fbpx

Categoria: Saúde

Como preparar a mente para a pós pandemia?

Como preparar a mente para a pós pandemia?

Desde o final de 2019, o Coronavírus está presente em nossa rotina, no início de 2020 essa doença ganhou status de pandemia e desde então trouxe meses de isolamento social, mortes, mudança de comportamento, novas rotinas e uma pergunta: Como podemos preparar a nossa mente para a pós pandemia?

Mente sã

A curva parece estar em declínio e francamente, este assunto de pandemia precisa ser reinventado. Apoio a insistência em trazer as notícias das mortes como uma alerta para se ter mais cuidado, no entanto, de forma responsável. 

O desafio

Parece que alguns não querem entender, outros entendem, mas preferem morrer. Talvez uma diminuta parte da população queira aprender a mensagem do vírus.

Através desse micro organismo a natureza está querendo evitar uma catástrofe maior quando avisa que a falta de cuidado com o planeta gera reações letais.  

Obama em seu discurso para uma turma de formandos diz que esta pandemia juntamente com outros problemas de desigualdade econômica, diferenças raciais, falta de acesso a saúde e a educação, veio mostrar que quem está no comando não sabe o que está fazendo e é de responsabilidade dos jovens de hoje cuidarem das gerações de amanhã. 

É fato que as velhas formas de se fazer as coisas simplesmente não funcionam.     

Porém, há que enfrentar com a confiança de que novas soluções surgirão a partir do aprendizado com os erros do passado. 

O mais importante é fazer o que é certo, baseado em valores elevados como: honestidade, trabalho duro, responsabilidade, justiça, generosidade, respeito e ética ao    invés de escolher o fácil ou gostoso, ou o que traz lucro, ou popularidade.  E ainda, carece de construir uma comunidade.

Ninguém faz grandes coisas por si só. Até para você ser ninguém, precisa de alguém.  O outro é parte da rede que sustenta todos, segundo Fritjof Capra no livro A Teia da Vida. 

Um sistema sustentável cuida do mais frágil, pois a corrente quebra no elo mais fraco.

É preciso ir além do entendimento da mensagem que a natureza está nos enviando  e partir para a ação: evitar poluir as águas rios, consumir menos, cuidar do ar, diminuir a exploração dos recursos naturais porque se não for por amor a natureza, é porque é um caso de vida ou morte. 

O planeta não resiste as agressões humanas.  

Amazonia

Talvez fosse bom conter a ambição desmedida, mas como? Porque mesmo sabendo que a amazônica é o pulmão do mundo, a floresta está sendo devastada? as pessoas continuam passivas? 

Acredito que seja a ausência da noção de longo prazo. A humanidade é imediatista. Vou contar como me eduquei para usar o cinto de segurança empregando as técnicas da Programação Neurolinguística – PNL

A experiência própria com a Programação Neurolinguística (PNL)

Teve uma época da minha vida que eu não dava importância ao cinto de segurança e paguei um bom dinheiro com multas, mas, continuava deseducada.

Sinto de Segurança

Na minha cabeça, o sinto era um empecilho, ele amassava minha roupa, comprimia o meu peito e eu queria me sentir livre e não amarrada. 

Soube então de uma pessoa que havia morrido porque estava sem cinto.  A partir de então, resolvi trabalhar minha mente usando uma técnica chamada Ponte para o Futuro

Técnica da PNL: Ponto para o Futuro

Fiz o seguinte: consultei na internet vídeos que mostravam a consequência desastrosa do desuso do cinto, e imaginei um desastre no qual eu ficava muito mal e passava muitos meses me recuperando com dores e incômodos. Ouvia as pessoas me recriminando e sentindo culpa por estar naquele estado deplorável.  

Depois criei uma segunda cena em que eu usava o cinto de segurança e conseguia minimizar as sequelas físicas, pagando apenas pelo conserto do carro. Avancei ainda mais quando dei um tratamento especial a qualidade da imagem da segunda cena. Como se eu fosse um editor de vídeo, para que a cena permanecesse vívida na memória, utilizei a imaginação para colorir a cena em que eu estava bem, e realcei ainda mais aumentando a luminosidade, o brilho, o tamanho, a tonalidade das cores.

Agora que aquela cena estava digna de um museu de arte, concentrei-me em melhorar a qualidade do som da voz das pessoas me parabenizando pela “sorte” de estar apenas com ferimentos leves. Eram vozes melodiosas e assim, a sensação de alívio permaneceu, fazendo com que eu sentisse satisfação em colocar o cinto.

Se por acaso eu me esquecesse, imediatamente vinha na mente as consequências desastrosas que me impulsionavam a colocar o cinto.     

Maturidade é exatamente a capacidade que de avaliar as consequências dos atos a longo prazo. Caso se deixe levar pelos instintos, ingere açúcar para satisfazer um desejo imediato sem pensar na diabete futura.  

Se a partir de agora instalarmos um hábito de visualizar os seres humanos sem ter como plantar alimentos em uma terra devastada, com dificuldades respiratórias em razão dos poluentes, com sérios problemas de saúde em função da contaminação química das águas e todos os demais malefícios da exploração exagerada dos recursos naturais, sentiríamos temor em prosseguir com a destruição do planeta.  

No entanto, criar cenas futuras dos malefícios e dos benefícios nos faz optar pela preservação da natureza.

➡️ Pensar a longo prazo e agir a curto prazo é uma forma de educar a mente a fazer escolhas sustentáveis. 

Mentes egoístas querem usufruir de tudo que tem direito, aqui e agora, doa a quem doer, aconteça o que tiver de acontecer.  São crianças querendo mimos.  Porém o ser verdadeiramente ecológico tem uma mente voltada para o coletivo, é ético evitando ações que causem danos aos outros, e age buscando proteger as próximas gerações porque quando viaja no futuro percebe os malefícios e os benefícios de suas ações no presente.  

Uma mente aberta entende as mensagens subliminares da natureza e é generosa com tudo que tem vida dentro e fora do homem.   

Vamos aquietar a nossa mente diminuindo os desejos de posse das riquezas naturais, como diz a música:

“mente quieta, espinha ereta e coração tranquilo”.

🎶🎶🎶🎶🎶🎶🎶🎶

A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – PNL irá lhe ajudar a vivenciar de forma saudável todas as emoções internas e externas e agir na inteligência psíquica e emocional. 

Já conhece o nosso novo curso online? Ele é um passo importante na jornada em busca do autoconhecimento e competências comportamentais, clique no banner abaixo!

Como trabalhar a IMUNIDADE com a PNL – Parte II

Como trabalhar a IMUNIDADE com a PNL – Parte II

Em tempos onde a insegurança pode falar mais alto e o medo de um inimigo invisível nos deixa reféns de pensamentos negativos, esse artigo é para te ajudar a refletir sobre o poder da mente e como condicioná-la durante esse período.

Na parte I eu expliquei sobre: 

✔ Como você analisa o contexto

✔ Porque é tão angustiante ficar parado em casa

✔ A crise tem algo de bom?

✔ Quais são os impactos das notícias ruins

✔ Mais do que cuidado com a higiene 

➡ Leia a parte I do artigo aqui!

Aqui iremos nos aprofundar e entrar no poder da mente e atuação da PNL (Programação Neurolinguística).

Vamos para a parte II? Boa leitura!

O autoconhecimento ajuda a imunidade

Compreender que temos uma dimensão maior, é se identificar com algo que vai além dos impulsos. 

“Você é um corpo que tem uma alma ou uma alma que tem um corpo?”  

Aristóteles

Se a pessoa responde a primeira (um corpo que tem uma alma), irá se apavorar ainda mais com as notícias de morte porque o corpo é de matéria finita, então a ideia da morte é terrível. Somos uma dimensão infinita em um corpo finito, a morte representa somente uma passagem para uma dimensão maior.

Alma infinita

Ao se identificar com algo divino, é possível entender a ilusão da separatividade e ter um senso de união e responsabilidade com o próximo.

A espiritualidade nos faz mais cuidadosos com o que pensamos e fazemos a fim de contribuir para um mental coletivo mais acolhedor.  Entender que fazemos parte de um grande oceano de consciência, nos coloca na posição de irradiar pensamentos e sentimentos esperança, paciência e fé

A espiritualidade tem alguma influência na imunidade? 

Sim porque quando uma pessoa tem uma relação de confiança e se sente amada pelo poder superior, tem mais facilidade de fabricar a serotonina que além de gerar uma sensação de bem estar, ainda aumenta a imunidade do corpo.

Acreditar em um Pai bondoso que zela por todos nós, e praticar a fraternidade, é muito útil para manter um organismo são. 

Nossa mente tem duas faces, sendo uma virada para cima, refletindo os valores celestiais, que é a dimensão divina que nos ampara e nos protege, e outra parte, virada para baixo que nos conecta com as necessidades de sobrevivência.  Viver as duas nos faz mais completos. 

Espiritualidade

A dimensão superior nos ajuda, e nos momentos de desespero, quando já fizemos tudo que podíamos fazer,  o melhor é desapegar e entregar-nos ao poder superior.

Os cátaros, povo do sul da França, quando foram obrigados a serem queimados vivos, pela Santa Inquisição, decidiram se atirar nas fogueiras dançando e cantando. 

Sócrates aceitou beber a cicuta, Mandela continuou na energia amorosa durante trinta anos preso injustamente. Permaneceu  com a mente lúcida, sem desespero e mágoas.   

Acreditar que a morte não é o contrário de vida e sim de nascimento, nos leva a atitudes mais equânime e equilibradas para esperar a crise passar.  

Como usar a mente para aumentar a imunidade do corpo

Existem vários exercícios para usarmos o nosso hardware que é a máquina do cérebro, a parte material e finita, e o software que é a mente, a parte imaterial com infinitas possibilidades de pensamentos. Somos ricos de possibilidades de resgatar o nosso melhor e também o pior.   

Isto porque o ser humano, além da imaginação, é dotado de livre arbítrio e  a mente sempre diz SIM, as escolhas que fazemos.  Quer você suponha que “pode”, quer suponha que “não pode”, sempre terá razão.  

Podemos usar a imaginação para conseguir fazer algo ou para não conseguir fazer algo.  O interessante é que para o sistema nervoso, a experiência imaginada é a realidade. 

Imaginação

Podemos fazer o corpo sentir a sensações como por exemplo: a sensação do azedo ao se imaginar  esfregando uma banda de um limão na língua, e mesmo que o limão seja somente fruto da imaginação, a boca saliva como se fosse real.

O neurônio, a célula nervosa, não sabe o que é mentira e o que é verdade, ele apenas roda o programa que a mente determina.  Ao assistir um filme de terror, sentimos medo, mesmo que a nossa supra consciência, que está além da mente, saiba que é apenas um filme.

O sistema nervoso é sensível e responsivo. O neurônio, a célula nervosa, simplesmente responde à imaginação, sem fazer a distinção entre o fato real e a imaginário.  

Uma mente saudável, tem mais condições de criar um corpo saudável para combater o invasor. O corpo pode criar uma imunidade a partir de um estímulo mental.   

Poeta Juvenal
Mente sã, corpo são” – Poeta Romano Juvenal 

Exercitar a respiração profunda e consciente, esse é outro exercício simples e eficiente.  

Pilates que durante a guerra contra Alemanha, refugiou-se em um hospital bombardeado, e teve a ideia de criar aparelhos com molas dos colchões e ferros das camas para fazer exercícios juntamente com os sobreviventes. Quando a guerra terminou, somente os pacientes do andar em que Pilates ensinou a respirar de forma coordenada com os movimentos do corpo, permaneceram saudáveis. A respiração correta aumenta a imunidade.  

Quando a respiração é potencializada com a visualização da célula criando o anticorpo, a imunidade cresce ainda mais, por exemplo:  

➡ Inspira pelo nariz e imagina que o ar está trazendo saúde para o corpo, e ao expirar pela boca, imagina que a doença está saindo do corpo.  

Existe um laço cibernético entre o pensamento, o comportamento e as emoções, de tal forma que um interfere na outro.

Vamos fazer alguns exercícios? 

🔶 Primeiro exercício (seleção de pensamentos):

Se tenho pensamentos agradáveis o meu corpo é sadio, e as emoções são prazerosas. Mas, se permito a entrada de  pensamentos desagradáveis, limito comportamentos e sofro com emoções perturbadoras. Dessa forma, selecione pensamentos que geram bem estar.

seleção de pensamentos

Uma respiração tensa e curta, restringe a entrada de oxigênio no corpo, este comportamento vai afetar os pensamentos e baixar o humor. Uma postura encurvada para baixo reforça um estado depressivo. Olhar para cima reforça o estado celebrativo. 

🔶 Segundo exercício de adotar boas posturas:

“Olhai as estrelas do céu”.  Assim é mais fácil de acreditar que a natureza tem infinitas possibilidade de recuperação. Além do olhar, também preste atenção em manter a coluna ereta, e ombros para trás. Em alguns momentos do dia, colocar as mãos na nuca e olhar para cima. 

Experimente e comprove a mudança de estado para melhor. 

Quanto às emoções, se o mau humor predomina, seus pensamentos e suas posturas corporais serão  contagiados e todo o sistema estará comprometido com o seu pior.

🔶 Terceiro exercício de bem estar:

Lembre de momentos descontraídos, assista filmes de humor e escute piadas. Você está curado psicologicamente quando estiver rindo dos próprios infortúnios.

Bem estar com a PNL

Quais as melhores crenças para aumentar a imunidade do corpo?

São as que estão no nível de identidade, ou seja aquilo declaramos que somos. 

Dizer:  

“Eu Sou saudável”, é mais forte do que “Eu tenho saúde”.  

Definir a identidade é escolher o que ser quer ser.   E o sistema imunológico reconhece os organismos invasores que não fazem parte da identidade e expulsos.

É curioso como cada célula sabe quem é você, e sabe quem não é você, e por esta razão reconhece os invasores, os inimigos e formam anticorpos para combater o corpo estranho.

Como uma crença pode gerar saúde?

O exemplo mais conhecido é o efeito placebo, ou seja uma pílula de farinha  pode passar a dor, no paciente que acredita tratar-se de um analgésico. Esta é a razão pela qual o medicamento atua de forma diferenciada em cada paciente. 

Dependendo da crença uma pessoa pode se achar capaz de combater uma doença ou se entregar a ela. A mente focada na saúde cria um ambiente interno favorável à cura.

Quais crenças são favoráveis a criação de estados internos fortalecedores em momentos de crise?

Acreditar que Tudo é cíclico e, como as estações da natureza, no verão precisamos pensar em como nos preparar melhor para o inferno. E quando o inferno chegar, suportar com paciência e esperar a primavera chegar. 

Caos

Afinal, tudo passa, nada é para sempre.  Use a imaginação, e faça uma ponte para o futuro e se veja daqui uns meses, olhando para trás, o quanto fomos criativos e, o quanto saímos da crise mais unidos e fortalecidos. 

Qual o melhor estilo de vida para adquirir imunidade

O que mais se escuta são pessoas que esperam no futuro viverem uma vida na qual tenham conforto, lazer, viagens, prazeres físicos, dinheiro, energia para curtir, boas comidas, boas roupas.   

Existe uma ilusão social que os melhores momentos são aqueles nos quais estamos relaxados e passivos.

Mihaly Csikszentmihalyi, psicólogo húngaro PhD, pesquisou durante duas décadas os estados de “Optimal Experience”, isto é, experiência máxima do ser humano. 

Descobriu-se então que estados de “flow” – fluir  é um momento de concentração tão centrado que a pessoa fica totalmente envolvida na atividade, que o resto não interessa …é aquele conceito budista de ser “um com o todo”, de “ser umcom a experiência.

São exemplos de “Flow”: esportes, dança, ao tocar um instrumento, reflexões, leitura, quebra-cabeças, diálogos profundos sobre ideias, trabalhos manuais etc.

Flow
Best Seller “Flow” – Mihaly Csikszentmihalyi

A bailarina quando está em “flow” não dança, ela é a dança. O pianista é a música, e  o desportista está tão integrado com a atividade que perde a noção do tempo e espaço.  

Os artistas, escritores, compositores, poetas, músicos, vivem no estado da arte, em alto grau de satisfação e por esta razão  sublimam as condições externas, esquecem as privações  traumas passados, e vivem somente no presente, o aqui e agora, livres da  expectativas futuras.

bailarina

Mihaly percebeu que quanto mais as pessoas tem capacidade de ficar totalmente no presente mais tem condições de ter qualidade de vida e maior é  grau de satisfação.  

Outros momentos de experiência máxima é quando sentimos que temos controle de nossas ações, somos donos de nosso destino:

Quando conseguimos vender alguma coisa, fechar uma negociação difícil, conquistar uma promoção, ou quando cumprir a meta. Assim, nos sentimos vitoriosos por ultrapassar um desafio no trabalho.

Estes sim são momentos memoráveis – momentos de bons combates! Situações em que o corpo ou mente estavam completamente empenhados num esforço voluntário para realizar algo que vale a pena.

Uma experiência máxima é algo que fazemos acontece. Quando acontecem estes momentos, nem sempre são agradáveis,  como o atleta que sente os músculos esgotados durante uma prova, mas não vê a hora de participar dela de novo. 

Atletas

Ninguém consegue ter um momento de êxtase, deitado no sofá. Momentos esplêndidos são os de auto-superação e estão mais ligados mais ao desafio do que ao descanso, estão mais ligados à satisfação do que ao poder aquisitivo.

Os artistas tornam-se “um” com a sua arte, independente das condições externas, e vibram com tamanha intensidade, onde não entram nem o medo, nem a ansiedade ou a censura.  Vivem associados a sua arte e dissociados das circunstâncias externas. 

Sejamos artistas de nossa própria vida, vivendo no estado de presença!

Como sair do medo de adoecer para um estado de coragem de reagir contra doença?

O medo contamina como doença de pele em piscina, bastando apenas  uma única pessoa estar contaminada, a coragem desce pelo ralo. As pessoas também podem se deixar contaminar pela coragem e fazer o medo sentir medo de se espalhar.

Incorporando a coragem podemos contaminar pessoas, inclusive a pessoa que somos.

Coragem

Podemos escolher ser derrotados antes mesmo da batalha começar dizendo, repetidas vezes, as frases “não vai dar certo”, “eu não consigo”, “isto é impossível”, “eu não mereço a vitória”. E vivem o medo que paralisa e empobrece. 

Mudar um estado é somente possível mudando os pensamentos. A qualidade dos estados interno dependem da qualidade dos nossos pensamentos.

O primeiro trabalho é de se convencer que podemos escolher entre enfrentar o dragão ou sair correndo. E sair correndo vai fazer o dragão avançar, como diz aquela frase se correr o bicho pega e se ficar o bicho come.  Mas se ficar e resolver enfrentar o bichão, existe uma possibilidade de vencer. 

Se entendermos que o dragão é um pensamento a ser enfrentado, ele será derrotado.

Essa alquimia mental acontece quando saímos da rigidez e da limitação e concentramos nas possibilidades.

Metaforicamente a escolha de pensamentos de possibilidades de cura, de crescimento, de coragem, é que transforma homens de chumbo em homens de ouro. 

Também é importante entender que toda emoção tem uma contraparte inversa na outra polaridade de igual natureza e substância porém diferente em intensidade. Como por exemplo: ódio e amor, preguiça e atividade, medo e coragem.   

Usando a Memória

É possível sair do medo usando a memória para imaginar um momento em que foi corajoso, ou mesmo lembrar de um momento de coragem de um herói da mitologia grega.

A memória pode operar milagres trazendo para o presente os momentos nos quais tivemos a liberdade de escolhas de sentir o que queremos sentir. 

Mesmo que seja um medo coletivo, é possível investir energia com a prevenção, antes que o medo se transforme em pavor da doença,  sem se deixar vampirizar pelo medo.

Medo

O que cresce é aquilo que se coloca sua atenção. É mais produtivo concentrar no que se pode fazer, do que naquilo que nada pode ser feito. 

Ao invés de gastar energia naquilo que não se pode modificar, o melhor é cuidar de aumentar, através do pensamento, a imunidade do corpo imaginando uma cena de seu organismo criando mecanismos naturais para combater os corpos estranhos.

Vitória

Afinal melhorando o estado interno já é de grande valia para o restabelecimento da saúde, e a  mente tem o poder de elaborar pensamentos mais elevados, utilizando a força da palavra.  

A PNL (Programação Neurolinguística) estuda a palavra cuja  vibração sonora afeta o sistema nervoso, servindo de gatilho para disparar neurotransmissores responsáveis pelas emoções tais como: gratidão, amizade, felicidade, alegria, satisfação, paciência, amor, honestidade, verdade, sabedoria… as quais possuem vibrações que por sua vez,  contribuem par aumentar a imunidade do corpo.

A PNL (Programação Neurolinguística)

Usando  Programação Neurolinguística – PNL,  programei usar a mente para melhorar a saúde do corpo, e venho conseguindo fortalecer a  imunidade cultivando crenças fortalecedoras, como por exemplo:

“Eu sou saudável”, “Eu sou a dona da minha saúde”, “Sou capaz de criar defesas através da força do meu pensamento”, “Eu mereço ter saúde”. 

A repetição desses mantras liberam serotonina que é um neurotransmissor responsável por estados internos de celebração à vida e de bem estar. Para estimular a produção de serotonina, pode-se também usar a memória para recordar momentos felizes, momentos de conquista, de autossuperação diz

Alex Korb, neurocientista do site Psicologia Hoje.  É simples entrar em estados felizes olhando fotos antigas recordando de fatos agradáveis ou conversando com um amigo para refrescar a memória. 

Alex Korb
Alex Korb

Korb, na qualidade de neurocientista descreve outras maneiras para aumentar o nível de serotonina: tomar sol, receber massagens, namorar, chocolate, ter amigos,  boa postura física, praticar exercícios aeróbicos, como corrida e ciclismo, afugenta o medo.

E se por acaso sentir dor, existe uma substância química chamada Endorfina que é a morfina natural fabricada pelo organismo para amenizar os incômodos no corpo.

Segundo Paty Adams, a endorfina é uma “breve euforia que mascara a dor física”.  O aumento de endorfina acontece ao ingerir alimentos picantes, bem como dançar, cantar, viver momentos alegres, sorrir e brincar.

Tudo que você precisa, você já tem no corpo e na mente. Faça bom uso!

Paty Adams  médico americano que conseguiu melhorar a saúde de crianças levando humor e brincadeiras, afirma que o riso aumenta a fabricação de endorfina e diminui a sensação de dor e o medo.  

Na hora que a ansiedade estiver batendo a porta, o que fazer?

A ansiedade é um padrão mental de quem está desconectado do presente, e conectado com o passado, lamentando o que não fez, ou conectado com o futuro na expectativa do que há de vir.  

Na verdade, tal padrão exclui a pessoa de viver o presente,  o único momento real que se pode operar alguma ação. 

Passado presente e futuro

A sugestão é aprender a estar no estado de presença, utilizando a respiração para se centrar no movimento do ar entrando e o ar saindo. Este movimento de diástole (expansão) quando a ar entra no corpo, e sístole (retração) quando o ar sai do corpo é o movimento da vida. 

Centrar no movimento da vida é o método mais seguro e fácil e simples de neutralizar a ansiedade. 

Segundo Hermes Trismegistos, faraó egípcio, três mil anos antes de Cristo, o mundo é mental. A mente é co-criadora do Universo. Tudo veio através da força vibratória contida no som das palavras pensadas ou pronunciadas.

vibrando

Na frase bíblica: “Haja luz, e a luz veio…”  pode-se perceber que o som veio primeiro e, a realização depois.  Da mesma forma podemos usar a vibração das palavras para criar novos estados diferentes da ansiedade, por exemplo.

Na Programação Neurolinguística, a vibração sonora da palavra pensada ou falada, é uma chave para a construção de bons estados mentais.  

Quais as palavras ou frases que você pode pronunciar agora para trazer uma frequência vibratória que possa anular a ansiedade.

É inteligente usar a mente:

✔ para lembrar de pessoas que venceram adversidades

✔ ler biografias de pessoas exitosas

✔ Fazer lista de modelos inspiradores e acesse-os usando a memória, em momentos de desafio. 

Através da memória é possível acessar os arquétipos dos heróis, daqueles que venceram a si próprios e por isto tornaram-se fortes para vencer as adversidades dos ambientes externos.

Outra forma de mudar estados é através de perguntas inteligentes, do tipo:

➡ Ter medo resolve? 

➡ Estar ansioso vai melhorar a situação ou piorar?

➡ Qual a emoção que lhe faz sentir melhor? 

➡ O que lhe impede de sentir a emoção de confiança? 

➡ O que esta situação ensina?

➡ O que é possível fazer para melhorar a situação? 

A pergunta é estruturante e levará o sistema humano a buscar respostas que irão ser o alicerce para novos estados mentais.

Outras dicas para criar estados internos mais resistentes

É muito comum, após o término de um relacionamento, a pessoa adoece pois a baixa estima tem ligação direta com a baixa imunidade do corpo. 

Quando estamos apaixonados a saúde se estabelece. Então qual a ligação da doença com a carência afetiva?  

Leonardo da Vinci  fez uma descoberta sensacional a respeito dos recursos internos para criar um sistema imunológico poderoso. Descobriu que, na região do coração, a glândula Timo  é ativada a fabricar timosina quando amamos ou somos amados.  

Amor

A timosina tem a função de fortalecer o sistema imunológico para destruir corpos invasores. Quanto mais estamos afetivamente bem, mais forte se torna o sistema imunológico. 

Sendo assim, uma das maneiras de aumentar a imunidade do corpo é ter um sentimento de amor para o outro independente se a conhecemos ou não.

Querer o bem dos outros é um excelente antibiótico e faz bem ao coração.

Amor

E agora? 

Agora mande amor para uma pessoa e perceba o que acontece internamente.  Pode ser que sua respiração tenha ficado mais profunda…acontece algo como uma sensação de expansão, bem dentro do coração. 

Gostou desse artigo? Continue acompanhando o Blog e as nossas redes sociais para saber mais sobre PNL (Programação Neurolinguística) e a busca pelo autoconhecimento.

Como trabalhar a IMUNIDADE com a PNL – Parte I

Como trabalhar a IMUNIDADE com a PNL – Parte I

A humanidade por muito tempo abusou da natureza, de forma ingênua, acreditou-se que não haveria revanche. Árvores foram derrubadas, ecossistemas foram destruídos, o ar e água foram poluídos em nome do conforto de uma elite mais afortunada que usufrui da riqueza material à custa da miséria da maioria.   

Natureza

O preço do egoísmo é muito alto e os habitantes do planeta, foram pegos de surpresa, mas não foi por falta de avisos. Agora temos um grande desafio envolvendo o globo inteiro, de um lado minúsculo e incansável vírus invisível, reproduzindo-se rapidamente, e de outro lado, terráqueos desorganizados, despreparados assistindo as notícias dos avanços das mortes sem tempo para terminar.

E o que fazer em tempos onde o medo e insegurança batem a porta?

Criei esse artigo em 2 partes com questões importantes que ajudarão a melhorar a imunidade trabalhando com a PNL (Programação Neurolinguística).

Vamos passar nessa primeira parte do artigo por:

✔ Como você analisa o contexto

✔ Porque é tão angustiante ficar parado em casa

✔ A crise tem algo de bom?

✔ Quais são os impactos das notícias ruins

✔ Mais do que cuidado com a higiene

Vamos lá? Boa leitura!

Como você analisa o contexto?

A tática do inimigo é derrotar inicialmente, os despreparados. Dizimar os mais fracos, reconhecidos pelos corpos inertes, comedores de fast food, telespectadores passivos com respiração curta, frágeis,  carentes de si mesmo, ensimesmados e sem identidade definida.

Os fortes, hidratados, nutridos, com mentes atentas, pensamentos elevados, emoções equilibradas e respiração lenta e profunda, estão com seus exércitos prontos para resistir aos invasores e ganharão o jogo da vida.

Pensamentos e pessoas

Apesar das baixas com mortes no mundo inteiro, a expectativa dos humanos é de vencer em virtude da união de todos os países.  Há um esforço concentrado, uma fraternidade se revelando, uma mobilização para salvar vidas e a certeza de que o ser humano, nas piores situações, resgata o seu melhor!

Porque as pessoas se incomodam quando precisam ficar paradas em seus lares?

Primeiro porque existe um hábito de estar sempre no frenesi do movimento acelerado constantemente executando tarefas, olhando vitrines, comprando, consultando as redes sociais, distancia a maioria de praticar reflexões essenciais sobre a própria vida.

Há um estranho vivendo em nossas entranhas, e fugimos de nossa própria companhia, para assistir as novelas, a vida dos artistas e os “reality shows”. A ausência de vida interior é a principal causa do medo da solidão. Desconectados do centro do ser, único local realmente seguro, vamos vivendo a vida dos outros e fugimos da vida que nos cabe.

Estranho vivendo em nossas entranhas

Antigamente o costume era de se inquietar, e agora é tempo de se aquietar. É inevitável o choque da mudança e com os novos hábitos de isolamento, sejamos forçados a encontrar com a pessoa que somos e refletir se a pessoa que encontramos é a pessoa que idealizamos.

“Uma vida não refletida, não vale a pena ser vivida”.  

Aristóteles

Quem tem vida interior, desconhece solidão, diz Artur da Távola. E agora é tempo de se aquietar, é o momento de recolhimento para realizar algo muito maior do que simples mudanças de comportamentos externos, e sim uma real e profunda transmutação na essência.

A verdadeira transmutação mental é transformar ignorância em sabedoria, metaforicamente homens de chumbo em homens de ouro.  

Tal tarefa exige recolhimento, papel e lápis para escrever quem realmente queremos ser, a partir da origem. Anote os valores: bondade, generosidade, gratidão, amor, perdão, fraternidade, honestidade e construa uma identidade sólida. 

Tudo o que for diferente da sua essência, deixa de lado.

Verdadeira Transmutação

Se a tristeza chegar, procure nas suas anotações, e se não encontrar a palavra “tristeza” como fazendo parte da sua identidade, deixa de lado.  Você pode até sentir-se um pouco triste em alguns momentos, mas não deixa que a tristeza estacione, já que ela não foi escolhida por você para construir sua identidade. 

Tristeza adeus. Uma pessoa que não tem uma identidade definida, qualquer coisa que passa perto, se estabelece. A personalidade pode até mudar, adquirir diferentes máscaras, mas a identidade é permanente. 

Conectados com o centro, com a identidade verdadeira, somos iguais a um furacão que na periferia caótica arrasta objetos, casas e carros, mas no centro do furacão, tudo permanece imóvel,  até uma agulha.  Sair da periferia e voltar ao centro, é encontrar a calmaria, a paz em meio ao turbilhão de acontecimentos caóticos. 

A qualidade de nossa vibração é a qualidade dos valores que escolhemos para construir a nossa identidade. Os sábios são pessoas que criaram um plano mental, no qual determinaram que AQUI NA MINHA MENTE SOMENTE ENTRA AQUILO QUE EU PERMITO.  

Criam um mundo próprio que sabem perfeitamente o que pertence a eles e o que não pertence.

Mundo próprio

Homens conectados com sua identidade atravessaram tempestades como Giordano Bruno, Nelson Mandela, Madre Tereza, Gandhi, Victor Frankl que colocaram sua identidade a serviço da coletividade. 

Pesquisas comprovam que: tem mais longevidade, aqueles que possuem uma missão de vida. Os grandes homens conectam-se com suas missões de vida, acima do que possa lhes acontecer externamente.

A crise tem algo de bom?

Podemos pensar em valores de união, um sentido de unidade. A humanidade de todo o planeta está sofrendo junta.  Atos de solidariedade, de gentileza, de generosidade ajudam a quem recebe e também a quem emana.  Toda crise traz progressos, grandes invenções, descobrimentos e estratégias. 

A internet nasceu após a segunda guerra mundial. Se o mundo fosse destruído, as informações produzidas até então seriam resguardadas. A criatividade nasce da angústia, assim como o dia, nasce da noite escura, disse Einstein. A cada crise, dela saímos mais enriquecidos. Temos agora a grande oportunidade de resgatar a nossa melhor versão, a nossa humanidade. 

Quando se pensava que o mundo estava mergulhado no egoísmo, os dirigentes da maioria dos países, uniram-se para salvar vidas, inclusive os moradores de rua e população de periferia. Esta é uma grande oportunidade de uma transmutação radical de nossos hábitos.

Depois de uma crise, ficamos mais ricos de experiências e aprendizado.
Cabe aproveitar o momento para refletir sobre: o que a natureza quer nos dizer com a vinda do coronavírus?

Coronavírus

Indústrias irão remodelar a política de tratamento dos resíduos, as empresas além do foco no financeiro e no social, também estarão com o foco no ambiental. A consciência de que a natureza gera efeitos letais tendo como causa o mau uso dos recursos do planeta, fará com que o mundo não seja mais o mesmo. 

A lição a ser aprendida é: Todo o efeito tem uma causa.  

Com a descoberta do antídoto, o que vamos fazer para evitar os próximos inimigos?  Quais hábitos que, de agora por diante, vamos exterminar para evitar a próxima pandemia?  

A resposta é simples, e está dentro de cada um: traga consciência para o momento presente, respire devagar e lentamente, alimentando a célula com sentimentos amorosos de plenitude, e a saúde fará morada no castelo do corpo.  

Vamos nutrir sentimentos de gratidão para com a natureza.  Estes sentimentos além de serem justos para com a mãe terra, ainda diminuem a pressão arterial, libera hormônios da felicidade, previne ansiedade e depressão.  Cuidemos da natureza e a natureza cuidará de todos nós!

Náufrago

No filme O Náufrago, o personagem conta que após fracassar na tentativa de suicídio, pois a árvore, na qual amarrou corda, se quebrou, aconteceu que as ondas do mar trouxeram uma parte do avião que serviu de vela para que ele construísse uma jangada e se salvasse.

Ao ser resgatado, mesmo tendo perdido o grande amor da sua vida, ele diz: 

“Continuarei respirando porque não sei o que a vida vai me trazer amanhã.”  

Tom Hanks – Náufrago

Então devemos guardar a esperança de que momentos melhores virão.  Tudo passa, nada dura para sempre.

Podemos fazer uma ponte para o futuro e pensar em nos contaminar com o vírus COMVIDA-20, adquirindo um estilo de vida com mais calma, amor e diversão.

Quais os impactos do excesso de notícias ruins?

A mente entra em colapso, ou seja, a repetição da impossibilidade, da desesperança, da ausência de perspectiva, gera a morte psicológica. De tanto ouvir sobre as mortes, a pessoa vai ficando contaminada com a desgraça.  O mesmo acontece quando a pessoa lê os feitos colaterais na bula dos remédios.

Ausencia de Perspectiva

Foi feita uma experiência com ratinhos em um tablado com quatro ladrilhos para colocar as patas. Quando um dos ladrilhos começou a dar choque elétrico, o ratinho se adaptou a tocar somente três ladrilhos, mas quando todos os quatro ladrilhos disparavam descargas elétricas, concomitantemente, o animal morreu.   

As notícias das mortes, repetidas vezes, podem levar a um estado de desesperança, culminando na morte psíquica, pois o medo de ter medo, gera o pavor contagioso.  As massas são dominadas pelas circunstâncias (horóscopos, meio social, hereditariedade) e acabam se deixando influenciar mais do que o necessário. 

São peões, são bolas de pilar que tomam a direção do taco.  Os fatos externos, o meio em que vivem, não são determinantes, pois existem pessoas que transcendem e vão além.

Os que tem mais discernimento, fazem uma seleção das informações que vão entrar no organismo, e diante do caos, recriam-se, reinventam-se, são os jogadores que possuem o taco na mão e irão decidir em qual direção querem usar a força.

Além do impacto negativo das notícias ruins, o que pode dificultar?

A falta de hábito de um reencontro diário consigo mesmo, pode gerar um medo de lidar com o buraco existencial que acaba sendo um medo maior do que da doença.  As pessoas não sabem curtir a própria companhia. É hora de chegar mais perto de si mesmo.

Autoconhecimento

Outro agravante, é a inabilidade de convivência com pessoas da família. No trabalho estão focados nas metas e os relacionamentos são superficiais, e em casa terão de reaprender a conviver com as diferenças individuais. 

Somos dotados de ego exigentes e manhosos, e há que desenvolver paciência, primeiro, para lidar com o próprio ego. Sobre o tema:

“Desenvolvemos na relação com o outro e, a exclusão do grupo produz transtornos físicos e mentais no indivíduo, eventualmente, leva à morte”,

Hélio Matura

Os relacionamentos fraternos são estimulantes para estimular a fabricação de oxitocina, um composto cerebral importante na construção da confiança.

Comece por abraçar as pessoas da família, a ligação familiar social é essencial para a sobrevivência, proteção e reprodução da espécie, além desenvolvimento do cérebro. 

Abraçar é uma forma simples de se conseguir um aumento da oxitocina. Dar ou receber um presente é um outro exemplo.

Além dos cuidados da higiene o que é importante fazer?

Fala-se muito de lavar as mãos, usar máscaras, evitar contato e ambientes fechados, mas nada se fala sobre o ambiente de dentro.  Como usar a mente para fortalecer a imunidade do corpo? Cada vez que a mente tem medo de adoecer, abre uma lacuna para a doença entrar.  

As medidas higiênicas como o corpo devem ser estendidas para os pensamentos e emoções como rancor, ressentimentos.  Vamos lavar por dentro para ser um humano mais justo, generoso e bom. Se não aprendemos de forma suave, aprendemos de forma dura.

Viemos aqui, neste planeta, para construir a nós mesmos.  A construção de coisas é desejável, mas a construção de nós mesmos é indispensável.  Este é o momento de permitir pensar, refletir e sentir aquilo que lhe faz mais humano, descobrir quem realmente é, dentre tudo aquilo que lhe sugerem ser. 

Liberdade

É importante voltar o foco para criar um ambiente interno propício a desenvolver um forte sistema imunológico. Porque quem mata não é o vírus, e sim o fato do organismo não está preparado para lutar contra os invasores.

Por hoje vamos refletir sobre esses pontos e na parte II entraremos em campos mais profundos e complexos, trabalhando com autoconhecimento e crenças.

O que você vai ver na parte II? 

✔  O autoconhecimento ajuda a imunidade?

✔  A espiritualidade tem alguma influência na imunidade? 

✔  Como usar a mente para aumentar a imunidade do corpo?

✔  Quais as melhores crenças para aumentar a imunidade do corpo?

✔  Como uma crença pode gerar saúde?

✔ Quais crenças são favoráveis a criação de estados internos fortalecedores em momentos de crise?

✔  Qual o melhor estilo de vida para adquirir imunidade?

✔ Como sair do medo de adoecer para um estado de coragem de reagir contra doença? 

✔  Na hora que a ansiedade estiver batendo a porta, o que fazer?

✔  Outras dicas para criar estados internos resistentes

Gostou desse artigo? Você pode então saber mais sobre Como Ter Saúde no Caos com esse outro texto do nosso blog, clique aqui!

Continue acompanhando o Blog e as nossas redes sociais para saber mais sobre PNL (Programação Neurolinguística) e a busca pelo autoconhecimento.

Como ter saúde no caos? Veja práticas que ajudam a cuidar da saúde mental

Como ter saúde no caos? Veja práticas que ajudam a cuidar da saúde mental

Falar de como ter saúde mental precisa ser prioridade o ano inteiro e em janeiro essa campanha ganha ainda mais força com o conhecido janeiro branco. Nesse artigo vou explicar do que se trata essa campanha, como a PNL é uma aliada nessa busca constante por equilíbrio e práticas que podemos fazer para cuidar da nossa saúde mental

O que é o Janeiro Branco? 

É uma campanha iniciada em Minas Gerais conduzida por profissionais psicólogos e ligados a área da saúde mas que tem como objetivo principal disseminar a preocupação e cuidados com a saúde mental, tema por vezes ignorado e que gera tanta angústia e reflete em comportamentos, relacionamentos e condição de vida de cada um.

O foco da campanha é promover a discussão e práticas de combate ao adoecimento emocional dos indivíduos mas não apenas deles, como de instituições. Ela estimula artigos como esse que aproximam as pessoas do tema e trazem a pauta para reflexão e debate.

Saindo dos Eixos

Quando tudo que acontece fora nos tira do eixo, algo está em desarmonia e precisa de atenção.  Se os acontecimentos tem o poder de dirigir a mente e definir o estado de a paz interna ou de caos, é sinal de uma leitura inadequada dos fatos, de falta de prumo, qual o barco sem leme em uma tempestade em alto mar.   

É absolutamente torturante quando, na convivência, são os outros que determinam o nosso humor, e ficamos dependentes de como os outros irão nos tratar.  Somos marionetes nas mãos do acaso, entregues, presas dóceis e maleáveis sem escolha própria. Para conquistar a autonomia é recomendável ter uma linguagem assertiva na qual somos o sujeito da ação por exemplo: 

“Eu fiquei doente” 

Essa é uma frase que gera autorresponsabilidade. 

Enquanto a frase: 

“O clima me adoeceu” 

É uma linguagem de dependência. Muitas pessoas podem estar em climas frios e não adoecem. O frio não é o determinante, o fator externo quando encontra um sistema imunológico capaz de reagir, cria uma barreira. 

Quando usamos uma linguagem inadequada: “Eu não mereço…”, “Eu não sou capaz…” ou “Eu não consigo…” como a linguagem está diretamente ligada com o sistema imunológico, a imunidade diminui, e sem defesas as doenças encontram mais facilidade de proliferarem.  Esta é uma das razões que explica a diferença de susceptibilidade para adoecer.

A Importância do Autoconhecimento

A  paz interna que depende das condições externas de temperatura e pressão, e somente é alcançada à custa de remédios cada vez mais fortes, atrofiando a inteligência da mente e do corpo de reagir e encontrar as alternativas saudáveis para aquietar a mente e fazer o corpo  dormir de noite, independente das atribulações do dia. 

Para piorar a situação, os relacionamentos são sofríveis a partir da nossa relação íntima com a pessoa que somos ou que imaginamos ser.   A falta de autoconhecimento a respeito de nossa constituição e de como manejar as forças internas, é que nos faz escravo de nossa própria ignorância

Natureza do Homem, Treino Mental e o Caminho de Abundância

As soluções estão ao nosso alcance, mas exigem  treino mental para manejar as energias internas a nosso favor.     Segundo a sabedoria grega, o homem é formado por várias naturezas de moléculas compostas de quatro elementos: água, ar, terra e fogo, e dependendo da combinação, existem quatro tipos de pessoas.

O primeiro, é  o fleumático, geralmente é calmo, frio, equilibrado e por isso a vida para ele é feliz e descompromissada; raramente explode em risos ou em raiva, conseguem fazer os outros rirem, mas ele mesmo não solta um sorriso sequer. É habilidoso para promover paz e conciliação, sonhador, pacífico e dócil, preso aos hábitos e distante das paixões.

Em segundo, o colério, ardente, vivaz, ativo, prático e voluntarioso. Por ser decidido e teimoso, torna-se auto-suficiente e muito independente. Por ser ativo, estimula os que estão ao seu redor, não cede sobre pressões. Possui uma firmeza no que faz, o que o faz frequentemente obter sucesso. Ambicioso e dominador, tem propensão a reações abruptas e explosivas.

O terceiro é o sanguíneo, eufórico, vigoroso, vive o presente, esquece facilmente o passado e não pensa muito no futuro. Traz em si otimismo e acredita nas coisas, mesmo em meio às adversidades. Expansivo, otimista, mas irritável e impulsivo. 

E o quarto é o melancólico: sensível, introvertido, nervoso e excitável, tendendo ao pessimismo, ao rancor, tristeza e à solidão.

O lado negro desse estudo é que, na maioria das vezes, as pessoas tentam se enquadrar nos temperamentos, e ao fazê-lo, cristalizam e passam a se comportar de acordo com classificação, e o pior, eliminando as outras possibilidades de comportamento.

Você acredita em signos? 

O efeito horóscopo, quem nasce no signo leão só pensa em ser majestade. A ideia da realeza do signo leonino,  é apenas uma possibilidade, uma tendência, porém para adquirir experiência de vida, a pessoa deve se entregar a viver as características de todo o zodíaco. Ampliar a vivência humana é ter todas as experiências dos elementos e da fisiologia e aprender a fazer a combinação perfeita. 

O enquadramento em um aspecto, já pode ser considerado uma patologia no sentido de que quando existe uma dominância de um elemento, é porque não há equilíbrio, ou seja há uma anormalidade, uma doença.  Na perspectiva de Rudolf Steiner, filósofo austríaco, criador da antroposofia a arte de viver consiste em atingir todos os quatro temperamentos de maneira igual. A preferência de algum temperamento gera problemas de saúde psicológica. 

A PNL e a saúde mental

Nas pesquisas em pessoas que apresentavam um bom processo de adequação à vida,  Richard Bandler sistematizador da Programação Neurolinguística – PNL, percebeu que existe um padrão de comportamento em que as pessoas se permitem ter todas as características ao seu dispor para usá-las de acordo com a situação, ambiente e pessoas.  Assim nada do que temos deve ser excluído e sim sacralizado.

Existem situações nas quais nossos valores serão atacados e vamos precisar de agressividade para defender. Ao invés de excluir a agressividade, vamos guardá-las para usar no momento certo. Bandler chamou esta técnica de “recontextualização” como por exemplo, durante anos da minha vida fui censurada porque gostava de falar, mas quando adulta, ao me tornar uma palestra, esta característica tornou-se aceitável e até necessária.

No trabalho recebi várias críticas por rir demais, mas quando me tornei professora, meus alunos elogiam a maneira de falar sorrindo e se sentem relaxados quando ouvem minha risada. Agora, tenho consciência de quais os contextos onde o “falar demais” e as “risadas altas” são bem vindas e evito tais comportamentos em outros ambientes.

A doença passa pelo exagero. Ser simpática é bom, porém demais, é cansativo. Ser carinhoso é bom desde que não se torno pegajoso. Assim como a água é boa, mas demais, afoga, os defeitos são  características em exagero. Além da escolha da característica é preciso saber dosar a quantidade da intensidade.

Sal é bom, mas precisa ser dosado. Bom é o uso, condenável é o abuso ou o desuso.  O uso correto dentro de um equilíbrio, é saúde. A doença é quando um elemento está mais presente do que o outro. O ideal é quando os quatro elementos de nossa constituição estão em equilíbrio de tal forma que vamos poder tirar proveito de todas as características para enriquecer a experiência de vida.

Saúde Relacional

Saúde relacional é ter um tesouro rico de possibilidades de comportamentos: melancólico, colérico, fleumático e sanguíneo e ter a liberdade de escolher se comportar da forma mais adequada, usando a sabedoria interna para manifestar na medida certa e na hora certa.      

Esta é a razão pela qual, os conselhos de como devemos ser, são invasivos e ineficientes porque cada pessoa deverá estudar de si, e descobrir sua própria receita de saúde mental, física e relacional para cada situação.  

A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – PNL é uma excelente ferramenta de autoconhecimento que ajuda no processo de desenvolvimento, culminando no processo de autorrealização humana. 

A vontade de se auto descobrir, pode lhe levar além!

Temos também um texto muito importante sobre Inteligência Emocional, leia aqui.

Nos acompanhe nas redes sociais, assine a nossa newsletter para receber por e-mail textos exclusivos e entenda mais o universo da PNL e autoconhecimento