e interna?

Cheguei a pensar em um isolamento total, assim as pessoas não saberiam quem realmente sou, mas quando olhava no espelho, eu sabia. Impossível  fugir de mim mesma e até fingir também não cola, todos percebem a incongruência. Resolvi então, construir a coerência um tijolinho a cada dia, devagar e sempre, sem pressa e sem pausa.  

Uma causa

Joseph Campbell fala que todos os mitos do mundo inteiro que ele estudou tem uma estrutura comum, o herói defende uma causa de terceiros. Ele quer salvar a princesa, cumprir a missão e a recompensa é  a satisfação.  Outra semelhança  encontrada em todos os contos, é o alinhamento do projeto de vida com os princípios que regem a natureza divina, e por esta razão ela carimba, patrocina e diz: “Conta Comigo”

Se o projeto é pessoal, egoísta e individualista, e vai na contramão das leis da natureza, ela diz: Caminha sozinho com o seu poder pessoal e com o carma que você carrega”. A natureza caminha ao seu lado se a sua causa coincide com a causa da natureza. E querer crescer como ser humano, coincide com a causa da natureza. 

E querer crescer como ser humano, coincide com a causa da natureza.

Iung chamava de SINCRONICIDADE. A Natureza trama a favor, e quando o herói  precisa de uma ferramenta, antes que ele perceba, a ferramenta já aparece e quando precisa de uma ajuda há uma sincronicidade que traz a ajuda em suas mãos, às vezes até uma lembrança que aflora na memória de um fato de infância, que não lembrava mais, e lembrou naquele momento, por ser a mensagem que precisava para harmonizar uma determinada situação. 

As vezes também pode acontecer ser ajudado por intuições que desfazem travas que estavam dificultando, e assim superá-las. 

Quando a causa é correta, a natureza abraça como se fosse a causa dela. Já tive experiência em sala de aula de um aluno fazer uma pergunta e eu não saber responder, e acontece de aflorar uma resposta que satisfaz ao aluno, mas que não veio de mim e sim através do veículo que me proponho ser. 

Pensamentos

Mesmo tendo algumas experiências de ajuda dos mentores, no processo de iniciação as provas são mais profundas e desafiadoras e requer preparação.  Entrei na ioga, e com muito treino domestiquei a mente até que ela se disciplinou a obedecer uma seleção de pensamentos. 

Meus pensamentos não podiam ser escritos no céu para todo mundo ler, e resolvi fazer uma limpeza, eliminando inicialmente, os pensamentos condicionados. Comecei por separar quais pensamentos eram realmente meus, e quais tinham sido inoculados pela mídia e moda.

Percebi que eu não pensava e sim, era pensada, e assim iniciei um processo consciente de reflexão sobre a verdade, a utilidade de cada pensamento, e adotava somente aqueles que contribuíam para elevação da consciência e do estado de alegria. Quando digo alegria, não confunda com euforia de festas regadas a bebida e estimulantes. 

Cultivo a alegria dos santos, aquela do dever cumprido, de estar fazendo o certo, no lugar certo com as pessoas certas, sabendo separar o joio do trigo.  De vez em quando me permito estar de bobeira, feito criança em total entrega na brincadeira

Metas e Modelagem: A PNL mais uma vez

Aprendi na PNL duas ferramentas sensacionais para caminhar com segurança nos processos de melhoria: estabelecer metas e fazer a modelagem para levantar o modus operandi de quem já conseguiu realizar os objetivos.

A metas tem a função de reunir forças da psique para focar no objetivo e servir como um indicador se, estou me aproximando ou me afastando da meta. 

Por exemplo para alcançar equilíbrio emocional estabeleci a meta de continuar com o mesmo ritmo de respiração, quer quando estivesse sendo criticada, quer quando elogiada em público.

Respirar

De tal forma que quando percebo uma alteração no movimento respiratório, imediatamente redireciono o meu pensamento para aproveitar a crítica no sentido de melhorar o que precisa ser melhorado e, quanto aos elogios, aceito ser apenas um veículo do poder superior para manifestar as coisas lá de cima aqui em baixo. 

Assim, continuo dentro de um equilíbrio emocional onde não chegam nem os louvores, nem as censuras. 

A meta é para domesticar o dragão interno com suas exigências descabidas e debilidades a fim de me  tornar um ser humano pleno e fazer a trajetória do herói dentro daquilo que Campbell chamou de monomito ou seja todas as histórias de teor sagrado ou tradicional, falam de uma única história, ou seja da estrutura de trajetória que o homem tem de fazer para sair da IGNORÂNCIA e chegar a SABEDORIAAristóteles afirmava que o homem é movido por  objetivos.   

O objetivo maior é corresponder ao que a natureza espera de mim.  

Acrescentei ao estudo de Campbell, as ferramentas da PNL de especificação científica para concretização dos objetivos que me ajudou muito conforme regras a seguir: 

Primeira regra: o objetivo precisa iniciar em mim e terminar em mim.

Assim parei de focar na melhoria da sogra, do irmão, do colega de trabalho e passei a me concentrar em melhorar para conviver melhor comigo mesma e com as outras pessoas, e nesse item o trabalho foi imenso pois no meu processo de autoconhecimento, eu precisava desenvolver o respeito pelo outro que era diferente de mim, e a ética em agir pelo bem comum. 

Consequentemente ao centrar na formação do caráter, naturalmente passei a conviver melhor com as pessoas a minha volta. 

Segunda regra: Saber identificar o estado atual e estado desejado.

Somente posso desejar ser altruísta se primeiro aceitar ser egoísta. Somente posso estabelece o roteiro de onde quero chegar, se eu souber onde estou.  O processo de autoconhecimento exige humildade para perceber as sombras do orgulho, inveja, vaidade e avareza.

O mais interessante é que dentro dessas características existiam sementes de luz: humildade, generosidade, simplicidade a serem desenvolvidas.

Terceira regra: Adotar um conjunto de crenças para dar força nos momentos de pressão e dúvida.

E assim, passei a acreditar que “Todo ser humano é um posto de abastecimento dos dons da vida”, e “Se é possível para alguém também será possível para mim”. 

Quarta regra: Escolher bons mentores.

Pessoas que já percorreram o caminho e sabem dos buracos da estrada, das encruzilhadas, dos perigos, dos atalhos e do que será preciso na viagem.  E em cada etapa, em cada degrau da escada, abria minha mente e coração para os ensinamentos preciosos dos sábios, filósofos, teólogos, mestres, magos todos da antiguidade cujos ensinamentos antigos resistiram ao tempo e, ainda permanecem atuais. 

Quinta regra: o objetivo precisa ser alcançável de um tamanho proporcional ao acesso dos recursos que dispunha.

Querer ser perfeita de um dia para o outro, aumentava a ansiedade e a frustração, então comecei a fazer pequenas ações como agradecer, escutar mais e falar menos e percebi que ao fazer o pequeno está me preparando para o grandioso. 

Sexta regra: o objetivo precisa ser assertivo, ou seja, dizer o que quero e não o que não quero.

Antigamente eu dizia que meu objetivo era “Não ser infeliz”, “Não ser pobre”, “Não ser abandonada”, “Não ser doente” e aprendi a falar “Quero ser feliz, rica, amada e sadia”.  

Sétima regra: o objetivo precisa ser sensorial.

Traduzido em termos dos cinco sentidos, quando for feliz, rica, amada e sadia o que verei, o que ouvirei e sentirei. 

Por exemplo: Estarei me vendo rindo, em companhia de amigos e familiares, com disposição física e mental para fazer exercícios físicos e com bom nível intelectual, psicológico e espiritual, discutindo ideias e refletindo sobre elas, expandindo a consciência individual e coletiva, e com renda suficiente para manter uma casa, transporte, estudos e lazer. 

Aprendi a me expressar de forma descritiva, sem o uso de adjetivos 

Assim, com meta e com método torna-se mais fácil a tarefa de construir a mim mesma porque eu já havia tomado consciência da missão de vida. Fiz um inventário dos talentos recebidos para aplica-los a serviço dos outros.

O Chamado para a Iniciação

É a chamada para a INICIAÇÃO. Juntei minha capacidade de síntese, com a facilidade de fazer metáforas, umas pitadas de carisma e humor, misturei tudo e decidi ser:

Uma educadora, através de comunicação metafórica, carisma, humor, e conhecimento em PNL, contribuir com o processo de autoconhecimento do ser humano.

Magui Guimarães

A missão de vida tornou-se uma bússola orientadora de minhas decisões diárias e planejamento como um todo. Os objetivos, metas, ações devem estar alinhados com a missão. 

A vida das provas tem um limiar que é a quebra entre a vida cotidiana banal e a passagem para uma outra dimensão onde nada é igual, tudo é novo, tudo é fantástico.

Aposentei-me do Banco e estabeleci uma disciplina de estudo e prática.  Adotei a flexibilidade, adaptando-me as disrupturas,  quebrando  rotina, fazendo as coisas de forma diferentes, indo para o consultório por caminhos desconhecidos, praticando esporte diferentes, teatro, dança pois segundo a PNL, a flexibilidade corporal ajuda a flexibilidade mental, o que imuniza da mecanização.

Labirinto da mente

As pequenas rupturas comportamentais e psicológicas acostumam a personalidade a constantes mudanças, evitando surpresas maiores com a ruptura causada pela morte. 

Quero me habituar a transitoriedade, a impermanência e me acostumar que as coisas não são definitivas. Afinal, vivemos em um mundo em que a única coisa certa é a mudança. Com o tempo as aparências mudam e a vaidade vai com a idade, mas existe um centro imutável, o ponto de Deus, o Eu essencial, um estado de segurança que metaforicamente é conhecido como o céu interno. 

Esta vontade de conhecer o que existe além das aparências, começou quando tinha dez anos, assistindo palestras de um filósofo chamado Huberto Rhoden, e no ano de 2000 participei de treinamento “Instrumentos do Espírito” ministrado por Robert Dilts e Robert Mac’Donald e aprendi como usar as técnicas da PNL para utilizar a mente como instrumento de espiritualidade.  

Um dos mitos mais significativos é o Bagavadh Gita, história sagrada hindu que trata de uma batalha de dois exércitos que representam a guerra interior, entre as virtudes e defeitos. E em um determinado momento quando os dois exércitos se encontram tem uma passagem do livro que é linda “Até os astros giram mais devagar para ver o que se passa no campo de batalha”

a guerra interior, entre as virtudes e defeitos

Ali não se decide o destino de um homem, mas sim de toda a humanidade. Arjuna, o herói guerreiro  prova que se é possível para um, é possível para todos. 

Toda a humanidade é herdeira dessa vitória. Toda a natureza, de uma certa maneira, trama a nosso favor. E a esta harmonia entre virtudes e defeitos, matéria e espírito, ego e Eu essencial é o caminho para a espiritualidade. 

Joseph Campbel fala da descida dos labirintos espirituais porque no fundo todos os seres mitológicos e históricos,  contos de fada, sacerdotes, xamãs, estão buscando mergulhar nos labirintos internos para buscar respostas  e somente conseguem mergulhar  nessas profundezas, os que tem META e MÉTODO. 

A meta precisa ser generosa e humana em prol do coletivo, por que senão está arriscado o herói  se perder nesses abismos e não voltar mais. Um mergulho como este, sem uma meta e um método bem definido, senão pode provocar um processo de alienação mental.  

O herói  mergulha nos mundos desconhecidos do inconsciente pessoal e do inconsciente coletivo, para retirar os véus dos mistérios, com sua alma totalmente entregue, com todo ardor do seu coração, sem medidas e com infinita confiança porque é o filho do Pai – Senhor dos mundos.  

Aprendizados:

1. Tudo é passageiro, com exceção do trocador e do motorista

2. Meu plano de vida tem aderência com o plano de Deus

3. Todos os seres humanos estão predestinados a evoluir.

4. As verdadeiras batalhas acontecem no âmago do ser.

Encontro

Fora do centro, abaixo
Quantos despedaçamentos
Em total destruição

Acima tudo era construção
Lá estava o arco-íris
No horizonte real, 
No momento ideal.

Dona da sensibilidade
Conheci as possibilidades
Pintei todas as cores
Vivi mil amores
Cantei, dancei

E hoje, baixada a poeira da ilusão
Junto qual mendigo, meus pedaços,
E carrego nos olhos
O brilho de uma missão

– Magui Guimarães

O Curso PNL da Escola de Ciências Comportamentais está com as inscrições abertas com início das aulas em Agosto, esse é o primeiro passo para grandes conquistas!

Jornada do Herói com a PNL 6ºEstação: Provação e Renascimento

Jornada do Herói com a PNL

6º Estação: Provação e Renascimento

O conhecimento obtido nas etapas anteriores gera uma compromisso cada vez maior em ajudar o próximo. Se algum talento existe, este deve estar a serviço do todo. Aqui é o momento de entrega total, o que não é nada fácil. As provas se tornam maiores na medida em que as forças superiores impõem testes para aprimorar as aptidões do herói. Agora é descansar carregando pedras. Transitar em dois mundos com valores diferentes, requer um equilíbrio constante para estar transitando nos dois mundos. Estar no mundo sem se identificar com ele é fácil de dizer, mas extremamente desafiador. Estar em absoluta serenidade apesar das adversidades, é um exercício árduo de se manter no centro.

Este é o caminho para transcender o ego, sem bater de frente, investindo menos energia de combater e mais energia de harmonia, o que resulta na melhoria das relações humanas. 

O que é a Felicidade?

Todas as vezes que por algum momento de distração eu me desvio da harmonia, o corpo anuncia uma dor, um mal-estar como se eu estivesse cada vez mais, se afastando de casa. Retomar o caminho é desenvolver esforços para manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo. Segundo Aristóteles, somente os bons são felizes. 

A felicidade de estar cumprindo a missão é um termômetro que sinaliza se estamos nos aproximando ou distanciando dela. 

A infelicidade é um sintoma de que há necessidade de parar, refletir e escolher o que deve ser feito para reestabelecer a ordem do Senhor dos mundos. 

Sentir-se bem é estar na direção certa, retornando as origens, alimentando esperança de recuperar o estado de essência primordial. A tarefa pode parecer simples, mas não é fácil, pois nesta fase o herói será desafiado a aplicar tudo que aprendeu internamente, na convivência com o outro. 

O Herói sabe o que fazer e vai fazer embora se dê conta do imenso trabalho que o espera. As provas servem  para avaliar a performance do herói, ao lidar com o ego do outro e mais o individualismo, incompreensões, distorções e conflitos.   

Na minha vida, o cenário dessa etapa é o seguinte: Casamento em declínio, filhos adolescentes, tempo reduzido, obrigações profissionais, tarefas domésticas, trabalhos da faculdade, cuidados com a saúde, mãe doente, problemas com vizinhos, causas na justiça, irmãos precisando de ajuda, chefes intolerantes e toda uma sorte de adversidades aumentando a pressão e, em meio a toda essa turbulência emocional, instável e delicada,  o desafio do herói em aplicar o aprendizado adquirido. 

Triste

Viver é fácil, mas conviver, realmente é um dos maiores desafios e haja sabedoria para acessar recursos mais refinados e uma inteligência suprema a fim de escolher dentre tantas opções quais aquelas que irão fazer a diferença para harmonizar o caos.

O grau evolutivo de uma pessoa é medido pela capacidade de conviver pacificamente com as outras, mesmo com interesses divergentes, defendendo os próprios valores e ao mesmo tempo, entendendo os valores dos outros.  

PNL e a Intenção Positiva

Nesta fase uma técnica importantíssima que me ajudou a conciliar interesses opostos foi a intenção positiva da emoção e do comportamento. 

A PNL pesquisou e concluiu que a toda a emoção tem uma intenção positiva. É comum julgar a pessoa pela emoção que ela está sentindo no momento, sem analisar o contexto completo. Ao entender a história como um todo, facilita aceitar que o outro tenha de raiva, depressão dentre outras. Parar de julgar a emoção do outro é possível, quando se consegue separar a emoção da INTENÇÃO POSITIVA que gerou a emoção

Vamos entender melhor:

Toda emoção tem uma intenção positiva. A intenção é sempre de defender a pessoa ou defender algo. Toda emoção é positiva na sua origem. O propósito da emoção é valorizar, proteger e guardar algum valor. Quando uma pessoa está triste, a emoção da tristeza pode ser uma maneira  de se manter conectado com algo que não existe mais. Uma maneira de se conectar com o que perdeu. Tristeza é uma  declaração de amor pelo aquilo que se foi. 

Emoções e a programação neurolinguística

Tanto é verdade que algumas pessoas tem a ideia de que se você amou alguém muito e por longo tempo, o luto – o período de tristeza tem que ser longo. A pessoa se sente culpada se ficar triste durante pouco tempo. Se eu fiquei triste por pouco tempo é porque eu não gostava. Algumas pessoas acham que quanto maior amor, o período de tristeza tem que ser longo. 

Em alguns países da Europa, acontecia o costume da viúva ficar de luto durante sete anos e algumas durante a vida inteira. Quanto mais se apega a um sonho, um projeto, uma pessoa, um lugar, um objeto, maior é a emoção da tristeza quando de sua perda. Para evitar se contaminar da negatividade da emoção de tristeza, imaginar que pode ser uma expressão de carinho pelo que não existe mais. 

As emoções

A emoção de dúvida, por exemplo pode ter uma intenção positiva de necessidade de segurança e de se proteger contra riscos. Por sinal, existe um preconceito muito grande no mundo executivo de pessoas que tem dúvidas. A dúvida pode ser um sinal de que a pessoa está precisando de mais dados e não se sente segura ainda, ela precisa de mais informações. Não é porque é uma pessoa é insegura e sim porque precisa de mais dados para tomar a decisão correta. O estado de stress é positivo quando está mandando uma mensagem de que o corpo está precisando descansar e se recuperar.  

raiva é uma tentativa de proteger os valores da pessoa. É natural ficar com raiva quando alguém está fazendo algo que fere os valores. Você pode julgar alguém por ter raiva, mas dá para julgar alguém porque tem valores?  Afinal todos nós temos valores. Lembro-me de chefe que estava se censurando ao sentir raiva, mas passou a sentir um grande alívio quando se deu conta que é humano sentir raiva  diante de uma agressão, ou seja não sentir raiva é uma expectativa irreal.

A questão é aprender a lidar com a raiva, conectando-se com a intenção positiva da raiva é mais fácil aprender a lidar com a raiva a partir de um diálogo inteligente.  

Entender a intenção que está disparando a emoção, é uma maneira de amenizar a tensão e evitar uma reação catastrófica. Uma equipe de trabalho quando se rebela, tem um valor sendo desrespeitado e o bom líder ao invés de rebater ou reprimir, busca entender os valores e direciona a negociação no sentido de valorizar os interesses dos liderados. 

Os ciúmes tem a intenção positiva de reter o ser amado. É uma tentativa por mais distorcida que seja,  para se  demonstrar o carinho que eu tenho pelo outro. Os casais mais modernos vivem uma vida mais livre e se a mulher não tem ciúmes o marido acha estranho e sente a falta de ciúmes como se fosse uma expressão de carinho. A Vergonha é uma tentativa de se adaptar às normas do ambiente. A intenção positiva é tentar ser normal, já que não está se sentindo igual e sim diferente. Não se sente adaptado e quer fazer parte de alguma coisa. 

Todo o comportamento, por mais esdrúxulo que pareça também tem uma intenção positiva. Até o suicídio, tem tem a intenção positiva pois a pessoa quando quer dar fim a sua própria vida, está querendo mesmo é se livrar de uma extrema tristeza ou depressão. Então fica claro que nas relações humanas o melhor é a imparcialidade, ou seja, não julgar emoções, nem pessoas. 

O Homem e o dragão

Ganha a luta o guerreiro que não perde tempo reclamando do tamanho do dragão, e sim entende o propósito e os motivos subjacentes de cada emoção, comportamento e fatos da vida.   

Compreendido isso, mãos a obra.

Papel e lápis para traçar as estratégias de enfrentamento:

Para o casamento em declínio, a melhor saída é entender que valores estavam precisando resgatar para reestabelecer a união;

Para me reaproximar dos filhos adolescentes, aumentei a escuta para entender as necessidades deles;

Quanto ao tempo reduzido, eliminei tarefas desnecessárias;

Quanto a profissão, estabeleci metas de produtividade; quanto as tarefas domésticas, dividi responsabilidades.

Conectada com a intenção positiva das emoções, consegui equilíbrio emocional,  ressignificando que problemas são desafios para estimular o crescimento pessoal, e gerei mais espaço para criatividade encontrar soluções para vencer as adversidades. 

Dessa forma, todos os “inimigos” eram transformados em oportunidades para trabalhar a paciência, a capacidade de resolver conflitos e manter a equanimidade seja lá como esteja o humor do dragão. 

Aprendizado

1. Todo comportamento, emoção ou fato da vida é uma oportunidade de crescimento.

2. Tudo pode ter vários significados.

3. Entrar em contato com a intenção positiva dos comportamentos, emoções e fatos da vida, é ter inteligência emocional

4. A vigilância é constante. 

5. Nada é bom ou ruim, tudo é bom quando ajuda no processo evolutivo

6. Quando o desconforto aparece, é hora de pensar, o que deve ser feito para retomar o caminho.

Rebento

Casei com a liberdade
Fiquei grávida da solidão
Comerei espaços vazios
Vou precisar de muito ar, sol e água
E, também, de silêncio
E no tempo em que meu rebento nascer
Eu vou me lembrar de como eu era..
Porque ele sou eu renascido.

– Magui Guimarães

O Curso PNL da Escola de Ciências Comportamentais está com as inscrições abertas com início das aulas presenciais em Agosto, a sua jornada quem faz é você!

824

Jornada do Herói com a PNL| 5° Estação – Travessia do Homem Comum ao Herói Interno

Jornada do Herói com a PNL

5° Estação – Travessia do Homem Comum ao Herói Interno

Travessia do Umbral. Nessa fase, resolvi abraçar definitivamente e determinantemente o processo evolucionário.  Integrar um novo mundo ao meu velho mundo. Esta decisão foi motivada por vários fatores, dentre eles, não suportar mais tomar calmantes  para dormir, energizantes para espertar de dia.  Vontade de saber como é dormir sereno e acordar feliz. A vontade de conhecer algo mais sutil, mais verdadeiro que me trouxesse uma satisfação de viver, era gritante. Abri a escuta do meu coração e recebi a certeza de que todos os perigos, os obstáculos, as adversidades, os incômodos valerão a pena se for  para realizar a minha humanidade.

O Ego

A tarefa de domesticar o Ego, tem sido um processo de atenção constante.  Em cada momento estar consciente dos movimentos egoístas, é uma atividade que requer disciplina. Quando me distraio o Ego volta com toda força, julgando, separando e dividindo

Uma das grandes técnicas da PNL é a observação imparcial, apenas descrever o que ocorre, por exemplo: pensamentos mesquinhos, ressentimentos, mágoas, desejos inconfessáveis, vingança.

Ao perceber estas forças internas, constato o aparecimento delas, sem contudo adjetivar. A imparcial, a ausência de juízo de valor facilita o domínio. Apenas observo, sem combater, apenas atesto, sem críticas, sem adjetivos. 

O Ego

Longe de eliminar, excluir e vencer o Ego, optei por integrá-lo a uma causa maior. O Ego mal dirigido alimenta o materialismo, arrastando o homem a uma vida banal de atender a desejos reforçados pelos cinco sentidos, criando um corpo débil em busca das delícias passageiras e por melhores que sejam, ainda assim, não conseguem aplacar o vazio existencial.   

O “Ego” o “Eu Essencial e a PNL

A medida do Ego não tem fim, e é muito bem representado pela figura do dragão, expelindo pela boca e narinas, o fogo do consumismo exagerado.

O Ego

O herói de si mesmo para vencer o dragão interno, convida-o a servir. O Ego   é um excelente servidor e um péssimo senhor. O Ego é de grande utilidade quando está a serviço do Eu Essencial, contribuindo para uma causa maior que dignifique o herói a lutar pelo Bem, o Belo e o Justo (Tríade de Platão).

Após aceitar o Ego como um servidor auxiliar do processo evolucionário, é o momento de analisar o que causa as distorções do Ego. 

A Programação Neurolinguística – PNL dá uma contribuição valorosa ao identificar que o sistema de crenças é o grande vilão que afastam o herói da jornada.  

Rejeitar o ego, brigar com ele é perder energia em vão, pois o Ego e Eu essencial fazem parte da constituição humana, é a nossa dualidade. A grande tarefa é harmonizar as partes, começando em aceitar o Ego como uma força útil e inclui-lo no processo de crescimento espiritual. 

Crenças Limitantes

Importante nesse momento era descobrir o que acontece dentro da mente que distorce e degenera o Ego para servir unicamente  às causas materiais, o sentimento de prisão e limitação é grande.

Crenças limitantes

A capacidade de auto observação, sem crítica ensinada pela PNL, proporcionou um mergulho mais profundo, descobrindo as crenças que alimentavam comportamentos egoístas e que nos deixam presos, tipo:

“Preciso ganhar todas as vantagens”
“Quando o outro ganha, eu perco”
“O outro quer tirar vantagens de mim”

…e outras frases que estimulavam o individualismo exacerbado e me colocava na ilusão da separatividade, individualidade seguida de auto importância. 

Identificadas as crenças limitantes, agora o segundo passo era transformar crenças de exigência em crenças de preferência. As neuroses estão alicerçadas em exigências rígidas do tipo:

“As pessoas TEM QUE me aceitar”
” A vida TEM QUE ser justa comigo”
“As coisas TEM QUE serem fáceis para mim”
“Todos TEM QUE me obedecer”
“Eu  TENHO QUE ser perfeito”

Esta linguagem do “TEM QUE” dispara no sistema nervoso a adrenalina em excesso, diminuindo a imunidade.

Estas frases impositivas tem um efeito danoso também na fisiologia crispando os músculos do rosto e tornando a respiração curta, o que diminui a oxigenação no cérebro com consequências péssimas para a saúde do corpo além do estado mental de pressão, ansiedade e depressão.  

Quanto maior a expectativa que temos do mundo e das pessoas, maiores são as frustrações, aborrecidos e decepções, pois os outros não nasceram para satisfazer as exigências de um Ego autocentrado.

Reprogramando a Mente com a PNL

A PNL oferece  um conjunto de perguntas que quebra a rigidez da crença limitante  e constrói outra nova crença mais flexível.  

Além de perceber que  não sou o centro do mundo, passei a  fazer uma mudança na minha programação neurolinguística, reconstruindo as frases da seguinte forma:

➡️ Eu prefiro que as pessoas me obedeçam, facilitem as coisas para mim, que me aceitem como eu sou, que sejam justas comigo, e que sejam perfeitas, mas se isto não acontecer não é uma catástrofe, eu tenho capacidade de absorver contrariedades, ninguém vai morrer por causa disso, isso é apenas é um inconveniente. 

PNL Programação Neurolinguística

Usando estas frases, amenizei o nível de exigência e obtive mais inteligência emocional. Conclui que a  qualidade de vida começa na qualidade da linguagem.   

O fato de estar fazendo alterações na linguagem é caminho sem volta, pois a palavra é a raiz do comportamento e das emoções.

Dessa forma a transmutação, a alquimia interna, atingiu o âmago do meu ser, pois o som da palavra é a magia estrutural que sedimenta um processo de autoconhecimento, com início e que jamais terá fim.

Ao reformular o patrimônio de crenças, acontece a  depuração  das emoções e  junto,  temperança, uma espécie de harmonia entre as partes conflitantes. A partir dessa experiência, finalmente estabeleço a ordem interna e assumo o comando do processo emocional e o autodomínio de que quem manda é o EU essencial e quem obedece é o ego. E o “eu” essencial resolveu assumir o comando do “eu” animal.

No  início,  requer vigílância, perseverança, disciplina e constância, depois automatiza.

Adquiri como hábito, dar mais atenção ao uso a palavra, pois o som tem uma vibração, uma força que por sua vez, gera um impacto no sistema nervoso e no ambiente.

Observe a diferença entre dizer:

“Estou preocupado”

e dizer:

“Eu sou atencioso”

Ao invés de dizer:

“Sou nervoso”

dizer

“Estou nervoso pontualmente com tal fato”

E assim, venho adquirindo o domínio de tal forma que hoje, quando o egoísmo se manifesta eu apenas o reconheço e, isto é o bastante, para que haja uma retração, facilitando a harmonia.

Mente

Sou eu renascendo de mim mesma, tomando posse de mim mesma, e vencida a grande batalha interna, é possível levar o foco em harmonizar o mundo externo. O uso de uma linguagem consciente e libertadora possibilita despertar o sagrado realizando um casamento do corpo, da matéria, do ego com o espírito, a energia cósmica, o Eu divino, unindo-se para ser ponte entre o céu e a terra. 

Ao integrar o Ego com o Eu divino, venci a mim mesma, renasci para o serviço em prol de uma causa maior.

Aprendizado

1. O amor é inclusivo, não exclusivo;

2. A aceitação do egoísmo é o primeiro passo para alcançar o altruísmo;

3. A verdadeira batalha é interna;

4. Cada respiração é uma oportunidade de morrer para o velho e nascer para o novo;

5. Para vencer o mundo externo, há que vencer a si mesmo;

6. Todos temos um potencial interno a ser despertado;

7. Nada será como antes;

8. A busca do herói é fundir sua identidade com o UNO.

Espelho
A mente pensa
A mente pensa
Conceitua o inconceituável
Estagna o curso do rio
Adjetiva o voo do pássaro
Estabelece regras
Impedindo o natural movimento de ser
Acorda, finalmente do torpor
De imaginar e supor
E com olhos limpos e abertos
Olha para a possoa
E vê…
E se vê nela
Emundo junto com ela
A cada instante,
O modo de ver.

– Magui Guimarães

Saiba como conseguir conciliar e coexistir pacificamente com suas partes e continuar a jornada. O Curso PNL da Escola de Ciências Comportamentais está com as inscrições abertas com início das aulas presenciais em Agosto, a sua jornada quem faz é você!

Jornada do Herói com a PNL 4ªEstação: Provas e Mentor

Jornada do Herói com a PNL

4ªEstação: Provas e Mentor

O encontro com os mentores ocorreu no curso de formação em Programação Neurolinguística – PNL. Os professores mais experientes criam provas para testar o discípulo e forçá-lo a diante de uma situação, tomar uma decisão assertiva. Agora, aos quarenta anos, não dava mais para fingir “estar bem”.  Era o momento de encarar a minha pequenez e resolver o que fazer daqui pra frente. De agora por diante tornou-se impossível fugir de mim mesma. As dinâmicas realizadas durante o curso me colocavam de frente  com as sombras. Agora era a hora da verdade nua e crua.

Aos quarenta, após muitos altos e baixos, várias angústias, insatisfações, frustrações e sofrimentos comecei o processo educacional da PNL, no ano de 1990, e consegui finalmente estruturar o meu autoconhecimento, um encontro verdadeiro comigo mesma, limitações e potenciais. 

Eu não era o que imaginava, mas poderia a partir do encontro com a verdade, começar a desenhar a pessoa que nasci para ser. Considero a autoconsciência a maior conquista do ser humano. Eximir-se dessa tarefa é inutilizar-se, é perder-se em distrações que distanciam a humanidade de sua real missão. Os cinco sentidos, encantam-se com ilusões e nada de realmente evolutivo se processa. 

O monstro interno

Em Gizé, uma região no Egito, na entrada da esfinge, existe placa onde está escrito, Decifra-me ou devoro-te. Ou a gente se descobre ou o monstro interno vencerá. Existem vários véus encobrindo o mistério humano, e somente os corajosos se submetem a retirar as capas, uma a uma até encontrar a essência encoberta pelas aparências.  

Decifra-me ou devoro-te

É possível realizar horizontalmente muitas coisas e ser uma pessoa de “sucesso”, o que é absolutamente inútil, do ponto de vista da evolução do espírito. Os sucessos dentro dos padrões da sociedade consumista podem servir de armadilhas  caso a pessoa se encante tanto com as conquistas materiais que se esquece de verticalizar para descobrir verdades mais profundas. O real crescimento é para cima enquanto os perdidos ficam buscando as saídas pelos lados. 

A PNL fornece uma grande ajuda na medida que mostra como algumas pessoas que estão mais avançadas, conseguiram entrar no processo de autoconhecimento, autodesenvolvimento e autorrealização. 

Primeira Prova

A compreensão inicial é entender que a forma como descrevemos o mundo, não é o mundo, analogicamente mapa não é o território. Nossa representação do mundo feita através de palavras, imagens e sensações é apenas uma forma de entender utilizando a da capacidade mental, de diferentes dimensões para cada pessoa. 

Tem gente que tem capacidade de um dedal e outras tem a capacidade de uma escavadeira.

Mesmo que a capacidade seja grande para absorver um número maior de informações, mentalmente temos apenas um mapa representativo da realidade, mas não tocamos na realidade tal qual ela é em si mesma. 

Esta, é uma prova muito sutil e quando conseguimos passar por ela, nos tornamos humildes diante da imensidão do mistério cósmico, nossa atitude é de respeito e referência ao desconhecido. É a primeira prova da qual saímos com a consciência de que olhamos e não vemos, ouvimos e não escutamos, sentimos e não percebemos. Os cinco sentidos são os cinco abismos que o herói atravessa com humildade diante da grandeza da criação.

Segunda Prova

A segunda prova é a da autopercepção: – Diante de um mundo tão grandioso, quem sou eu, o que estou fazendo aqui, o que esperam de mim, de onde vim e para onde vou.   

Viver em função de comer, beber, dormir e acasalar é comparar-se a um animal. Existe algo mais além dos instintos. A partir da descoberta da missão, a vida passa a ter um sentido, uma razão de ser que servirá de bússola na trajetória. 

Jornada

A descoberta da missão requer a conexão com as leis da natureza, caso contrário o ego irá interferir construindo uma missão absolutamente material, fora do plano divino.  

A verdadeira missão humana está na prática da fraternidade, usando os talentos a serviço do benefício do todo. A partir da descoberta da missão, a vida passa a ter um sentido, uma razão de ser que servirá de bússola para orientar como chegar ao porto seguro. 

Todo herói na caminhada recebe as benções de um protetor e a missão é tipo uma capa invisível, uma poção mágica, um superpoder que garante vencer os obstáculos para que a missão seja cumprida.

O terceiro passo é a operacionalização da missão que requer muito mais do que uma mera transformação ou seja, mudança na forma. A transcendência requer uma missão, fruto de uma transmutação. Os alquimistas medievais acreditavam que a verdadeira transmutação  é aquela em que o homem de chumbo se transmuta em homem de ouro, isto é,  muda a substância.

As técnicas da PNL 

Nesse ponto também as técnicas de autoconhecimento da PNL falam da importância de definir com detalhes do ponto de partida, denominado de estado atual, o início de uma caminhada para o estado desejado

Ter vontade de ser altruísta requer, por antecipação de se reconhecer egoísta. Este é uma prova que exige muita humildade. Durante o curso de PNL senti na carne a dor de me reconhecer soberba, invejosa, avara, irada, gulosa dentre outras características difíceis de aceitar. É doloroso saber que aquilo que condenava nos outros era apenas um reflexo de mim mesma.  

Antes da PNL, quando estava prestes a me desnudar, recorria a distrações com comida, bebida, balada, programas de televisão para camuflar estas visões das sombras internas. Porém, à luz da consciência é o melhor antídoto, e além de revelar os vícios, mostra um potencial de virtudes, sementes querendo despontar.

Muitos desejam mudanças comportamentais sendo mais calmo, por exemplo, e quando não conseguem, pensam que são incapazes e com isso afeta negativamente a autoestima, achando que são incapazes de melhorar.   Mas não conseguem porque não sabem o “como”, ou seja o método. 

A PNL pesquisou que os homens exitosos conhecem o funcionamento  da mente e mandam comando eficientes para concretizarem seus objetivos.  Além disso, comunicam-se da forma científica utilizando informações de alta qualidade e por isso tornam-se expert nas relações humanas. Outro resultado brilhante descoberto pela PNL, é a estratégia mental de construir imagens da pessoa que queremos ser:  se quer ser altruísta, a técnica é perguntar “Como” a pessoa altruísta se comporta.  

Todos podem saber o que querem ser, mas o segredo está no “como” é o processo passo a passo. 

Quanto maior a capacidade de criar imagens dos comportamentos que queremos adotar, maiores são as chances de conseguir a transmutação de egoísta para altruísta, nervoso para calmo, grosseiro para amoroso, ou qualquer outra qualidade, requer efetuar comandos na linguagem visual em que a mente e o cérebro possam se comunicar através de imagens.  

Recapitulando, a escolha de ser altruísta é um passo importante, mas para conseguir que  seja uma realidade psicossomática existem três ritos básicos, simples e imprescindíveis.   

O primeiro é criar uma imagem, uma cena do comportamento almejado. A cena do comportamento pode ser construída através de um modelo interno ou externo. Podemos encontrar um modelo externo que nos inspire ou ser o próprio modelo o que permite a automodelagem. 

Trata-se uma excelente técnica da PNL para conseguir pinçar um comportamento desejado. Afinal, somos um poço de experiências as quais podemos acessar os modelos internos com facilidade utilizando a memória para resgatar no passado cenas de comportamentos já executados que estamos, agora, querendo replicar.

Por exemplo, se a pessoa escolher ser mais serena, deve entrar na linha do tempo e fazer uma regressão se perguntando:

Em que momento da minha vida no passado eu me comportei de forma serena?

Esta pergunta gera uma pesquisa transderivacional, e o google particular da mente traz uma resposta precisa. 

Em um momento da minha vida, precisei desapegar de um cargo no meu trabalho e não conseguia dormir de noite, quando me lembrei de que no passado, havia sido capaz de me desapegar de todos os meus pertences (com exceção da coleção de livros Barsa). Foi mágico quando me associei ao momento de desapego passado, trazendo-o para o presente, e finalmente consegui vencer o apego, abrir mão do cargo e conquistar a serenidade diante da perca. 

Uma vez necessitei ter um comportamento de perdão onde uma pessoa havia me caluniado injustamente e não conseguia encontrar no meu passado, na minha história de vida um momento onde eu tivesse sido capaz de perdoar. Lembrei-me então de um modelo externo de Madre Tereza de Calcutá que passou a ser minha grande inspiração, de tal sorte que quando chegavam as provas eu me perguntava: Nessa situação se eu fosse Madre Tereza como eu agiria?

Imediatamente minha mente formava a imagem das ações e era mais fácil fazer o espelhamento de um modelo externo e adquirir recursos internos  para vencer mais uma prova. Daí por diante estabeleci vários modelos, cada um, com determinadas capacidades e comportamentos específicas para cada caso. 

Mito é a fórmula geral de evolução
Em cada degrau tem um mito para ensinar
Para que o mito possa ajudar ultrapassar a próxima barreira
Localiza em que degrau está pra puxar um doador mágico

Assim como uma mesa para existir, precisa antes ser projetada na mente de seu criador, eu comecei a construir a imagem do ideal. Vale ressaltar que se trata de imagens de comportamentos que estejam alinhados com a missão de vida.

Cuidado com a mídia que cria padrões de sucesso vazios e supérfluos.

E a cada prova que aparece, tenho recursos para avançar, e embora saiba que batalha é longa e exige vigilância constante, a vitória é certa pois tenho um modelo que deu certo já testado.

Este é caminho do herói que se propõe a construir um mundo a partir de uma transmutação interna. Se eu quero encontrar pessoas fraternas, tudo começa na busca de um modelo fraterno e depois descobrir o seu modus operandi e espelhá-lo. 

Assim, é possível transmutar os vícios, a competitividade em cooperação, a auto importância em humildade, a mania de julgar em observação,  o egoísmo em fraternidade, a inveja em admiração, a gula em equilíbrio, a preguiça em proatividade, a avareza em generosidade e muito mais.  

Estas são as provas da saga do herói que inicia com a vontade de melhorar e depois, a coragem de enfrentar e, por última a satisfação do herói de estar subindo a escada evolutiva, vencendo os vícios e praticando as virtudes.

Ninguém atinge um degrau mais alto na natureza,
sem cessar de existir em um local mais baixo.
Abandona sua vida se queres viver. 
É morrendo que nasce para a vida eterna
Em verdade vos digo que ninguém entrará no reino dos céus
 se não nascer de novo.
Solve nesse plano com a gula no outro
Renasce purificadoSomente o nascimento pode vencer a morte.

Aprendizados:

1. Ser bom é um ato de inteligência que leva a felicidade;

2. Harmonizar dois mundos diferentes é missão heróica;

3. Quero estar grávida do meu melhor;

4. Quanto mais sabedoria, mais compromisso com o todo;

5. Cuidar mais do coração do que do corpo;

6. A culminação da Sabedoria é a fraternidade;

7. As sementes do futuro estão no presente.

Eu sou

Eu sou…
O contrário de mim mesma

A pressa da vagareza
O veneno do antídoto
O nada do todo
O anverso do verso
O silêncio do verbo
O mudo que tudo diz
A alegria do infeliz
A tristeza do felizardo
A solidão do acompanhado 
O doce do fel
O amargo do mel
A água do fogo
A escuridão que conduz
A treva da luz
O amor do ódio
O início do fim
O todo sem mim

– Magui Guimarães

O Curso PNL da Escola de Ciências Comportamentais está com as inscrições abertas com início das aulas presenciais em Agosto, a sua jornada quem faz é você!